Filipinas deixam de comprar equipamento militar aos EUA

Noel Celis / EPA

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte

Rodrigo Duterte, Presidente das Filipinas, irá substituir o armamento dos Estados Unidos por equipamento da Rússia, Coreia do Sul e Israel.

O Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, anunciou que o seu Governo não irá comprar mais equipamento militar aos Estados Unidos, depois de Washington ameaçar impor sanções aos países que comprem armas à Rússia.

“Não aceitarei comprar aos EUA. Não é bom para os filipinos que lhes digam o que fazer. Não estou com raiva deles, mas eles foram os primeiros a atingir-me. E criticaram-me muito pela minha guerra contra as drogas”, declarou na quinta-feira o líder filipino, perante soldados, na província de Bulacan.

Duterte adiantou que irá substituir o armamento dos Estados Unidos, tradicional aliado político e militar, por equipamentos não só da Rússia, mas também da Coreia do Sul e Israel, países que visitou em 2018.

Um acordo militar EUA-Filipinas, negociado no ano passado, está bloqueado no Congresso norte-americano. Alguns senadores recusaram apoiar o acordo devido à violações de direitos humanos no país, no âmbito da campanha contra as drogas lançada por Duterte em 2016.

De acordo com dados oficiais, a campanha já fez mais de cinco mil mortos, mas organizações não-governamentais estimam um número ainda maior. “Se compras armas da China ou da Rússia, serás sancionado. Quando não podemos negociar com os EUA, é como se estivéssemos encurralados. É por isso que deixei claro que, nestas circunstâncias, não comprarei mais armas aos EUA”, sublinhou o líder filipino.

Em contraste com as declarações do Presidente, o secretário da Defesa, Delfin Lorenzana, anunciou no mês passado que as Filipinas comprariam 16 helicópteros Black Hawk aos EUA por cerca de 208,2 milhões de euros, em vez de equipamento russo mais barato, para evitar sanções.

As Filipinas planeiam gastar cerca de 5,6 mil milhões de dólares, cerca de 4,9 mil milhões de euros, nos próximos cinco anos para melhorar a sua capacidades de defesa, e assim substituir os navios de guerra da Segunda Guerra Mundial e os caças e helicópteros da altura da Guerra do Vietname, herdados dos EUA.

No ano passado, o país adquiriu jatos de caça sul-coreanos, navios logísticos indonésios e veículos blindados e mísseis israelitas.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Afinal comer um ovo por dia é mau outra vez

Afinal, comer um ovo por dia não é assim tão bom para a saúde como estudos recentes sugeriam. O maior consumo de ovos e colesterol pode aumentar o risco de doenças cardíacas e de morte …

Na Colômbia, há um "arco-íris líquido" que é descrito como a 8ª maravilha do mundo

Escondido nos confins da Serra da Macarena, na Colômbia, está o rio Caño Cristales. De dezembro a maio, o curso de água é como outro qualquer, apesar de estar rodeado de um dos ecossistemas mais …

Com uma nova interface neural, a telepatia já é possível

Uma equipa internacional de cientistas deu um passo adiante no desenvolvimento de interfaces neuronais para propor uma interface que envolve a transferência de informação entre as pessoas diretamente. As interfaces cérebro-computador podem melhorar as habilidades individuais …

Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de …

Baleia encontrada morta nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago

Uma baleia foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, informou a imprensa local. O cetáceo, uma baleia-bicuda-de-cuvier, apareceu na sexta-feira à beira-mar no município de Mabini, …

Macron convoca reforços após novos confrontos de coletes amarelos

A nova manifestação de "coletes amarelos", no sábado, registou distúrbios violentos na capital francesa. Como resposta, o presidente francês Emmanuel Macron convocou um reforço das forças de segurança. O dia de sábado marcou mais um protesto …

Pedidos de nacionalidade portuguesa aumentaram 50% em dois anos

Nos últimos dois anos, o número de pedidos de nacionalidade portuguesa aumentou cerca de 50%, avança o jornal Público esta segunda-feira. Se em 2016 foram 117.629 os cidadãos estrangeiros que pediram a nacionalidade portuguesa, em 2018 …

Não há democracia na Coreia do Norte? "É uma opinião", diz Jerónimo

Jerónimo de Sousa evitou classificar o regime de Kim Jong-un em termos "de ser ou não ser" uma democracia. A Coreia do Norte é ou não uma democracia? "É uma opinião", respondeu Jerónimo de Sousa. Numa …

Afinal, o esparguete à bolonhesa não existe

Quando se trata de refeições italianas clássicas, a maioria das pessoas pensa em pratos simples como uma pizza Margherita, lasanha e esparguete à bolonhesa. Contudo, segundo Virginio Merola, presidente de Bolonha, em Itália, o esparguete à bolonhesa …

Javalis tomaram o lugar dos coelhos. "Muitos animais estão doentes"

Para já, não há perigo de saúde pública, mas os javalis carregam doenças que podem passar a outros animais. Se antes se matavam mil coelhos, abatem-se agora 10 javalis. Jacinto Amaro, presidente da Fencaça - Federação …