EUA impõem novas sanções ao Irão no setor petrolífero

Michael Reynolds / EPA

O presidente dos EUA, Donald Trump

Os EUA impuseram sanções contra a maior empresa petrolífera do Irão, a Companhia Petroquímica do Golfo Pérsico, por apoiar a Guarda Revolucionária Iraniana, informou o Departamento do Tesouro.

A Companhia Petroquímica do Golfo Pérsico e as suas afiliadas são acusadas de apoiarem financeiramente as atividades da Guarda Revolucionária, uma divisão especial das Forças Armadas iranianas, através de negócios que atingem vários milhares de milhões de euros. A empresa e as suas afiliadas são responsáveis, segundo os Estados Unidos, por 40% da capacidade de produção petroquímica do Irão e por 50% das exportações deste país.

De acordo com o Departamento do Tesouro norte-americano, a Companhia Petroquímica favorece a Guarda Revolucionária, que em abril foi classificada pelo Governo dos EUA como uma “organização terrorista”.

Esta classificação permite que os EUA possam impor sanções a todas as empresas ou pessoas que forneçam suporte material à empresa. Assim, a decisão abrange, além da petrolífera, 39 afiliadas e agentes seus no estrangeiro.

“Pretendemos negar o financiamento a elementos-chave do setor petroquímico do Irão que fornecem apoio à Guarda Revolucionária”, explicou o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, num comunicado.

“Esta ação é um aviso de que continuaremos a usar como alvos grupos de detenção e empresas do setor petroquímico que fornecem financiamento à Guarda Revolucionária“, diz o comunicado.

As sanções anunciadas fazem parte da campanha de “pressão máxima” do Governo norte-americano contra o Irão, que congelam quaisquer ativos que as empresas-alvo possam ter nas jurisdições norte-americanas.

Esse esforço de restrições ganhou fôlego nas últimas semanas, com a imposição de sanções com o objetivo de reduzir a zero a importante receita de exportação de petróleo do Irão, e após a decisão do presidente Donald Trump de retirar os EUA do acordo nuclear de 2015. “A pressão máxima sobre o regime iraniano continua”, disse o secretário de Estado, Mike Pompeo, acrescentando que os EUA continuarão a agir para “negar ao regime o dinheiro necessário para desestabilizar o Oriente Médio”.

Enquanto isso, o Irão, numa carta enviada às Nações Unidas e tornada pública, denunciou que as sanções dos EUA violam não apenas o acordo nuclear, mas também a resolução do Conselho de Segurança da ONU que o consagrou.

“As sanções nucleares unilaterais dos EUA, desafiam a resolução 2231 do Conselho de Segurança e o Plano de Ação Integral Conjunto”, escreveu o embaixador do Irão na ONU, Majid Takht Ravanchi, na carta, datada de 23 de maio. “Os Estados Unidos devem assumir total responsabilidade pelas consequências desses atos ilícitos”, conclui o embaixador Ravanchi.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. O equilíbrio mundial é lixado, ò Trump. O que tu gastavas mesmo era um mundo controlado pelos EUA, em que uns eram filhos de Deus e outros eram filhos da put@. Já foste, escroque!… Isso foi bom enquanto durou. quanto mais cerras o punho à volta do mundo, mais países te escapam entre os dedos. Xupa!.. Com essa boquinha deves ter jeito.

RESPONDER

O detetive a bordo do rover da NASA Perseverance

Marte está muito longe da famosa 221 Baker Street, mas um dos detetives mais conhecidos da ficção estará representado no Planeta Vermelho quando o rover Perseverance da NASA pousar no dia 18 de fevereiro de …

Nem o mar profundo se safa das alterações climáticas

Um novo estudo mostra que as alterações climáticas já estão a bater à porta do mar profundo, e os seus habitantes poderão em breve estar em perigo. De acordo com o site IFLScience, a equipa de …

Príncipe belga pede desculpa por violar confinamento em festa ilegal em Espanha

O príncipe Joachim da Bélgica disse “lamentar profundamente” não ter respeitado “todas as medidas” do confinamento durante uma viagem a Espanha, onde participou numa festa ilegal em Córdoba que está a ser investigada pela polícia. Depois …

Politólogo que previu que Trump seria Presidente vaticina a sua reeleição

O politólogo que previu que Donald Trump seria Presidente dos Estados Unidos vaticina agora a sua reeleição em novembro de 2020. Helmut Norpoth, professor de ciências políticas da Universidade Stony Brook, nos Estados Unidos, previu …

Índia regista mais de oito mil novos casos. Tem "uma longa batalha" pela frente

A Índia registou mais de oito mil novos casos de covid-19 num único dia, um novo recorde desde o início da pandemia no país, foi este domingo anunciado. O número de casos confirmados de covid-19 na …

Jovens bolivianos forçaram picada de viúva-negra. Queriam ser como o Homem-Aranha

Três irmãos bolivianos de 8, 10 e 12 anos acabaram hospitalizados depois de fazerem com que uma viúva negra os picasse para que ficassem com super-poderes como o Homem Aranha. "Pensando que a [picada] lhes …

Bloco exige retirada de norma "insultuosa" no apoio a recibos verdes

O Bloco de Esquerda (BE) exigiu este domingo ao Governo que retire do formulário de apoio para os trabalhadores independentes uma norma "insultuosa" que lhes exige o compromisso de retomarem a atividade no prazo de …

Espetada de porco 2.0. Novameat propõe carne impressa em 3D para o jantar

A Novameat, uma empresa espanhola de tecnologia alimentar, apresentou um novo produto: carne de porco à base de plantas impressa em 3D, a que batizaram de espetada de porco 2.0. A Novameat quer apoiar um sistema …

Uber acusada de exploração de trabalhadores em Itália

Um tribunal de Milão ordenou a nomeação de um administrador judicial para a Uber Itália durante um ano, após ter determinado que o serviço de entrega de refeições da empresa explorava os trabalhadores. De acordo com …

Pinto de Costa: "Se Rui Moreira tivesse avançado, não me candidatava"

Pinto da Costa revelou que não teria avançado para a recandidatura à presidência do FC Porto se o presidente da Câmara do Porto tivesse entrado na corrida. "Se o Rui Moreira se tivesse candidatado, embora …