Florida executou o primeiro branco condenado por matar um homem negro (com droga experimental)

@wjxt47 / Twitter

Mark Asay, o primeiro homem a ser executado por homicídio racista

O nome de Mark Asay vai ficar para a história por ser o primeiro homem branco a ser executado por matar um negro e um hispânico na Flórida. O supremacista branco foi executado com uma injeção experimental.

Mark Asay tinha sido condenado por dois homicídios motivados por ódio racial há 30 anos. Na quinta-feira foi executado, tendo sido utilizada uma injeção letal experimental. Mas essa não é a única novidade no caso. O supremacista branco foi o primeiro a ser condenado e executado na Flórida por crimes motivados pelo racismo e ódio racial.

Desde 1976, ano em que o estado norte-americano voltou a aplicar a pena de morte, 20 homens negros foram executados por assassinar vítimas brancas, de acordo com o Centro de Informações da Pena de Morte.

O etomidato foi a droga utilizada nesta injeção letal. Trata-se de um anestésico nunca antes utilizado para execuções nos EUA e que pretende substituir o midazolam, um fármaco que tem vindo a ser posto de parte, por suspeitas de causar sofrimento desnecessário aos condenados.

Segundo o Observador, os Estados Unidos entraram num debate sobre as drogas usadas nas execuções, quando veio a público a informação de que várias execuções estavam a causar sofrimento desnecessário.

Em tempos, a cadeira elétrica foi o meio mais utilizado para levar a cabo as execuções mas tem sido substituída pela injeção letal, que o governo acredita ser a opção mais humana e ética possível.

Os estados do Alabama, Flórida, Carolina do Sul, Kentucky, Tennessee e Virgínia ainda permitem o uso da cadeira elétrica. No Arizona, Califórnia, Mississippi, Missouri, Oklahoma e Wyoming ainda aplicam penas de morte em câmaras de gás.

E em Delaware, New Hampshire e Washington, o enforcamento também é uma opção. Apesar de permanecerem viáveis, a injeção letal é o método por defeito a ser aplicado em todos os estados onde a pena de morte ainda é legal.

No caso de Asay, foi aplicado um cocktail de etomidato, rocurónio e acetato de potássio. O supremacista apresentava tatuagens ligadas a gangues de supremacistas brancos, como o grupo KKK, e símbolos racistas.

O homem de 53 anos foi condenado em 1987 por dois homicídios levados a cabo em Jacksonville. As provas apresentadas pelos procuradores confirmaram que o supremacista matou Robert Lee Booker, um homem negro de 34 anos, e Robert McDowell, hispânico de 26 anos, a tiro na mesma noite.

Asay terá contratado McDowell, um prostituto que se vestia de mulher, e matou-o a tiro quando percebeu que se tratava de um homem. Após vários comentários racistas, encontrou Booker e matou-o também. Até ao fim, negou sempre ter matado Booker, mas admitiu ter sido o responsável pela morte de McDowell.

O jornal inglês Mirror avança que o duplo homicida demorou onze minutos a morrer com a nova injeção.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Realço a resposta do Miguel e saliento a parcialidade racista, contra os brancos, desta notícia. O regozijo da morte do condenado por ser branco é revoltante!

  2. N.d.E.:

    Há temas em que o ZAP optou, como orientação editorial, por ter uma posição neutra, ou não a ter.
    Mas há temas em que o ZAP assume, de forma clara, frontal e inegociável, que tem uma posição.
    Esses temas estão clarificados nos pontos 6 e 7 do nosso Estatuto Editorial.

    A pena de morte é um dos temas em que o ZAP assume que tem uma posição.
    O ZAP é contra a pena de morte.
    De uma forma clara, frontal e não negociável.

    Lamentamos que a redacção desta notícia possa ter transmitido a ideia de que o ZAP se regozija com a morte de uma pessoa. Não é esse o caso.

    Infelizmente, é esse o “tom” generalizado das fontes que o ZAP consultou para a redacção desta peça, que oscilam entre a satisfação com que a morte é noticiada, e a omissão de qualquer tom crítico nos meios que habitualmente rejeitam a pena de morte e contra ela mais lutam.
    Porque, para variar, morreu um branco condenado por matar um homem negro.

    Para que fique claro:
    O ZAP rejeita o racismo. Qualquer tipo de racismo.
    E o ZAP rejeita a pena de morte.

Responder a Jorge Cancelar resposta

A China está a tornar-se o país com maior influência na ONU

Há dez anos, a China começou uma operação que lhe tem vindo a garantir mais influência nas Nações Unidas. Agora, o poder que possui na organização mundial protege o país asiático do escrutínio internacional. De acordo …

Uma droga pode tratar o nanismo (mas há quem defenda o "orgulho anão")

Um estudo vem agora revelar que uma droga pode tratar o nanismo. Porém, a possibilidade de haver um tratamento para esta condição clínica não é consensual. Um novo estudo, financiado pela BioMarin Pharmaceutical e publicado no …

Meghan Markle perde batalha judicial. Em causa está carta que enviou ao pai (divulgada por jornal britânico)

Depois de no passado mês de agosto, Meghan Marke vencer uma batalha judicial contra o Mail on Sunday, desta vez a Duquesa de Sussex não pode festejar mais uma vitória. A norte-americana perdeu a última …

Após acidente, robô-piloto voltou a levantar voo (e pilotou avião durante 2 horas)

O ROBOpilot, um piloto robótico não tripulado, levantou voo pela primeira vez no ano passado, mas sofreu danos durante um dos seus voos. Agora, está apto para voar novamente. No ano passado, um acidente forçou o Laboratório …

David Attenborough bateu um recorde mundial no Instagram (e destronou Jennifer Aniston)

O naturalista britânico David Attenborough destronou a atriz norte-americana Jennifer Aniston e tornou-se a pessoa a alcançar mais rapidamente um milhão de seguidores no Instagram, segundo os números do Guinness. David Attenborough, de 94 anos, …

Indonésia planeia atração turística com dragões de Komodo ao estilo de Jurassic Park

A Indonésia planeia construir uma atração ao estilo da saga Jurassic Park para que os turistas possam ver os famosos dragões de Komodo. De acordo com a revista Vice, em causa está uma proposta de …

Daniel Alves: uma camisola origina duas controvérsias

Internacional brasileiro vai defrontar o River Plate e apareceu com uma camisola do Boca Juniors. Poderá ter quebrado as regras da Conmebol. River Plate e São Paulo vão entrar em campo na próxima madrugada, para um …

Japão declara guerra aos fax (e quer acabar com o tradicional carimbo Hanko)

Depois de ser escolhido como ministro da reforma administrativa, o primeiro-ministro Taro Kono não perdeu muito tempo a travar uma guerra contra os emblemas da burocracia japonesa. De acordo com o Japan Times, na sexta-feira passada, …

2020 regista descida de acidentes rodoviários, mortos e feridos durante os primeiros 8 meses

O número de acidentes rodoviários, de vítimas mortais e de feridos diminuiu nos primeiros oito meses deste ano, em relação ao período homólogo de 2019, indica um relatório da Segurança Rodoviária. A Autoridade Nacional de Segurança …

Suspeito do ataque junto ao Charlie Hebdo acusado de tentativa de homicídio

O suspeito de ferir gravemente duas pessoas, na passada sexta-feira, à porta da antiga redação do semanário Charlie Hebdo, em Paris, foi acusado de "tentativa de homicídio relacionada com motivação terrorista", segundo a AFP. A informação …