/

Nikolai Glushkov. Exilado crítico de Putin morto em 2018 em Londres foi estrangulado

Facundo Arrizabalaga / EPA

O exilado russo e crítico de Putin, Nikolai Glushkov, que foi encontrado morto e, 2018 na sua própria casa em Londres, no Reino Unido, foi estrangulado.

O empresário Nikolai Glushkov, que criticava o presidente russo Vladimir Putin, foi encontrado morto em New Malden, no sudoeste de Londres, em março de 2018.

O Tribunal de Justiça de West London ouviu que havia evidências que sugeriam que a sua morte parecia um suicídio e que havia “envolvimento de terceiros”.

Agora, segundo a BBC, o legista sénior Chinyere Inyama determinou que Glushkov foi assassinado.

Glushkov fugiu da Rússia após ser acusado de fraude durante o seu tempo como vice-diretor da companhia aérea Aeroflot, e recebeu asilo político no Reino Unido em 2010. Em 2017, durante um julgamento à revelia, foi condenado a oito anos por um tribunal russo após ser condenado por roubar 87 milhões da companhia aérea.

Glushkov, de 68 anos, devia comparecer no Tribunal de Comércio de Londres para se defender em 12 de março de 2018, dia em que o seu corpo foi descoberto pela filha, Natalia.

O paramédico Dominic Biel disse ao inquérito que a cena da morte era “suspeita”.

Um relatório de patologia resumido ao tribunal disse que os ferimentos “podem ser consistentes com uma imobilização no pescoço, aplicada por trás, e o agressor estando atrás da vítima”. “Há uma falta de lesões que sugiram uma luta prolongada ou contenção com o terceiro, e uma falta de lesões de natureza defensiva nos membros superiores”.

“Com base em toda a documentação, todas as evidências reunidas, Nikolai Glushkov morreu de um assassinato ilegal“, disse o legista.

Nesta investigação, mais de 1.800 testemunhas foram contactadas e mais de 420 depoimentos feitos. Ninguém foi detido e o motivo do crime ainda não foi estabelecido.

Glushkov era amigo íntimo do oligarca Boris Berezovsky, um crítico vocal de Putin, que foi encontrado enforcado na sua casa em Berkshire em 2013.

A morte de Glushkov ocorreu num momento de tensão entre Londres e Moscovo pelo envenenamento, a 4 de março desse ano, do ex-duplo espião russo Serguei Skripal em território britânico.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O antigo agente dos serviços secretos militares russos, recrutado na década de 1990 pelo MI6 britânico, e a sua filha Yuila, foram expostos a um agente químico de natureza militar e permanecem em estado crítico.

  Maria Campos, ZAP //

 

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.