Exames adiados, aulas antecipadas. As recomendações do Ministério do Ensino Superior para as faculdades

Rodrigo Antunes / Lusa

O Governo encerrou todos os estabelecimentos de ensino durante as próximas duas semanas e as escolas não terão ensino à distância. No entanto, o mesmo não se aplica às faculdades.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior divulgou orientações para as instituições de ensino superior, às quais se recomenda, por exemplo, que mantenham as avaliações presenciais consideradas “essenciais” e que não podem ser adiadas.

Nessas situação excecionais, devem ser “adequados os procedimentos de mitigação de risco de contágio por covid-19”, refere o ministério tutelado por Manuel Heitor, em comunicado enviado às redações, citado pelo semanário Expresso.

As restantes avaliações e as atividades em curso — letivas, não letivas e de investigação — devem ser adaptadas para regime não presencial, “garantindo o reforço adequado dos tempos de aprendizagem e o de apoio aos estudantes” e “evitando a interrupção dos programas de ensino/aprendizagem”, bem como “períodos de férias letivas não previstas”.

Esta solução que já tinha sido antecipada ao jornal Público na quarta-feira pelo Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas. “Não nos parece propriamente muito boa ideia fechar as universidades e deixar os estudantes sem aulas e sem exames”, disse António Sousa Pereira, presidente daquele organismo.

Em relação às avaliações, deve ser “ponderada a eventual criação de períodos extraordinários de avaliação ou o acesso a épocas de avaliação especial”, bem como a “antecipação ou recalendarização do início das atividades letivas do segundo semestre em formato de ensino a distância”.

Ensino clínico e os estágios devem manter-se em regime presencial “sempre que possível”, devendo as universidades garantir o acesso a laboratórios e infraestruturas científicas para a realização de trabalhos e investigações “inadiáveis”.

Os funcionários das faculdades devem trabalhar à distância, “sempre que seja compatível com as funções desempenhadas”, ao mesmo tempo que são identificados “os serviços essenciais que devem ser assegurados presencialmente pelos seus trabalhadores”.

Estudantes com necessidades educativas especiais devem ter “acesso equitativo” às atividades não presenciais, sendo disponibilizado apoio psicológico e acompanhamento de saúde mental à comunidade educativa, “em estreita articulação com as associações e federações de estudantes”.

As faculdades devem ainda manter “operacionais” as bibliotecas, cantinas e residências, as quais devem assegurar “serviços de entrega de refeições”, com o devido reforço das medidas de segurança, recomenda o ministério.

Antes da divulgação das orientações, a Universidade de Lisboa já tinha decidido manter os exames presenciais marcados para os próximos dias, encerrando toda a atividade presencial controladamente, segundo disse António Cruz Serra, reitor da universidade, em  declarações à agência Lusa. “Não vamos deixar de dar oportunidade a um estudante que tem exame amanhã [sexta-feira] ou no sábado, que estudou durante semanas para o exame, de o fazer, se a escola conseguir garantir todas as condições de segurança”.

Sindicato do Ensino Superior critica decisão de encerramento

Em entrevista ao semanário Expresso, Mariana Gaio Alves, presidente do Sindicato Nacional do Ensino Superior, criticou que as atividades letivas nas universidades e politécnicos sejam suspensas.

“O que deveria ter sido feito era adiar o começo do segundo semestre para permitir não só a preparação de um eventual ensino à distância como também para ajustarmos e aguardarmos que esta curva de novos casos tenha um decréscimo. Durante o primeiro semestre deste ano letivo trabalhámos em regime presencial, com adaptações, e, quando necessário, com recursos online. Era desejável que assim fosse também no segundo semestre e, por isso, teria sido razoável um adiamento do começo para lá deste pico pandémico e recomeçarmos com tranquilidade”.

Além disso, Mariana Gaio Alves disse ver “com alguma surpresa” a decisão de encerramento, uma vez que, nas universidades e politécnicos, “temos taxas de contágio de 1,5% em toda a comunidade do ensino superior – incluindo estudantes, professores e pessoal não docente”.

“Não nos parece que seja dentro das instituições e nas atividades letivas que esteja um foco imenso de contágio. Cá fora, provavelmente, os mesmos estudantes e as mesmas pessoas terão outro comportamento, mas isso passa por uma consciencialização de todos relativamente aos comportamentos que se devem ter”, rematou.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Costa, Von der Leyen na Cimeira Social no Porto

Cimeira Social cheia de boas intenções deixa factura de um milhão de euros (e "erro" na comida da PSP)

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia comprometeram-se, na Cimeira Social do Porto, a "trabalhar em prol de uma Europa social". Mas o evento deixa uma polémica com as refeições distribuídas aos …

Alfredo Casimiro contrata Banco Nomura para vender 50,1% da Groundforce

O principal acionista da Groundforce anunciou este sábado, em comunicado, ter contratado o banco Nomura para assessorar a venda da participação de 50,1% da Pasogal na empresa de handling Groundforce, e pediu "especial atenção" ao …

Transferência para o Wolves. Diogo Jota recorda palavras de Jorge Mendes: "Vês como eu tinha razão?"

Diogo Jota, atual avançado do Liverpool, recuou no tempo e enfatizou a importância de Jorge Mendes na progressão da sua carreira. O avançado internacional português, que se transferiu esta temporada para o Liverpool, trocou o Atlético …

Um total de 19.359 agregados pagaram adicional de solidariedade do IRS

Entre o Continente e as regiões autónomas dos Açores e da Madeira são 19.359 os agregados com rendimento coletável acima dos 80 mil euros e que, por esse motivo, foram chamados a pagar taxa adicional …

Resort Zmar

Imigrantes já começaram a ser retirados do Zmar (e os donos de casas podem ter de as desmontar)

Os primeiros imigrantes realojados no empreendimento turístico Zmar, em Odemira (Beja), já começaram a ser retirados do local, após a decisão do tribunal contra a requisição civil do Governo. E enquanto se pede a demissão …

Índia ultrapassa quatro mil mortos num só dia. Cuba vai imunizar população com vacinas nacionais

A Índia registou mais de quatro mil mortes associadas à covid-19 num só dia e o Brasil contabilizou 2.165 óbitos nas últimas 24 horas. Em contraste, Cuba vai começar a vacinar a população contra a …

Boris Johnson diz que não haverá novo referendo de independência na Escócia

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, recusou hoje qualquer possibilidade de realizar um novo referendo de independência na Escócia, mesmo que o Partido Nacional Escocês (SNP) obtenha maioria absoluta no parlamento regional. “Acho que um referendo no …

Associação dos Árbitros apresenta queixa contra Benfica, Jesus, Grimaldo e Otamendi

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) apresentou uma queixa contra o Benfica, Jorge Jesus, Grimaldo e Otamendi, por causa das declarações proferidas após o jogo com o FC Porto. A notícia de que a …

Um milhão de pessoas já foram imunizadas. Faixa etária dos 50 anos começou a ser vacinada em alguns locais

Em alguns locais do país, já há pessoas na faixa etária dos 50 anos a receber a primeira dose da vacina contra a covid-19. Fonte da task force responsável pelo plano nacional de vacinação disse, este …

GNR inicia operação para dar segurança nas celebrações e peregrinação a Fátima

A GNR promove a partir de hoje uma operação de segurança em todo o território nacional, com maior incidência em Fátima e nas principais vias de acesso, para garantir segurança durante o deslocamento dos peregrinos …