Theresa May acusa Rússia do envenenamento de ex-espião e faz ultimato

UK Parliament / Flickr

Theresa May, Primeira-Ministra britânica

A primeira-ministra britânica afirmou ser “muito provável que a Rússia seja responsável” pelo envenenamento do ex-espião russo e da filha, Yulia, numa declaração no Parlamento em Londres.

Diante dos parlamentares britânicos, Theresa May sublinhou que a substância utilizada contra o ex-espião e a filha, que ataca o sistema nervoso, é “de qualidade militar” desenvolvida pela Rússia.

Além de ter considerado “altamente provável” que o envenenamento do ex-agente duplo russo tenha autoria russa, a chefe do executivo britânico classificou-o como um ataque “cego e imprudente contra o Reino Unido”.

Para a governante, só existem dois cenários possíveis: tratou-se ou de “um ataque cirúrgico” do Estado russo, ou de uma “perda de controlo” da substância química pelas autoridades russas.

Na mesma intervenção, a primeira-ministra britânica deu um prazo a Moscovo, até terça-feira à noite, para fornecer explicações à Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ).

Em caso de ausência de uma resposta “credível”, o executivo britânico considerará que “esta ação constitui um uso ilegal da força pelo Estado russo contra o Reino Unido”, acrescentou a primeira-ministra.

May recordou que o envenenamento se inscreve “num contexto bem definido de agressão levada a cabo pelo Estado russo”, referindo o conflito em Donbass, a “anexação ilegal da Crimeia”, as “repetidas” violações do espaço aéreo de vários países europeus, campanhas de ciberespionagem, bem como “o ataque bárbaro” a Alexandre Litvinenko, antigo agente secreto russo envenenado com Polónio-210 e morto em Londres em 2006.

Lembrando que as sanções adotadas contra cidadãos russos após o caso Litvinenko “continuam em vigor”, a chefe do Governo britânico declarou-se “pronta para tomar medidas mais fortes“, referindo, nomeadamente, a presença de tropas britânicas estacionadas na Estónia, no âmbito de um destacamento da NATO.

“Espetáculo circense”, acusa Kremlin

A Rússia já reagiu às acusações. “É um espetáculo circense no Parlamento britânico. As conclusões são claras: uma nova campanha de propaganda informativa assente em provocações”, declarou a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova.

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, afirmou que o Kremlin só vai responder quando o Reino Unido “cumprir as suas obrigações”, quando entregar uma amostra da substância que supostamente foi usada.

O “Reino Unido, como bem devem saber a sua primeira-ministra e o seu ministro dos Negócios Estrangeiros, é membro, da mesma forma que a Rússia, da Convenção sobre a Proibição de Armas Químicas”, disse Lavrov. Por isso, assim que teve a suspeita do uso de uma substância proibida, “teria que se ter dirigido imediatamente ao país de onde se suspeita que procede essa substância”.

Enquanto isso, o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo convocou hoje o embaixador do Reino Unido em Moscovo. Ontem, o embaixador russo no Reino Unido também foi chamado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros em Londres.

Agente nervoso “muito raro”

Serguei Skripal, de 66 anos, e a filha Yulia, de 33 anos, foram encontrados inconscientes no dia 4 de março, num banco num centro comercial em Salisbury, no sul de Inglaterra.

Na quarta-feira seguinte, o chefe da polícia anti-terrorista britânica, Mark Rowley, revelou que o ex-agente duplo russo e a sua filha tinham sido vítimas de um ataque deliberado com um agente que ataca o sistema nervoso.

Os dois têm permanecido hospitalizados, nos cuidados intensivos, em “estado crítico, mas estável”. Um dos primeiros agentes da polícia a chegar ao local está também internado “em estado grave mas estável”.

Skripal é um ex-coronel dos Serviços de Inteligência da Rússia que foi recrutado pelos serviços secretos britânicos em 1995. A troco de dinheiro, o agente forneceu ao Reino Unido a identidade de vários espiões russos que operavam na Europa, bem como outras informações militares russas, destaca a BBC.

Em 2006, Skripal foi condenado na Rússia, mas, posteriormente, foi alvo de uma troca de espiões levada a cabo entre as autoridades russas, norte-americanas e britânicas. Foi, nessa altura, que se mudou para Inglaterra.

