EUA investigam se houve manipulação para substituir Lajes por base no Reino Unido

O Congresso dos Estados Unidos está a investigar se as forças armadas norte-americanas manipularam estudos para justificar a construção de um centro de informações no Reino Unido, em detrimento da base das Lajes, nos Açores.

Num artigo de opinião publicado na segunda-feira pela Bloomberg, agência de notícias financeiras norte-americana, o autor afirma ter obtido uma carta enviada por Jason Chaffetz, presidente da comissão Fiscalização e Reforma Governamental da Câmara dos Representantes, ao secretário da Defesa, Ashton Carter, a pedir documentos, comunicações e análises usados para tomar a decisão de construir o novo centro de informações numa base aérea em Croughton, nos arredores de Londres.

Chaffetz quer saber porque razão as forças armadas norte-americanas não efetuaram uma análise mais rigorosa sobre a possível instalação do centro nas Lajes, na base aérea da ilha Terceira, Açores.

No domingo, Chaffetz afirmou ter sido informado por fontes do Pentágono de que a estimativa dos custos da operação, fornecida ao Congresso para justificar a construção no Reino Unido, foi baseada em dados incompletos e distorcidos, para tornar a opção Croughton mais barata em relação à construção nas Lajes.

A manipulação da informação é muito suspeita. Iremos investigar até conseguirmos a verdade”, disse Chaffetz ao autor do artigo.

O plano chamou a atenção de Devin Nunes, presidente da comissão de Informações da Câmara dos Representantes, e de outros deputados que consideram a base aérea das Lajes estrategicamente importante e com todas as condições para receber o novo centro de informações.

No início do ano, o Pentágono enviou para o Congresso o plano de consolidação de infraestruturas europeias, no qual propõe a construção do novo centro, para cerca de mil analistas de informações, anexado ao Comando europeu (EUCOM) e ao comando África (AFRICOM) das forças armadas norte-americanas e a um centro de informações da NATO.

csis_er / Flickr

O luso-descendente Devin Nunes (esq), presidente da comissão de Informações da Câmara dos Representantes

O luso-descendente Devin Nunes (esq), presidente da comissão de Informações da Câmara dos Representantes

Os Estados Unidos anunciaram em janeiro deste ano a intenção de retirar 500 militares da base militar das Lajes, no âmbito da reestruturação das forças norte-americanas na Europa.

Em junho, a Câmara dos Representantes aprovou um orçamento que suspende a redução na base das Lajes até ficar provado que a infaestrutura não tem condições para acolher o novo complexo, uma alínea introduzida por Devin Nunes.

“A Câmara dos Representantes já disse, de forma clara, que a base das Lajes deve ser reaproveitada. É alarmante que o Departamento de Defesa queira levar os contribuintes numa viagem louca, gastando centenas de milhões de dólares a construir em outros locais infraestruturas que já existem nas Lajes”, disse, na altura, o congressista lusodescendente.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Convidar os chineses a montar qualquer coisa nem que seja venda de armas e estacionamento de aviões nas Lajes e convidar os americanos a sair irão ver que estes mudarão imediatamente de ideias em relação ás Lajes.

RESPONDER

Um medicamento comum utilizado para tratar a diarreia pode ajudar a combater células cancerígenas agressivas

Um fármaco comum prescrito para tratar a diarreia pode ajudar a combater um tipo agressivo de cancro cerebral (glioblastoma), sugere uma nova investigação levada a cabo pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Em causa está …

"Bola de fogo" cruzou o céu sobre o Mediterrâneo a 105 mil quilómetros por hora

Uma "bola de fogo" atravessou o mar Mediterrâneo e o norte de Marrocos na noite de quarta-feira, a 105.000 quilómetros por hora. A bola de fogo foi observada por um projeto científico espanhol a uma velocidade …

Duterte rejeita que a filha o vá suceder na liderança das Filipinas. "Isto não é para mulheres"

O líder das Filipinas, Rodrigo Duterte, descartou, na quarta-feira, a hipótese de a filha o vir a suceder no próximo ano, acrescentando que a presidência não é tarefa para uma mulher por causa das …

"Uma memória a flutuar no oceano." Encontrada, dois anos depois, uma mensagem numa garrafa

Uma mensagem no interior de uma garrafa sobreviveu a uma viagem de dois anos pelo oceano. Recentemente, chegou às mãos de um ativista ecológico, enquanto limpava uma praia da Papua Nova Guiné. Em novembro do ano …

As células imortais de Henrietta Lacks revolucionaram a Ciência

O ano de 1951 foi muito importante no campo da biotecnologia e, surpreendentemente, tudo começou com a chegada de Henrietta Lacks a um hospital norte-americano. Descendente de escravos, Loretta Pleasant nasceu a 1 de agosto de …

Humanidade não será capaz de controlar máquinas superinteligentes, avisam cientistas

Uma equipa de investigadores do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano sugere que seria impossível controlar máquinas superinteligentes. A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) continua a evoluir de vento em popa, enquanto alguns cientistas e …

Em 1950, a vacinação em massa salvou a Escócia

Em 1950, Glasgow, na Escócia, viu-se a braços com um surto de varíola e o cenário era muito semelhante ao que vivemos hoje: as autoridades sanitárias tentavam rastrear todos os contactos de pessoas portadoras do vírus, …

Japonês aluga-se a si próprio "para não fazer nada". E tem milhares de clientes

Um homem japonês que ganha a vida a alugar-se a si próprio “para não fazer nada” atraiu milhares de clientes. O negócio começou em 2018. Por 10.000 ienes (cerca de 79 euros) - mais despesas com …

Documentos de vacinas roubados por hackers também foram "manipulados"

A Agência Europeia do Medicamento, entidade reguladora da União Europeia (UE), informou este sábado que os documentos da vacina contra a covid-19 roubados e colocados na Internet por hackers foram também "manipulados". A manipulação aconteceu depois …

Há 11 anos que não se consumia tanta eletricidade num só dia. A culpa é do frio

O país está a bater recordes de energia, tanto em termos de pico como de consumo diário. A culpa é da vaga de frio que assolou Portugal neste Inverno. O consumo de eletricidade bateu, na quarta-feira, …