EUA prometem consequências se vice-presidente do Parlamento venezuelano continuar detido

David Maxwell / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

A embaixada virtual dos Estados Unidos (EUA) em Caracas advertiu as autoridades venezuelanas, através das redes sociais, de que “haverá consequências” se o vice-presidente da Assembleia Nacional, Edgar Zambrano, continuar detido.

A conta oficial da embaixada dos EUA no Twitter – utilizada pelo presidente Donald Trump para anunciar medidas ou demitir membros da administração – é administrada a partir de Washington pelo Departamento de Estado, informou nesta quinta-feira o Diário de Notícias.

“A detenção arbitrária de Edgar Zambrano pelas forças de segurança opressivas de [Nicolás] Maduro é ilegal e imperdoável”, escreveu quarta-feira a embaixada, cuja sede está na capital norte-americana.

“Se ele não for libertado imediatamente, haverá consequências”, advertiu o Departamento de Estado – quando, escreveu esta quinta-feira o Washington Post, Donald Trump está a questionar a “estratégia agressiva” da sua própria administração para a Venezuela, numa lógica intervencionista contrária à sua posição isolacionista dos EUA.

Membros do Serviço Bolivariano de Inteligência da Venezuela (SEBIN, serviços secretos) detiveram na quarta-feira o vice-presidente da Assembleia Nacional (AN, dominada pela oposição), anunciou Edgar Zambrano , na sua conta do Twitter.

“Fomos surpreendidos pelo SEBIN, como nos negámos a sair da nossa viatura usaram uma grua para transportar-nos de maneira forçada diretamente ao Helicoide [prisão do SEBIN]. Nós, democratas, vamos continuar a lutar”, escreveu o parlamentar.

Noutra mensagem, publicada na mesma rede momentos antes, o deputado alertava o povo venezuelano de que se encontrava dentro da sua viatura, junto da sede do seu partido, a Ação Democrática, em La Florida (centro-leste de Caracas), “cercado pelo SEBIN”.

Na sexta-feira, o Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela acusou o vice-presidente do parlamento de vários crimes, como traição à pátria e conspiração, por ter apoiado uma tentativa de golpe de Estado contra o chefe de Estado, Nicolás Maduro.

A crise política na Venezuela agravou-se em 23 de janeiro, quando o líder da AN, Juan Guaidó, se autoproclamou Presidente interino e prometeu formar um Governo de transição e organizar eleições livres.

Juan Guaidó contou de imediato com o apoio de mais de 50 países, incluindo os EUA e a maioria dos países da União Europeia, entre os quais Portugal, que o reconheceram como Presidente interino, encarregado de organizar eleições livres e transparentes.

Nicolás Maduro, que está no poder desde 2013, recusou o desafio de Juan Guaidó e denunciou a iniciativa do presidente do parlamento como uma tentativa de golpe de Estado liderada por Washington.

À crise política na Venezuela soma-se uma grave crise económica e social, que já levou mais de 2,3 milhões de pessoas a fugirem do país desde 2015, de acordo com dados da Organização das Nações Unidas (ONU).

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Pandemia fez com que quase metade dos portugueses poupe menos

Quase metade dos portugueses (48%) afirma poupar menos devido ao impacto da pandemia, embora mais de um terço assuma que a crise sanitária está a ter um efeito positivo nos seus gastos, segundo um estudo …

"Ministra da Insensibilidade Social". CDS pede a demissão de Ana Mendes Godinho

O CDS criticou este sábado a reação da ministra a Solidariedade Social à morte de 18 idosos num lar em Reguengos de Monsaraz e considerou que Ana Mendes Godinho desvaloriza o impacto da pandemia nos …

Esgotos de dois milhões de portugueses monitorizados para prever segunda vaga de covid-19

Os esgotos de dois milhões de portugueses estão a ser monitorizados para detetar a eventual presença do vírus da covid-19 e prever uma nova vaga. O Jornal de Notícias avança este sábado que a análise está …

Covid-19. Mais 198 infetados e 3 mortes em Portugal

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 198 casos de infeção por covid-19 e três óbitos, de acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico Direção-Geral da Saúde (DGS) desde …

Média já divulgaram publicidade institucional (mas Estado ainda não lhes pagou)

O Sindicato dos Jornalistas lamentou esta sexta-feira que o Governo não tenha disponibilizado os 15 milhões de euros relativos à compra antecipada de publicidade institucional, vincando que o executivo está em dívida com as empresas …

Autoridades admitem que extrema-direita vá vigiar manifestações antifascistas de domingo

A Frente Unitária Antifascista anunciou que vai organizar no próximo domingo duas manifestações - uma Lisboa (Praça Luís de Camões) e outra no Porto (Avenida dos Aliados). O mote é a luta contra o fascismo. Estas manifestações …

Marcelo não entende por que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido (e leu os relatórios de Reguengos)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, em declarações transmitidas pela RTP3, que não entende porque é que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido. Em declarações transmitidas pela RTP3 a partir de …

Estado só recuperou 21% dos créditos tóxicos do BPN

O Estado apenas recuperou 21% dos créditos tóxicos do Banco Português de Negócios, que derivaram da nacionalização da instituição bancária em 2008. Até final de 2019, o Estado só conseguiu recuperar 21% da carteira de créditos …

Novas matrículas "só" vão durar 45 anos (por causa das palavras obscenas)

O novo formato de matrículas entrou em vigor a 2 de março. As novas matrículas vão durar menos tempo do que poderiam porque não serão usadas combinações “que possam formar palavras ou siglas que se …

Novo lay-off conta apenas com 1% das adesões do simplificado

O sucedâneo do lay-off simplificado conta apenas com 1.268 adesões nas primeiras duas semanas. Este valor é apenas 1% do número de empresas que acederam ao primeiro apoio. Nas primeiras duas semanas desde a sua implementação, …