/

Ex-presidente da Odebrecht condenado a 19 anos de prisão por corrupção na Petrobras

3

worldsteel / Flickr

Marcelo Odebrecht, CEO da empreiteira brasileira Odebrecht

Marcelo Odebrecht, CEO da empreiteira brasileira Odebrecht

A Justiça brasileira condenou esta terça-feira o empresário Marcelo Odebrecht a 19 anos e quatro meses de prisão por crimes de corrupção passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Os crimes estão relacionados com o esquema de desvios de recursos da Petrobras investigados pela Operação Lava Jato.

“Entre os crimes de corrupção, de lavagem e de associação criminosa, há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a dezenove anos e quatro meses de reclusão, que reputo definitivas para Marcelo Bahia Odebrecht”, descreve o juiz Sérgio Moro na sentença.

Para o magistrado, as investigações comprovaram que Marcelo Odebrecht pagou mais de 113 milhões de reais (27,2 milhões de euros) em subordos para que a sua empresa conseguisse contratos com a Petrobras, lógica que repete a adotada por outras companhias envolvidas no esquema, segundo decisões anteriores.

Os delatores apontaram Odebrecht não apenas como mero participante, mas como o líder de um cartel que gerenciava contratos com a estatal – o que as defesas do empresário e da construtora sempre negaram.

Foram condenados ainda os executivos da construtora Márcio Faria da Silva, Rogério Santos de Araújo, Cesar Ramos Rocha e Alexandrino de Salles Ramos de Alencar.

Também os ex-diretores da Petrobras, Renato Duque, Paulo Roberto Costa e Pedro Barusco foram condenados, além do cambista Alberto Youssef.

Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef tiveram as suas penas abreviadas por terem feito acordos de delação premiada.

Agência Brasil / BBC

3 Comments

  1. É uma vitima foi o que lhe chamou o “orelhas” pelas 20:43:53 no telejornal da RTP hoje 08 de março. “…a operação lava jato fez mais vitimas…”
    Recordou-me o sketch dos DDT sobre o “preso certo”

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE