Ex-embaixadora dos EUA na Ucrânia diz que se sentiu ameaçada por Donald Trump

A ex-embaixadora dos Estados Unidos (EUA) na Ucrânia, Marie Yovanovitch, disse ao Congresso norte-americano que se sentiu “ameaçada” por Donald Trump e que até foi aconselhada a fazer publicações no Twitter a elogiar o Presidente, de forma a proteger-se.

Segundo a imprensa norte-americana, que cita o testemunho dado por Marie Yovanovitch ao comité do Congresso que está a analisar o processo de destituição de Donald Trump, a ex-embaixadora disse acreditar que foi afastada do cargo devido a “alegações falsas” de que estaria a perturbar as relações do governo norte-americano com Kiev, noticiou esta terça-feira o Observador.

Marie Yovanovitch é uma das pessoas no centro do processo de ‘impeachment’ a Donald Trump que decorre no Congresso norte-americano – e que se baseia em acusações, por parte dos Democratas, de que este terá abusado do seu poder, ao pedir ao governo ucraniano que investigasse Hunter Biden, filho do ex-vice-presidente Joe Biden que passou pela administração da empresa energética ucraniana Burisma.

Os democratas argumentam que Donald Trump usou o seu poder em benefício pessoal, para prejudicar Joe Biden, candidato democrata às eleições presidenciais de 2020.

No centro do caso estão vários contactos entre a administração norte-americana e o governo ucraniano, particularmente um telefonema entre Donald Trump e o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Nessa conversa, o Presidente norte-americano terá dito que a embaixadora iria “passar por umas coisas” quando regressasse aos EUA e classificado Marie Yovanovitch como “bad news” (más notícias , em tradução livre).

1DmkIIN / Wikimedia

Rudy Giuliani

A embaixadora terá recusado um visto ao procurador ucraniano Viktor Shokin por haver indícios conhecidos de corrupção à volta deste, que era o procurador a investigar o caso do filho de Joe Biden.

Mas o advogado pessoal de Donald Trump, Rudy Giuliani, tentou obter um visto para Viktor Shokin e acusou a embaixadora de estar a proteger Joe Biden ao proibi-lo de entrar nos EUA para continuar a sua investigação a Hunter Biden.

A embaixadora indicou, numa audição no Congresso, que se sentiu “ameaçada” por aquelas declarações e lembrou que antes já tinha sido avisada pelo ministro da Justiça ucraniano para ter cuidado. Marie Yovanovitch acabaria por abandonar a Ucrânia em maio deste ano, vários meses antes do final oficial da sua missão diplomática – que os seus superiores hierárquicos justificaram com motivos de “segurança”.

Na sequência do telefonema, Marie Yovanovitch procurou aconselhar-se junto do embaixador norte-americano na União Europeia (UE), Gordon Sondland, próximo de Donald Trump, que lhe sugeriu que escrevesse no Twitter um elogio público ao Presidente.

“Precisas de escrever no Twitter que apoias o Presidente, que isso são tudo mentiras”, ter-lhe-á dito Gordon Sondland. “Ele disse: ‘Conheces o Presidente. Bem, talvez não o conheças pessoalmente, mas sabes o tipo de coisa de que ele gosta'”.

Juntamente com o testemunho de Marie Yovanovitch, o Congresso divulgou também a transcrição da audição de Michael McKinley, antigo assessor do secretário de Estado Mike Pompeo que se demitiu antes de prestar testemunho.

Este contou que sugeriu a Mike Pompeo uma mensagem de apoio à ex-embaixadora, mas o secretário de Estado recusou e explicou: “O ‘timing’ da minha resignação foi resultado de duas preocupações primordiais: a incapacidade, na minha opinião, do departamento de Estado de dar apoio aos funcionários da diplomacia apanhados no processo de destituição; e, em segundo lugar, aquilo que aparenta ser a utilização dos nossos embaixadores no estrangeiro para alcançar objetivos políticos internos”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Criada para prevenir a guerra, a ONU enfrenta um mundo profundamente polarizado

Criada após a Segunda Guerra Mundial para evitar novos conflitos, a Organização das Nações Unidas (ONU) comemora esta segunda-feira o 75.º aniversário, num mundo polarizado que enfrenta uma pandemia, conflitos regionais, uma economia em declínio …

Mulher cai de carro em movimento enquanto grava vídeo para o Snapchat

Uma mulher, que ocupava o lugar do passageiro de um carro em movimento, caiu numa auto-estrada enquanto filmava um vídeo para a rede social Snapchat, no Reino Unido. Segundo a CNN, a mulher estava pendurada na …

Nos Estados Unidos, a venda de discos em vinil ultrapassou a de CD pela primeira vez desde 1986

Pela primeira vez desde 1986, as vendas de discos de vinil ultrapassaram as vendas de CD nos Estados Unidos em 2020. Os números foram apresentados na semana passada pela Associação Americana da Indústria de Gravação, …

Mourinho espera ganhar sem jogar

Tottenham iria defrontar o Leyton Orient mas também no Reino Unido há jogos de futebol em causa por causa do coronavírus. O encontro entre Leyton Orient e Tottenham, relativo à terceira eliminatória da Taça da Liga …

A máfia italiana tem uma nova arma de recrutamento: o TikTok

Os jovens membros da Camorra, organização criminosa aliada à máfia siciliana, estão a recorrer ao TikTok para divulgar o seu estilo de vida e recrutar novos membros. Em maio, um vídeo foi publicado no TikTok que …

Os três segredos para ter um bom sistema imunológico são gratuitos, avisa Fauci

Manter o sistema imunológico saudável é um dos fatores-chave para lidar com a covid-19, o que não implica necessariamente a toma de suplementos vitamínicos. Há uns tempos, quando confrontado com o facto de a atriz Jennifer …

Pinguim encontrado morto no Brasil com uma máscara inteira no estômago

Um espécime de pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) foi encontrado morto numa popular praia brasileira e a autópsia ao corpo revelou que o animal tinha no seu estômago uma máscara de proteção facial N95. O animal foi …

Trump quer restabelecer sanções ao Irão. ONU rejeita apoiar posição norte-americana

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse que somente apoiará a restituição de sanções ao Irão, exigidas pelos Estados Unidos (EUA), se receber luz verde do Conselho de Segurança. Numa carta dirigida …

Designer holandês desenvolve "caixão vivo" feito com fibras de fungos

Um corpo humano pode demorar cerca de uma década a decompor-se dentro de um caixão. Com o Living Cocoon, o tempo é reduzido para dois ou três anos. Bob Hendrikx, biodesigner fundador da Loop, desenvolveu e …

Relógio em Nova Iorque mostra o tempo restante para reverter efeitos do aquecimento global

O Metronome, icónico relógio digital de Nova Iorque, deixou de mostrar o tempo do dia-a-dia e mostra agora o tempo restante que o nosso planeta tem para reverter os efeitos do aquecimento global. O relógio digital …