Museu alemão vai expor fragmentos do cérebro de Albert Einstein

(dr)

Albert Einstein, Prémio Nobel da Física em 1921

Provavelmente, Albert Einstein nunca imaginou que alguns pedaços do seu cérebro poderiam, um dia, estar expostos num museu. No entanto, alguns deles serão agora exibidos num museu alemão, numa exposição que irá iniciar no dia 29 de junho.

Quando morreu, em abril de 1955, a vontade de Albert Einstein era ser cremado. “Quero ser cremado para que as pessoas não venham venerar os meus ossos”, contava o físico ao seu biógrafo Abraham Pais.

Menos de 24 horas, conta o Público, o corpo do cientista alemão viria a ser incinerado, mas sem o seu cérebro. O órgão tinha sido retirado pelo patologista Thomas Harvey, que estava de serviço no hospital norte-americano de Princeton, na Nova Jérsia, a cidade onde Einstein morreu, aos 76 anos, e onde foi feita a autópsia.

Dias depois da autópsia, Hans Albert, filho de Albert, deu o consentimento para o cérebro do cientista poder ser estudado. No entanto, havia uma condição: o órgão deveria ser utilizado unicamente para investigação científica.

O patologista dissecou o cérebro em 240 partes e distribuiu mais de mil fragmentos em lamelas, para que cada fragmento pudesse ser estudado ao microscópio, numa tentativa de dar resposta à genialidade de Einstein. Harvey enviou exemplares para cientistas de todo o mundo.

Foi então que os cientistas se aperceberam que o cérebro de Albert Einstein não era normal. Segundo o Museu Mutter, o órgão pesava menos do que o normal e os lobo parietais eram 15% maiores em relação à média. Ainda assim, a origem do seu extraordinário intelecto permanecia um mistério.

60 anos depois, dezenas de fragmentos dissecados do cérebro do cientista alemão foram expostos no Museu Mutter, no estado norte-americano de Filadélfia, depois de décadas esquecidos na casa do patologista.

Agora, escreve o jornal, dois desses fragmentos serão exibidos no Museu de História Natural de Munster, na Alemanha, numa exposição que abre portas a 29 de junho. Ao todo, estarão expostos 80 cérebros na exposição deverá permanecer aberta até ao último trimestre de 2019.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …

Turismo, indústria e energia fazem do Norte região que mais cresceu em 2018

O Norte foi a região portuguesa que mais cresceu em 2018, com um aumento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,9%, impulsionado pelo turismo, indústria e energia, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística …