EUA impõem sanções contra a Polícia cubana pela “repressão” dos protestos

Gage Skidmore / Wikimedia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden

Os Estados Unidos impuseram novas sanções à Polícia Nacional Revolucionária cubana e a dois altos funcionários da instituição, com o Presidente Joe Biden a admitir mais medidas caso não exista uma mudança “drástica” em Cuba.

Questionado sobre sanções adicionais motivadas pela repressão dos recentes protestos contra o Governo na ilha caribenha, o Presidente dos EUA respondeu: “Haverá mais, a menos que haja uma mudança drástica em Cuba, o que eu não espero”.

Joe Biden falava à margem de um encontro na Casa Branca, em Washington, com representantes norte-americanos de origens cubanas e momentos depois do Departamento do Tesouro norte-americano ter anunciado sanções contra o diretor da Polícia Nacional Revolucionária (PNR) cubana, Oscar Callejas Valcarce, e o seu adjunto, Eddy Sierra Arrias, devido ao seu alegado envolvimento na repressão de manifestantes no passado dia 11 de julho​​​​​​​.

Washington acusa os dois responsáveis, que passam a integrar a “lista negra” dos EUA, de “graves violações dos direitos humanos”. Todos os bens ou ativos que possam deter em território norte-americano estão congelados e deixam de ter acesso ao sistema financeiro norte-americano, segundo as ordens do Departamento do Tesouro.

Após o anúncio das sanções, um funcionário norte-americano, citado pelas agências internacionais e que falou sob condição de anonimato, avançou que Joe Biden tenciona anunciar medidas que pretendem “melhorar as ligações de Internet” em Cuba.

“Vamos anunciar medidas para melhorar as ligações de Internet na ilha, para garantir que apoiamos a capacidade das pessoas de comunicarem umas com as outras e de receberem informação, que é algo que deve ser tratado como um direito humano”, disse o funcionário, citado pela agência espanhola EFE.

É aguardado que Joe Biden aborde outros dois assuntos que estão a ser analisados pela sua administração: a possibilidade de voltar a autorizar o envio de remessas para Cuba (proibido desde Novembro último) e uma possível transferência de mais pessoal para a embaixada dos EUA em Havana.

As manifestações de 11 de julho em Cuba, as maiores em mais de 60 anos, ocorreram numa altura em que o país se encontra mergulhado numa grave crise económica e sanitária, com a pandemia fora de controlo e uma enorme escassez de alimentos, medicamentos e outros bens de primeira necessidade, além de longos cortes de eletricidade em algumas regiões.

Desde que os protestos eclodiram, a estratégia do Governo cubano tem sido tentar centrar a atenção nos EUA e no embargo que impõem à ilha há seis décadas, atribuindo-lhe a responsabilidade pela situação de extrema crise económica que exacerbou o descontentamento popular.

// Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Principal assessor do Presidente ucraniano vítima de tentativa de assassinato

Serhiy Shefir, principal assessor do Presidente da Ucrânia, foi alvo de uma tentativa de assassinato esta quarta-feira. O carro onde seguia Serhiy Shefir foi "atingido por mais de dez balas", disse a polícia ucraniana, citada …

Koeman apareceu na conferência de imprensa, leu um comunicado e saiu

Treinador do Barcelona, com "cara de poucos amigos", não conversou com os jornalistas. Mas avisou: seria um "êxito" ficar nos lugares cimeiros do campeonato. Não é inédito mas é muito pouco usual: Ronald Koeman apareceu numa conferência …

Oito mortes e 891 casos de covid-19. Internamentos e incidência continuam a descer

Portugal registou, esta terça-feira, 891 novos casos e oito mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

A máscara de Marcos Rojo deixou uma criança a chorar

Imagem impressionante, na véspera de um jogo do Boca Juniors. Adaptando a ideia da publicação que será reproduzida mais abaixo, o futebol não é só uma bola a circular num relvado entre 22 jogadores. O futebol …

Erupção do vulcão nas Canárias pode durar até 84 dias

A erupção vulcânica de Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma pode durar entre 24 e 84 dias, com uma média geométrica de cerca de 55 dias, segundo cálculos do Instituto Vulcanológico das Ilhas …

PCP insiste que Governo vá “mais longe” e baixe o preço da energia

O PCP insistiu esta terça-feira que o Governo não se deve ficar pelo “não aumento” dos preços da energia, mas sim ir “mais longe”, intervindo para baixar estes valores, apontando que o executivo tem instrumentos …

Amnistia Internacional acusa farmacêuticas de recusar aumento da oferta de vacinas

Quando faltam 100 dias para o fim de 2021, a organização não governamental apela às farmacêuticas que forneçam dois mil milhões de vacinas a 82 países com rendimento baixos e médio-baixos, no sentido de se …

Lituânia avisa cidadãos para não comprarem telemóveis chineses devido à censura dos dispositivos

A tensão continua a aumentar entre a Lituânia e a China. O país europeu está agora a recomendar aos cidadãos que não comprem telemóveis chineses porque os dispositivos censuram alguns termos. O Ministério da Defesa da …

Talibã nomeiam enviado afegão para a ONU - e pedem para falar com líderes mundiais

Os talibã pediram para falar com os líderes na Assembleia Geral das Nações Unidas, a acontecer esta semana em Nova Iorque, e nomearam o seu porta-voz, Suhail Shaheen, a viver em Doha, como embaixador na …

"Erros" no currículo. Raquel Varela perdeu "apoio" para bolsa de 4 mil euros e leva caso a tribunal

A investigadora Raquel Varela está envolvida numa polémica depois de ter perdido o apoio do Instituto de História Contemporânea, no âmbito de um concurso a fundos públicos, devido a alegados "erros" no currículo. A notícia …