Faltam 217 anos para as mulheres conquistarem igualdade de género no trabalho

Mais de dois séculos é o tempo que as mulheres de todo o mundo vão ter de esperar até que seja corrigida a desigualdade salarial.

De acordo com um novo estudo do Fórum Económico Mundial (FEM), 217 anos é o tempo que falta até se acabar com as disparidades salariais e de acesso ao emprego que continuam a punir as mulheres.

Há um ano, um outro estudo da mesma organização, apontava para 170 anos o tempo que demoraria a ser conseguido esse feito. Nessa mesma investigação, os especialistas tinham concluído que levaria 83 anos até mulheres e homens estarem em pé de igualdade no que toca ao acesso a cuidados de saúde, educação e representação política.

Repetidos os cálculos, demorará 100 anos a homens e mulheres estarem em pé de igualdade em termos de saúde, educação e representação política e 217 anos em termos salariais.

“Em 2017 não deveríamos estar a assistir a uma reversão dos progressos pela paridade de género. A igualdade de género é um imperativo moral e económico. Alguns países entendem isto e estão agora a colher os dividendos de terem adotado medidas proativas para resolver as lacunas de género”, refere Saadia Zahidi, chefe do FEM para a Educação, citada pelo Expresso.

Na investigação, o Fórum Económico Mundial analisou as disparidades entre homens e mulheres em 144 países tendo como guia indicadores económicos, de saúde, educação e representação política.

O relatório cita ainda dados recolhidos pela empresa de consultoria PricewaterhouseCoopers, que demonstram que no Reino Unido, por exemplo, a igualdade de género pode acrescentar 188 mil milhões de libras (214 mil milhões de euros) ao PIB britânico.

Empresas com mais de 100 trabalhadores vão ter de explicar e corrigir desigualdades salariais

A medida integra uma proposta de lei que está a ser trabalhada pelas áreas governativas da Cidadania e Igualdade, sob tutela da ministra da Presidência, e pelo Ministério do Trabalho, e que deverá ser aprovada, na quinta-feira, em Conselho de Ministros, segundo disse fonte do Governo à agência Lusa.

Terá uma implementação faseada, sendo nos primeiros dois anos aplicável apenas às empresas com mais de 250 pessoas e, posteriormente, alargada às empresas com mais de 100 pessoas.

A proposta de lei visa a promoção da igualdade remuneratória entre mulheres e homens e integra “medidas de natureza informativa e medidas que pugnam pela avaliação e correção das diferenças de teor discriminatório”, explicou a mesma fonte.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Bancos impedidos de cobrar comissões por operações digitais. Acesso a jogos online limitados

Os bancos vão ficar impedidos de cobrar comissões por operações de pagamento através de plataformas digitais dos prestadores de serviços, segundo uma proposta do PEV com alterações do PS aprovada no Parlamento. O projeto de lei …

Pessoas assintomáticas devem usar máscara, diz Centro Europeu de Controlo de Doenças

Num relatório divulgado na quarta-feira, o Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC) referiu que as máscaras podem reduzir a propagação do novo coronavírus de pessoas assintomáticas, recomendando a sua utilização. De acordo com o Público, …

Portugal ultrapassa as 400 vítimas mortais. Cordão sanitário em Castro Daire equacionado

Portugal regista esta quinta-feira 409 mortos associados à covid-19, mais 29 do que na quarta-feira, e 13.956 infetados (mais 815), segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Trata-se de um aumento de 6% …

"Em segundo plano". OM alerta para falta de resposta para doentes prioritários não covid-19

A Ordem dos Médicos (OM) alertou esta quinta-feira para a falta de resposta aos doentes prioritários não covid-19, que diz estarem a ser relegados para segundo plano, em áreas que “não podem esperar” como a …

Lagarde contraria Draghi. Perdão de dívida às empresas é “impensável”

A presidente do Banco Central Europeu considera "impensável" conceder um perdão de dívida generalizado das dívidas contraídas pelas empresas, ao contrário do que sugeriu o antigo presidente do BCE, Mario Draghi. “Parece-me totalmente impensável. Não é …

No Norte, espera-se duas semanas para fazer testes à covid-19

Na Área Metropolitana do Porto, muitos esperam duas semanas para realizar o teste à covid-19, denunciam vários autarcas. Em causa está a falta de material e equipamentos. Mais de metade dos casos confirmados de covid-19 em …

António Costa adia decisão sobre reabertura das escolas para o fim do mês

O Governo anuncia, esta quinta-feira, a decisão em relação às atividades letivas no terceiro período, depois de ter ouvido durante dois dias especialistas, representantes da comunidade escolar, partidos, sindicatos e os órgãos consultivos do Ministério …

Sánchez insta a oposição a seguir o exemplo de Portugal (e exige solidariedade europeia sem fissuras)

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, pediu esta quinta-feira à oposição de direita para seguir o exemplo de Portugal, onde o presidente do PSD, Rui Rio, fez um “discurso emotivo” a desejar “boa sorte” e a oferecer …

Clube alemão vendeu 100 mil bilhetes para um jogo contra um "adversário invisível"

O Lokomotive Leipzig, da quarta divisão alemã, vendeu mais de 100 mil bilhetes virtuais a um euro cada para um jogo contra um "adversário invisível", a realizar no próximo dia 8 de Maio. A venda de …

Rui Pinto aceita revelar passwords dos discos encriptados que lhe foram apreendidos

Uma das condições para Rui Pinto ser colocado em prisão domiciliária terá passado pela sua colaboração com as autoridades. O hacker português vai revelar as passwords dos discos rígidos encriptados que lhe foram apreendidos. Rui Pinto, …