EUA. Depois de 20 anos preso, ADN prova inocência de homem condenado por homicídio e violação

Depois de ter estado 20 anos preso pela violação e assassínio de Angie Dodge, Christopher Tapp foi considerado inocente de todas as acusações. As novas técnicas de análise de ADN e os novos conhecimentos de genética permitiram encontrar o verdadeiro culpado.

“É uma nova vida, um novo começo, um novo mundo para mim e estou só a aproveitar um dia de cada vez”, disse Christopher Tapp, de 43 anos, quando na passada quarta-feira ouviu a decisão do tribunal, informou o Diário de Notícias no domingo.

Filha de Jack e Carol Dodge, Angie Raye Dodge nasceu a 02 de dezembro de 1977, em Vancouver, Washington, nos Estados Unidos (EUA). Era a única menina e a mais nova dos quatro filhos do casal. Terminou o liceu em Idaho Falls, em 1995, e continuou os seus estudos na Universidade Estadual de Idaho. Os amigos recordam-na como uma rapariga inteligente e feliz, que gostava da natureza, de acampar, das férias e das festas de Natal. Aos 18 anos, morava sozinha num apartamento em Idaho Falls.

Entre as 00:45 e as 11:15 de 13 de junho de 1996, foi violada e brutalmente assassinada em sua casa, tendo sido o corpo encontrado por dois colegas que ficaram preocupados pelo facto de ela não ter ido trabalhar nessa manhã. A polícia começou imediatamente a investigar o caso e recolheu inúmeras pistas – incluindo uma amostra de sémen e cabelos, no local do crime. De acordo com os testes de ADN realizados na altura, o sémen e os cabelos pertenciam ao mesmo suspeito desconhecido.

O primeiro suspeito

Em janeiro de 1997, Christopher Tapp, de 20 anos, tornou-se o principal suspeito do caso. Apesar de o seu ADN não coincidir com as amostras recolhidas no local do crime, o Departamento da Polícia de Idaho Falls tinha a teoria de que várias pessoas teriam estado envolvidas no crimes e que uma dessas pessoas seria Christopher Tapp.

O rapaz foi interrogado pela polícia durante várias horas até, finalmente, confessar o seu envolvimento na violação e no assassínio. Mais tarde, quando foram divulgadas as cassetes do interrogatório, surgiram muitas dúvidas, uma vez que parecia que Christopher Tapp tinha sido forçado a confessar o crime.

Foi condenado em 1998, por um júri de Bonneville County, a 30 anos de prisão. Recorreu da sentença mas em julho de 2001 o Supremo Tribunal confirmou a condenação. Entre 2002 e 2015, Christopher Tapp também fez vários pedidos de reavaliação de pena ao tribunal, mas os pedidos foram recusados. Exceto um.

Em março de 2017, foi libertado após 20 anos de prisão. O seu advogado, John Thomas, chegou a acordo com o Procurador Público, Daniel Clark, estabelecendo que a condenação de assassínio em primeiro grau iria manter-se no cadastro, mas a condenação por violação seria retirada. Christopher Tapp também abdicou do direito a recurso.

Dan Buczynski / Flickr

“Estou satisfeito”, disse, no dia em que saiu da prisão. “É diferente não ter algemas. Quero provar a todos que posso ser alguém e fazer alguma coisa certa.”

A mãe nunca desistiu

Ao longo dos últimos 23 anos, Carol Dodge, mãe de Angie Dodge, nunca deixou de lutar. Se aquele não tinha sido o único homem envolvido no crime, estava decidida a encontrar os outros culpados. Acompanhou todas as investigações e fez a sua própria, contratando especialistas e fazendo o possível para que o caso não fosse esquecido.

Há poucos meses, contou a um jornal local que todos os dias fazia meditação e expressava vocalmente as suas frustrações sobre o assassínio da filha.

Muito devido à pressão da mãe, a polícia continuou à procura do criminoso cujo ADN foi encontrado no local do crime, por vezes pedindo ajuda ao FBI e a outros especialistas. Em 2016 e 2017, graças a novas técnicas, foi possível identificar várias características dos suspeitos – cor do cabelo, cor da pele, cor dos olhos, sardas. A partir desses dados foi feito um retrato de como poderia ser esse homem em 1996, com 25 anos.

Em novembro de 2018, a polícia de Idaho entrou em contacto com a Parabon, uma empresa que usa a mais recente tecnologia na análise de ADN. A amostra já estava muito degradada e, em condições normais, os especialistas não teriam aceitado o caso. Mais uma vez, a mãe de Angie Dodge decidiu intervir e pediu para que, ao menos, tentassem.

O verdadeiro culpado

CeCe Moore, da Parabon, liderou a investigação na qual foi identificado um grupo de seis pessoas que embora não correspondessem ao ADN recolhido no local do crime poderiam estar, ainda que de forma distante, geneticamente relacionadas à pessoa em causa.

Foi necessária uma longa investigação da árvore genealógica e das relações familiares destas pessoas para chegar a um homem, que poderia ser o criminoso: Brian Dripps, que teria morado numa rua ao lado da de Angie Dodge entre abril e agosto de 1996.

Em maio deste ano, Brian Dripps foi localizado e a polícia começou a vigiá-lo. Foram necessárias apenas 20 horas para que obtivessem uma beata que o homem deitou fora pela janela do carro. A análise a esta amostra de ADN revelou-se totalmente compatível com as amostras de sémen e cabelos recolhidos no local do crime.

A 15 de maio, Brian Dripps, de 53 anos, foi detido e, apesar de inicialmente negar o seu envolvimento nos crimes, acabou por confessar ter cometido a violação e o assassínio em 1996. E também confessou ter agido sozinho.

“Ele disse que pretendia apenas violá-la, não tencionava matá-la”, lê-se na acusação. “Confirmou que entrou no apartamento de Dodge sozinho e com uma faca com a intenção de violá-la, o que de facto fez, e que tinha colocado uma faca na sua garganta durante o ato, acabando por cortá-la”.

Brian Dripps encontra-se detido na prisão de Bonneville County e irá ser ouvido em tribunal a 02 de agosto.

Finalmente, inocente

A 11 de junho, o procurador público de Bonneville pediu a exoneração de Christopher Tapp. “Existem provas claras e convincentes de que não cometeu o crime”, escreveu Daniel Clark no requerimento. “Portanto, o Estado pede ao tribunal que anule o veredito, altere a sentença e arquive o caso.” O advogado John Thomas também fez um sexto apelo ao tribunal, “baseado em novas provas de que Christopher Tapp é na verdade inocente”.

Aos 43 anos, Christopher Tapp foi pela última vez a tribunal na passada quarta-feira para ser, finalmente, declarado inocente de todas as acusações.

Ao longo do último ano a “genealogia genética” já ajudou a resolver cerca de 70 casos nos EUA, usando ADN encontrado nos lugares do crime e comparando-o com o ADN em diversas bases de dados e bases genealógicas para encontrar familiares dos alegados criminosos. Neste caso, além de permitir encontrar o culpado, foi também possível provar a inocência de outra pessoa.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Nicolas Bourbaki foi o maior matemático de sempre (mas nunca existiu)

Considerado como um dos maiores matemáticos de sempre, Nicolas Bourbaki não passava de um pseudónimo adotado por um grupo de grandes matemáticos, que revolucionou a matemática como a conhecemos. Nicolas Bourbaki está entre os maiores matemáticos …

No aquário do Tennessee, é uma enguia que acende as luzes da árvore de Natal

A enguia Miguel Wattson é a responsável pelo espírito natalício que se vive no Aquário do Tennessee, nos Estados Unidos. O Aquário do Tennessee, nos Estados Unidos, encontrou uma forma inusitada de celebrar esta época festiva: …

Há 34 anos, Diana dançou com Travolta. Agora, o seu vestido foi vendido por 261 mil euros

O vestido que a Princesa Diana usou para jantar na Casa Branca, em 1985, foi vendido por mais de 261 mil euros. O vestido azul que a Princesa Diana usou num jantar na Casa Branca, em …

Doentes crónicos com baixo nível de literacia em saúde recorrem mais às urgências

Os doentes crónicos e com um nível de literacia em saúde mais baixo utilizam mais vezes os serviços de urgência hospitalares e dos centros de saúde, bem como as consultas de medicina geral e familiar, …

Ártico viveu em 2019 o segundo ano mais quente em 119 anos

O Ártico viveu em 2019 o seu segundo ano mais quente desde 1900, de acordo com um relatório publicado na terça-feira, aumentando receios de degelo e aumento do nível da água. O Polo Norte está a …

Jardineiro encontra por acaso a obra mais procurada de Gustav Klimt. Estava no galeria onde foi roubada

Um funcionário da galeria de arte Ricci Oddi, na cidade italiana de Piacenza, encontrou por acaso a obra mais procurado do pintor austríaco Gustav Klimt. Estava na própria galeria, onde a obra terá sido roubada …

YouTube reforça políticas contra assédio online

O YouTube anunciou, esta quarta-feira, um conjunto de alterações às políticas que visam combater o assédio que existe na plataforma. O YouTube anunciou esta quarta-feira o reforço das suas políticas contra o assédio online, que preveem …

Deus bebé indiano vence caso em tribunal e reinvindica território sagrado

O Supremo Tribunal Indiano declarou Ram Lalla Virajman, um deus bebé, como o legítimo proprietário de Ayodhya, uma terra no norte da Índia considerada sagrada por muçulmanos e hindus. O tribunal decidiu que o Governo …

China usa comités partidários para manipular empresas estrangeiras

Em outubro, quando a Liga Norte-Americana de Basquetebol (NBA) tentou voltar atrás no apoio aos protestos em Hong Kong, foi criticada por se submeter ao regime autoritário da China. Mas são cada vez mais as …

Ângelo Rodrigues, Flamengo e Tinder. Os temas mais procurados pelos portugueses no Google

Ângelo Rodrigues, Flamengo, como saber onde votar, como funciona o Tinder e "Game of Thrones" estão entre os tópicos que os utilizadores portugueses do Google mais pesquisaram ao longo de 2019. Os dados são divulgados …