ZAP // Lusa / EFE

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. A May ou é burra ou então está a fazer-se a tal. Na posição que ocupa tem a abrigação de saber algumas coisas. Primeiro nao se deve acusar quem quer que seja, sem ter provas do que afirma. Segundo é mentira que a crimeia tenha sido anexada, ela sabe perfeitamente que foi efectuado um pedido da propria crimeia para sair da ucrania e fazer parte da federação russa devido a um golpe militar ilegal, mas isto ela diz porque nao convém, nao é sra. May??? Em terceiro ela tem que indicar qual o espaço aereo de que país houve violação, as noticias dizem-nos que o espaço aereo era internacional, ou seja, de livre acesso a tudo e a todos.
    A sra May ainda é adepta que repetir varias vezes muitas mentiras, elas de tornam verdades passado algum tempo, mas nao assim.

  2. Se olharmos a história poderemos fazer uma analise do quanto a Inglaterra tem feito para desacreditar países com este tipo de artimanhas. para quem não se lembra, o MI6 ajudou a Gestapo, a polícia secreta dos nazistas, através da “troca de informações sobre o comunismo” e sobre a princesa Diana muito ainda estará por desvendar já não esquecendo as milhares de pessoas mortas por uma decisão tomada contra o Iraque não verdadeira. Não nos podemos de esquecer que é do interesse inglês que algo se passe para as atenções sobre o brexit sejam desviadas da atenção do povo inglês e melhor do isto não há. Esperemos para ver os acontecimentos esperando que a Europa não vá em cantilenas porque a sua economia é que poderá ficar a perder incluindo Portugal.

RESPONDER

Tony transformou autocarro em Arca de Noé para salvar animais do Florence

Enquanto muitos americanos fugiam do furacão Florence, um camionista de 51 anos fazia o percurso inverso com uma missão em mente. Dentro de um autocarro, Alsup transportou mais de 60 animais da costa da Carolina …

Mais de 500 rinocerontes mortos na África do Sul este ano

A caça furtiva na África do Sul causou a morte a 508 rinocerontes, entre janeiro e agosto deste ano, o que significa um decréscimo no número de espécimes caçados, em relação a 2017, anunciou o …

Número de mortos em naufrágio na Tanzânia sobe para 170

O número de pessoas que morreram no naufrágio de um navio de passageiros no lago Vitória, na Tanzânia, subiu para 170, de acordo com os meios de comunicação locais. As operações de resgate recomeçaram na manhã …

Há um satélite-pescador no espaço

O Satélite britânico RemoveDebris está a navegar no espaço desde junho e lançou com sucesso uma rede em órbita com o objetivo de capturar material que anda à deriva em redor da Terra. O satélite-pescador britânico …

Governo cumpriu “rigorosamente” acordo com setor do táxi

O Ministro Ambiente, João Matos Fernandes, disse este sábado que o governo cumpriu “rigorosamente” o acordo que assinou com a duas associações que representam os taxistas para a modernização do setor. "Não é verdade que se …

Juízes defendem acórdão que desvaloriza violação de mulher inconsciente

A Associação Sindical dos Juízes Portugueses sai em defesa dos dois magistrados, um dos quais o presidente da entidade, que assinaram o acórdão que desvaloriza a gravidade da violação de uma mulher inconsciente, numa discoteca, …

Salas para maiores de 18 anos levam à demissão do director de Serralves

O director artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, João Ribas, demitiu-se do cargo depois de a administração ter limitado a maiores de 18 anos uma parte da exposição dedicada ao fotógrafo norte-americano Robert …

Isabel do Santos desmente ação contra João Lourenço mas processo deu entrada no Supremo

Isabel do Santos, filha do antigo Presidente da Angola, desmente ter entrado com uma ação contra o atual Presidente João Lourenço. No entanto, o processo cível contra o Estado deu entrada no Supremo. De acordo …

Arqueólogos fazem "descoberta do Século" no Tejo (e tem pimenta)

Uma equipa de arqueólogos da Câmara Municipal de Cascais, do Projeto Municipal da Carta Arqueológica Subaquática do Litoral, descobriu uma nau que terá naufragado entre 1575 e 1625, e que é considerada a “descoberta do …

ADSE adia implementação de novas regras para tentar acordo com privados

Os hospitais privados e ADSE continuam com o braço de ferro, mas, por agora, os privados não vão deixar de operar beneficiários da ADSE. O boicote anunciado esta manhã foi adiado. Esta manhã, o o semanário …