OMS decreta fim da epidemia de Ébola na República Democrática do Congo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou hoje o fim da epidemia de Ébola declarada a 1 de junho no noroeste da República Democrática do Congo, que provocou 55 mortes no país.

Esta epidemia, que afetou a província de Équateur e é a décima primeira na República Democrática do Congo (RDCongo), causou 130 casos – 119 confirmados e 11 suspeitos. Cinquenta e cinco pessoas morreram e 75 recuperaram totalmente, de acordo com um comunicado divulgado hoje pelo escritório regional da OMS para a África e pelo ministro da Saúde congolês, Eteni Longondo.

A epidemia foi dada como terminada após 42 dias desde que o último paciente testou negativo pela primeira vez e nenhum novo caso positivo apareceu desde então, cumprindo o critério para declarar a conclusão deste tipo de surto.



“Superar um dos patógenos mais perigosos do mundo em comunidades remotas e difíceis de alcançar mostra o que é possível quando a ciência e a solidariedade se unem”, disse a diretora regional da OMS para a África, Matshidiso Moeti.

Os especialistas armazenaram as vacinas através de um método inovador em cadeia de frio para mantê-las em temperaturas baixas, próximo a -80ºC e mais de 40 mil pessoas de alto risco foram vacinadas.

Os congeladores ARKTEK, que podem manter as vacinas em temperaturas muito baixas por até uma semana, permitiram que especialistas vacinassem pessoas em comunidades sem eletricidade na província de Équateur, segundo a OMS.

“A tecnologia usada para manter a vacina contra o Ébola em temperaturas extremamente baixas será útil quando uma vacina contra a covid-19 for trazida para a África”, enfatizou Moeti.

Lidar com o Ébola em paralelo com a covid-19 não foi fácil, mas muito da experiência que ganhamos com uma doença pode ser transferida para outra, sublinhando a importância de investir na preparação para emergências e treino local”, acrescentou a médica do Botswana.

A província de Équateur sofreu a nona pandemia do vírus Ébola entre maio e julho de 2018, quando foram registados 54 casos, incluindo 33 mortes e 21 pessoas curadas.

As autoridades congolesas declararam em 25 de junho o fim da décima, que devastou três províncias do Nordeste do país (Kivu do Norte, Kivu do Sul e Ituri) desde 1 de agosto de 2018, com saldo de 3.463 casos, 2.280 mortes e 1.171 sobreviventes, de acordo com os últimos dados divulgados pela OMS.

Esta epidemia foi a pior da história da RDCongo e a segunda mais grave do mundo, depois da que devastou a África Ocidental de 2014 a 2016, na qual morreram 11.300 pessoas e ocorreram mais de 28.500 casos, embora esses números possam ser mais altos.

A décima primeira epidemia “foi muito diferente de seu anterior: progrediu em baixa intensidade, gerou pequenos surtos em áreas isoladas e caracterizou-se, acima de tudo, por ter uma taxa de mortalidade mais baixa”, disse a organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) num comunicado.

Guyguy Manangama, responsável da MSF pela resposta à epidemia de Ébola na província de Équateur, explicou que essa letalidade mais baixa pode ser devido à existência de “algum tipo de imunidade natural entre as pessoas na província, já que esta região já experimentou anteriormente surtos de Ébola”.

A doença do Ébola, descoberta na República Democrática do Congo em 1976 – então chamada de Zaire – é transmitida pelo contacto direto com o sangue e fluidos corporais de pessoas ou animais infetados.

A febre causa sangramento intenso e pode atingir uma taxa de mortalidade de 90%. Os seus primeiros sintomas são febre alta repentina, fraqueza intensa e dores musculares, de cabeça e garganta, além de vómitos.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Vulcão, La Palma

Mais lava em movimento. Vulcão de La Palma abre nova boca eruptiva

Um novo desabamento do cone do vulcão de La Palma (Canárias) está a fazer com que uma grande quantidade de lava se desloque, principalmente em direção ao oeste, sobre o fluxo primário de lava. Durante as …

Espanha propõe "solução revolucionária" para baixar preço da luz (e pode beneficiar Portugal)

"Tempos excepcionais exigem medidas excepcionais". É desta forma que Espanha vai propor à Comissão Europeia, na reunião extraordinária desta terça-feira, uma "solução revolucionária" para acabar com a escalada de preços na energia. E os portugueses …

Só há um país a cumprir as metas do Acordo de Paris

A poucos dias da cimeira do clima de Glasgow, onde é esperado que os países anunciem cortes nas emissões de gases com efeito de estufa, apenas um, a Gâmbia, cumpre o acordo de Paris sobre …

Há investidores interessados em entrar no FC Porto. Venda só deve avançar na próxima época

O FC Porto está "a considerar a venda" de uma parte "minoritária" da SAD a investidores estrangeiros que estão interessados em comprar. A SAD portista desmente a venda imediata, mas admite que o negócio pode …

Filipa Roseta pede suspensão do mandato de deputada por 180 dias

Filipa Roseta, deputada do PSD, pediu a suspensão do mandato na Assembleia da República por 180 dias. Depois de ter tomado posse como vereadora na Câmara Municipal de Lisboa, a deputada pediu a suspensão temporária …

Há destino para Solskjaer

Quando for despedido do Manchester United, Ole Gunnar Solskjær será seleccionador da Noruega (após uma pausa). A continuidade de Ole Gunnar Solskjær no Manchester United não está garantida. Há algum tempo que a capacidade do norueguês …

Há três anos que chove nos corredores da urgência do hospital de Setúbal

Há três anos que chove nos corredores da urgência do hospital de Setúbal. Sindicalistas alertam para a situação precária vivida pelos profissionais de saúde sadinos. O "estado de calamidade" em vários hospitais pelo país inteiro não …

O dono do Boavista, Gerárd Lopez.

Dono do Boavista investiu 15 milhões e desabafa: "podiam chegar aqui 11 Messis..."

Gerárd Lopez, dono do Boavista, diz que investiu 15 milhões de euros no clube e explica os maus resultados da equipa na época passada, em que por pouco não desceu de divisão. O Boavista estará a …

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

Os dados estão lançados e o calendário traçado. Eis os próximos passos da crise política até às (possíveis) eleições antecipadas

De acordo com as declarações recentes do Presidente da República e da própria lei eleitoral para a Assembleia da República, e caso se confirme a dissolução do Parlamento, o país deve ir a votos logo …

Dyego Souza, lembra-se? Um hat-trick após mais de 2 anos em branco

Internacional português foi fundamental na vitória do Almería. Não marcava qualquer golo desde Setembro de 2019, incluindo a sua passagem pelo Benfica. Dyego Sousa, 32 anos, avançado brasileiro que chegou a Portugal ainda adolescente, voltou aos …