“Vejo uma tempestade a formar-se nos céus.” FMI antecipa nova crise

imfphoto / Flickr

Diretor-adjunto do Fundo Monetário Internacional (FMI), David Lipton

O braço direito de Christine Lagarde no Fundo Internacional Monetário, David Lipton, antecipa uma nova crise financeira global e defende que nenhum país se preparou devidamente para lidar com isso.

David Lipton, primeiro diretor-geral adjunto do Fundo Monetário Internacional (FMI), citado pelo The Guardian, expressou a sua preocupação face à possibilidade de uma nova crise financeira global.

“Como costumamos dizer, devemos compor o telhado quando está sol. Mas como muitos de vocês, vejo uma tempestade a formar-se nos céus e receio que o trabalho na prevenção de crises esteja incompleto”, afirmou.

Para o braço direito de Christine Lagarde, cada país, individualmente, continua a não dispor dos meios de combate necessários para enfrentar uma nova recessão mundial. Assim, Lipton apelou a um trabalho conjunto para abordar problemas que possam conduzir a essa eventual recessão.

Além disso, adianta o Expresso, David Lipton mostrou-se preocupado com a capacidade da Reserva Federal dos Estados Unidos e dos bancos centrais para lidar com este problema, isto porque teme que se recorra à diminuição dos juros para impulsionar a economia no caso de se verificar uma nova recessão.

Neste seguimento, avisou que o peso das dívidas públicas detidas pelas autoridades monetárias reduz a sua capacidade para cortes adicionais aos juros e para reforços dos gastos.

Lembrando que o FMI enfrentou a última recessão desprovido dos recursos necessários até receber cerca de 880 mil milhões de dólares por parte dos governos de todo o mundo, afirmou ser “importante” que todos os líderes mundiais tenham concordado com uma revisão total dos fundos financeiros no próximo ano.

“Uma das lições que retirámos da última crise é que o FMI a enfrentou sem os recursos necessários, algo que devemos evitar que aconteça de novo”, declarou.

Em relação à China, o diretor-geral adjunto afirmou que o país deveria diminuir as suas barreiras ao comércio internacional e impor medidas mais duras para regular a propriedade intelectual, um pedido que vai ao encontro de um já feito por Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos.

No entanto, e dirigindo-se especificamente aos EUA, David Lipton recomendou que não lancem um ataque cerrado ao país. “Há muitas reformas que a China poderia fazer, que seriam não só do seu interesse, como dos restantes países do mundo. Mas a China não conseguir fazê-lo enquanto sentir uma arma apontada à cabeça e no meio de tanta tensão comercial.”

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Também já me cheira que tudo isto irá terminar mal, olhando para o caso português apenas e com um governo armado em Pai Natal com promessas de mãos largas para todos vai-se verificando agora que muitos ficaram para trás e agora fazem barulho e greves diariamente e com alguma razão desestabilizando ainda mais a precária situação do país e como o dinheiro não irá chegar para tanto é notório cada vez mais a má prestação dos serviços desde a saúde passando pelo ensino e segurança, pela restante Europa a situação não parece ir melhor!.

RESPONDER

Na Colômbia, há um "arco-íris líquido" que é descrito como a 8ª maravilha do mundo

Escondido nos confins da Serra da Macarena, na Colômbia, está o rio Caño Cristales. De dezembro a maio, o curso de água é como outro qualquer, apesar de estar rodeado de um dos ecossistemas mais …

Com uma nova interface neural, a telepatia já é possível

Uma equipa internacional de cientistas deu um passo adiante no desenvolvimento de interfaces neuronais para propor uma interface que envolve a transferência de informação entre as pessoas diretamente. As interfaces cérebro-computador podem melhorar as habilidades individuais …

Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de …

Baleia encontrada morta nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago

Uma baleia foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, informou a imprensa local. O cetáceo, uma baleia-bicuda-de-cuvier, apareceu na sexta-feira à beira-mar no município de Mabini, …

Macron convoca reforços após novos confrontos de coletes amarelos

A nova manifestação de "coletes amarelos", no sábado, registou distúrbios violentos na capital francesa. Como resposta, o presidente francês Emmanuel Macron convocou um reforço das forças de segurança. O dia de sábado marcou mais um protesto …

Pedidos de nacionalidade portuguesa aumentaram 50% em dois anos

Nos últimos dois anos, o número de pedidos de nacionalidade portuguesa aumentou cerca de 50%, avança o jornal Público esta segunda-feira. Se em 2016 foram 117.629 os cidadãos estrangeiros que pediram a nacionalidade portuguesa, em 2018 …

Não há democracia na Coreia do Norte? "É uma opinião", diz Jerónimo

Jerónimo de Sousa evitou classificar o regime de Kim Jong-un em termos "de ser ou não ser" uma democracia. A Coreia do Norte é ou não uma democracia? "É uma opinião", respondeu Jerónimo de Sousa. Numa …

Afinal, o esparguete à bolonhesa não existe

Quando se trata de refeições italianas clássicas, a maioria das pessoas pensa em pratos simples como uma pizza Margherita, lasanha e esparguete à bolonhesa. Contudo, segundo Virginio Merola, presidente de Bolonha, em Itália, o esparguete à bolonhesa …

Javalis tomaram o lugar dos coelhos. "Muitos animais estão doentes"

Para já, não há perigo de saúde pública, mas os javalis carregam doenças que podem passar a outros animais. Se antes se matavam mil coelhos, abatem-se agora 10 javalis. Jacinto Amaro, presidente da Fencaça - Federação …

Maduro prepara reestruturação do Governo venezuelano

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu aos ministros do seu Governo que ponham os seus cargos à disposição, a fim de impulsionar uma "reestruturação profunda" do Executivo. O anúncio foi feito este domingo através do …