EUA e China dão nova trégua. Escalada na guerra comercial suspensa

Thomas Peter / EPA

Os EUA e a China acordaram uma segunda trégua ao 359º dia da guerra comercial iniciada a 6 de julho de 2018, anunciou a agência de notícias chinesa Xinhua na sequência do encontro entre Trump e Xi Jinping este sábado à margem da cimeira do G20 em Osaka, no Japão.

À saída do encontro das duas delegações chefiadas pelos dois presidentes que durou oitenta minutos, Trump declarou que a reunião tinha sido “excelente” e que os EUA “estão de volta aos trilhos” com a China.

Este sábado de manhã, Trump confirmou numa conferência de imprensa no Japão que acordou com Xi Jinping uma nova trégua na guerra comercial. O presidente norte-americano considerou como uma “grande reunião” o encontro realizado durante oito horas.

Trump afirmou que as negociações entre as duas partes vão continuar e prometeu “que, pelo menos, por ora, não haverá novas taxas alfandegárias” sobre o resto das importações vindas da China que ainda não estão abrangidas pela guerra comercial.

O presidente norte-americano adiantou que a China acordou em aumentar as aquisições de produtos dos “patriotas agricultores” norte-americanos, sublinhando que os agricultores serão “tremendos beneficiários” do acordo com Pequim.

Sobre o conflito na área tecnológica, o tema da Huawei, colocada na lista negra norte-americana, foi deixado “para o final” nas negociações: “Confirmámos deixar o assunto par o fim. Huawei é uma situação complicada”.

Com esta segunda trégua na guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo, uma escalada na imposição de mais taxas é travada. Os EUA tinham ameaçado avançar com taxas alfandegárias de 25% sobre as restantes importações da China que ainda não estão abrangidas pela guerra comercial desencadeada por Trump em julho do ano passado.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) tinha avisado em abril, na publicação das suas previsões no World Economic Outlook, que uma escalada agravaria o abrandamento da economia mundial, para além dos estragos provocados nas duas economias em confronto.

Face à incerteza, os principais bancos centrais, nomeadamente a Reserva Federal norte-americana e o Banco Central Europeu, declararam estar prontos para avançar com novos estímulos monetários no caso da conjuntura se agravar.

A guerra comercial foi iniciada a 6 de julho de 2018 com a imposição por parte de Washington de taxas de 25% sobre uma primeira lista de 818 produtos importados da China no valor de 34 mil milhões de dólares (cerca de 30 mil milhões euros).

Seguiram-se novas medidas protecionistas dos EUA e retaliações por parte da China, chegando a um quadro de guerra comercial envolvendo taxas sobre 250 mil milhões de dólares (cerca de 220 mil milhões de euros) de exportações da China para os EUA e sobre 110 mil milhões de dólares (97 mil milhões de euros) de exportações dos EUA para a China.

Uma primeira trégua de 90 dias foi acordada na reunião a 1 de dezembro entre os dois presidentes à margem da cimeira do G20 em Buenos Aires.

Delegações das duas partes negociaram durante o período de trégua que foi estendido e que só foi interrompido com a decisão de Trump a 5 de maio em escalar a guerra comercial com a subida das taxas aduaneiras de 10% para 25% sobre 200 mil milhões de dólares (176 mil milhões de euros) de importações a partir do dia 10 daquele mês.

Entretanto o confronto estendeu-se ao campo da tecnologia e muitos analistas falam do regresso de um quadro de guerra fria, agora entre as duas atuais principais potências do mundo.

China anuncia abertura ao capital internacional

Xi Jinping aproveitou a deslocação à cimeira do G20 para anunciar um pacote de medidas de abertura ao investimento estrangeiro e a determinação em acelerar as negociações comerciais com a UE e finalizar o acordo tripartido com o Japão e a Coreia do Sul.

Pequim vai divulgar uma nova lista de sectores vedados ao capital estrangeiro, ampliando as exceções nas áreas da agricultura, minas, indústria e serviços. Também vai avançar com mais seis zonas piloto, incluindo uma nova em Xangai, e vai estabelecer um porto livre na ilha de Hainão. Uma nova lei sobre investimento estrangeiro vai ser publicada no início de 2020.

Também à margem do G20, os presidentes da China, Índia e Rússia, as três principais potências dos BRICS, decidiram reforçar a cooperação trilateral no sentido de apoiar “a globalização económica e a liberalização comercial” e combater “o protecionismo e o unilateralismo”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Netflix retira imagens de suicídio de "13 Reasons Why"

A Netflix modificou o episódio da série "13 Reasons Why" onde apareciam imagens do suicídio da protagonista Hannah Baker (Katherine Langford), passando agora essa parte da ação a ocorrer de forma totalmente oculta para os …

Belinda Sharpe é a primeira árbitra do râguebi australiano em 111 anos

Belinda Sharpe vai tornar-se na primeira árbitra de campo na história de 111 anos da liga profissional de râguebi na Austrália, quando dirigir um jogo do campeonato agendado para quinta-feira. A Liga Nacional de Râguebi (NRL) …

Os chimpanzés não têm noção de justiça e aceitam desigualdades

Os chimpanzés carecem da noção de justiça e aceitam a desigualdade na repartição de comida ou materiais, segundo a investigadora Nereida Bueno. A cientista, da Universidade Pontificia de Camillas, que participou num estudo publicado esta semana …

Descartar drogas pelo esgoto pode criar "meta-caimões" nos Estados Unidos

O Departamento da Polícia de Loretto, no estado norte-americano do Tennessee, alertou este sábado para os perigos associados à eliminação de narcóticos através das canalizações das casas de banho. Numa publicação na página oficial de Facebook, …

Descoberta nova via terapêutica para tratar o Alzheimer

Um grupo de cientistas descobriu uma nova via terapêutica para tratamento do Alzheimer, que segundo os investigadores cria “alguma esperança” para travar o desenvolvimento da doença em estágios mais iniciais. O projeto, cujas conclusões foram publicadas …

Exército de carraças está a dizimar vacas (e pode chegar aos humanos)

Uma espécie invasiva de carraças já dizimou um quinto da população de vacas na Carolina do Norte. Os cientistas temem que o próximo alvo podem ser os humanos. A espécie de carraça Haemaphysalis longicornis tem feito …

Ucrânia aprova castração química para pedófilos

Na Ucrânia, será administrada uma injeção que reduz o libido aos pedófilos. A legislação vai aplicar-se a homens com idades entre os 18 e os 65 anos que forem considerados culpados de violação ou abuso …

Em vez de desaparecer, ilhas do Pacífico poderão mudar de forma

Países insulares como Tuvalu, Toquelau e Kiribati passam o nível do mar em poucos metros. Estes são Estados considerados vulneráveis ao aquecimento climático do planeta e as populações acreditam que podem desaparecer com a subida …

Morreu o pugilista Pernell Whitaker. O campeão olímpico foi vítima de atropelamento

O pugilista norte-americano Pernell Whitaker morreu atropelado este domingo em Virginia Beach, aos 55 anos. O atleta foi atingido mortalmente quando atravessava a estrada num cruzamento, durante a noite. Num comunicado enviado ao Guardian, o Departamento …

Eis a primeira aterragem autónoma de um avião tripulado

Uma equipa de cientistas alemã criou um sistema que permite à aeronave aterrar autonomamente em qualquer pista, sem nenhum tipo de apoio humano. Enquanto a indústria automóvel tem andado léguas no que toca a inovação em …