Ex-espião russo e a filha foram atacados com agente nervoso “muito raro”

(cv) CBS News / Youtube

Sergei Skripal, antigo espião russo recrutado pelos serviços secretos britânicos.

O ex-espião russo que está internado em estado crítico, juntamente com a filha de 33 anos, foi vítima de um ataque com uma substância química que afecta o sistema nervoso. As autoridades britânicas suspeitam que a Rússia pode estar envolvida.

Sergueï Skripal, um antigo espião russo recrutado pelos Serviços Secretos britânicos, e a filha Youlia estão hospitalizados, em estado grave, depois de terem sido encontrados inconscientes, e sem ferimentos visíveis, no banco de um centro comercial em Salisbury, no sul de Inglaterra, onde residem.

Um dos primeiros agentes da polícia a chegar ao local está também internado em estado grave, presumivelmente devido à acção da substância química usada no ataque.

As autoridades britânicas revelam que foram vítimas de uma “tentativa de homicídio”, com recurso a um agente nervoso “muito raro”, como revelou a Secretária de Estado para os Assuntos Internos do Reino Unido, Amber Rudd, em declarações divulgadas pela BBC.

A polícia já terá identificado o agente nervoso usado, mas escusa-se a revelar qual é, nesta fase da investigação. Uma fonte não identificada revela à BBC que “é, provavelmente, mais raro do que o gás Sarin“, usado em ataques químicos na Síria.

Também não será o agente nervoso VX que terá sido usado no assassinato do meio-irmão do líder norte-coreano, Kim Jong-un, no ano passado, segundo a mesma fonte.

O que são agentes nervosos?

Os agentes nervosos são substâncias químicas altamente tóxicas que afectam o sistema nervoso. Podem ter a forma de pó, de gás, ou serem líquidos, e entram no organismo por inalação ou através da pele.

Geram sintomas como sensação de queimadura nos olhos, dores fortes, tosse e dificuldade em respirar, apresentando uma evolução bastante rápida. Em poucos segundos, as vítimas podem desmaiar e sofrer convulsões e, em última instância, morrer.

Tensão a aumentar

As autoridades britânicas estão, agora, a tentar apurar quem será o responsável ou os responsáveis pelo ataque, numa altura em que se especula que a Rússia pode estar envolvida no caso.

Aquando da morte por envenenamento do ex-espião russo Alexandre Litvinenko, em 2016, em Londres, um inquérito oficial especulava igualmente sobre eventuais responsabilidades russas.

Mesmo que não haja provas desse envolvimento russo, o ataque a Skripal está a aumentar a tensão que já existia entre a Grã-Bretanha e a Rússia.

Em Dezembro passado, o chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas do Reino Unido, Stuart Peach, dava conta desse mal-estar, classificando a Rússia como uma ameaça para o mundo, e lançando o receio de que o país da Europa de Leste corte a Internet mundial.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, admite um eventual boicote diplomático ao próximo Campeonato do Mundo de futebol que se vai realizar em Junho deste ano, na Rússia. Já as autoridades russas falam em “acusações sem fundamento” e numa “campanha anti-Rússia”, cita a BBC.

Sergueï Skripal é um ex-coronel dos Serviços de Inteligência da Rússia que foi recrutado pelos serviços secretos britânicos em 1995. A troco de dinheiro, Skripal forneceu ao Reino Unido a identidade de vários espiões russos que operavam na Europa, bem como outras informações militares russas, destaca a BBC.

Em 2006, Skripal foi condenado na Rússia, mas, posteriormente, foi alvo de uma troca de espiões levada a cabo entre as autoridades russas, norte-americanas e britânicas. Foi, nessa altura, que se mudou para Inglaterra.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A primeira bateria doméstica de hidrogénio armazena três vezes mais energia do que uma da Tesla

Para usar energia solar doméstica, é preciso gerar energia quando o Sol brilha e armazená-la quando não aparece. Para isto, as pessoas usam normalmente sistemas de bateria de lítio. Porém, a empresa australiana Lavo construiu …

Um oásis LGBTQ, Budapeste é posto à prova pelo populismo e pela pandemia

Budapeste é um oásis para a comunidade LGBTQ, mas a cena drag da capital húngara vê-se ameaçada pela pandemia de covid-19 e pelas políticas conservadoras e populistas de Viktor Orbán. Durante muitos anos, Budapeste desfrutou a …

Coreia do Sul "ressuscitou" voz de uma superestrela. Chovem preocupações éticas

Pela primeira vez em 25 anos, a distinta voz da superestrela sul-coreana Kim Kwang-seok será ouvida na televisão nacional. O famoso cantor folk morreu em 1996. De acordo com a CNN, a emissora nacional da Coreia …

Maioria dos países africanos só terá vacinação em massa a partir de 2023

A maioria dos países africanos só terá imunização em massa a partir de 2023, segundo previsão da The Economist Intelligence Unit, que admite que, com o evoluir da pandemia, muitos dos países mais frágeis possam …

Mulher que "morreu" com covid-19 aparece viva 10 dias após funeral

Uma mulher de 85 anos ficou infetada com covid-19 num lar na Galiza, em Espanha. A 13 de janeiro a família de Rogelia Blanco recebeu a informação do lar de que a mulher tinha falecido. …

Familiares de vítimas na China pressionadas a não falar com OMS

As autoridades chinesas estão a pressionar as famílias das primeiras vítimas da covid-19 para que não entrem em contacto com os investigadores da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Wuhan, segundo familiares dos falecidos. Mais de …

Falsas vacinas à venda na Internet são grande risco para a saúde

Embora milhões de pessoas tenham sido já vacinadas contra a covid-19 nos países ricos, proliferam as fraudes na Internet com fármacos falsos que representam um grande risco para a saúde, alertaram peritos das Nações Unidas. As …

Voto prévio no Senado aponta para absolvição de Trump

Na terça-feira, 45 dos 50 republicanos no Senado votaram contra a continuidade do julgamento ao ex-Presidente Donald Trump, considerando inconstitucional que um chefe de Estado que já terminou o mandato seja julgado no Congresso. De acordo …

Estudo revela que um terço dos inquiridos foi vítima de violência doméstica pela primeira vez na pandemia

Quinze por cento dos inquiridos num estudo sobre violência doméstica em tempos de covid-19 reportou a ocorrência deste crime na sua casa e um terço das vítimas disse ter sido agredida pela primeira vez durante …

Portugal regista valor mais baixo de nascimentos desde 2015

Cerca de 85.500 bebés nasceram em Portugal em 2020, o valor mais baixo desde 2015, ano em que foram realizados 85.056 “testes do pezinho”, revelam dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge …