EUA anunciam ajuda de 16 mil milhões de dólares a agricultores prejudicados pela disputa comercial com a China

Michael Reynolds / EPA

A administração Trump disponibilizará 16 mil milhões de dólares (cerca de 14 mil milhões de euros) para manter os agricultores à tona durante a guerra comercial entre os Estados Unidos (EUA) e a China, anunciou na quinta-feira o secretário da Agricultura, Sonny Perdue.

A maior parte dessa ajuda, aproximadamente 14,5 mil milhões de dólares (aproximadamente 13 mil milhões de euros) irá diretamente para os agricultores, disse Sonny Perdue, citado pela NPR.

“Embora os próprios agricultores digam que preferem o comércio à ajuda, sem o comércio, precisarão de algum apoio”, afirmou, atribuindo a responsabilidade pelas perdas económicas aos fazendeiros na China, ao invés de atribuir às táticas comerciais “de linha dura” da própria administração Trump.

“Francamente, tudo isso teria sido irrelevante se a China tivesse atuado de maneira apropriada e justa em muitas das áreas em relação ao roubo de propriedade intelectual e às barreiras não-tarifárias que colocaram por muitos anos”, referiu.

Enquanto a ajuda vem de um fundo conhecido como Commodity Credit Corporation (CCC) – uma entidade federal fundada durante a Depressão, dedicada à estabilização da receita e dos preços agrícolas -, funcionários do governo Trump, incluindo Sonny Perdue, acreditam que a China pagará por esta ajuda ao setor agrícola.

“O presidente [Donald Trump] acredita que a receita tarifária será usada para apoiar este programa, que voltará e reabastecerá o CCC, como faz todos os anos”, acrescentou o secretário de Agricultura.

O plano também inclui esforços para vender produtos americanos em mais mercados fora da China. As autoridades indicaram que cerca de 100 milhões de dólares (cerca de 90 milhões de euros) serão direcionados para a diversificação do mercado.

A agricultura tem sido um dos setores mais atingidos pelo conflito comercial entre os EUA e a China. O anúncio de um novo alívio para os agricultores vem com o aumento dos receios sobre uma crise económica na área agrícola.

De acordo com Escritório Nacional de Pesquisa Económica, a linha dura de Trump no comércio com a China reduziu a receita dos EUA a uma taxa de cerca de 1,4 mil milhões de dólares (1,25 mil milhões de euros) por mês. Análises do Nova York Fed estimam que as novas tarifas custarão às famílias de classe média 831 dólares (745 euros) por ano.

No ano passado, o governo Trump forneceu 12 mil milhões de dólares (cerca de 11 mil milhões de euros) em ajuda aos agricultores para tentar compensar as suas perdas com a guerra comercial.

Os problemas económicos tiveram efeitos multiplicadores nos últimos meses. Alguns agricultores estão a lutar com as dívidas, fazendo com que os pedidos de insolvência aumentem drasticamente. Um outro golpe para o setor agrícola surgiu com os desastres naturais, que mataram o gado e destruíram colheitas.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Tribunais vão vender máscaras a um euro. "É uma margem de lucro de 45 por cento"

Os tribunais vão ter máscaras cirúrgicas à venda para advogados e testemunhas, de modo a garantir que podem entrar nas salas de audiência a partir de quarta-feira, dia em que a Justiça retoma as sessões …

Julgamento BES. Ministério Público acredita que provas da Suíça ainda podem ser utilizadas

O jornal Público escreve este sábado que os procuradores do Ministério Público (MP) acreditam ainda ser possível utilizar os elementos solicitados nas cartas rogatórias enviadas às autoridades suíças no julgamento do caso BES. O Ministério …

Salários mais baixos podem passar a ter lay-off pago a 100%

O Governo está a estudar a possibilidade de o regime de lay-off, desenhado especificamente para o contexto da pandemia de covid-19, passar a ser pago na sua totalidade (100%) para quem tem salários mais baixos. …

Bronca na Liga. Contestação adia 5 substituições e o Marítimo recusa assinar Plano de Retoma

Após dois dias intensos de reuniões, foi aprovado o Plano de Retoma do campeonato nacional para a disputa das últimas 10 jornadas da época 2019/2020. Mas apenas 17 clubes o assinaram. O Marítimo recusou fazê-lo, …

Igreja perdeu 50 milhões de euros com a pandemia (e há dioceses em lay-off)

Ao cabo de dois meses de paragem por causa da pandemia de covid-19, as missas regressam, neste sábado, mas com regras novas para evitar a propagação do coronavírus. Uma paragem que resultou num "prejuízo" de …

Reabertura de ATL adiada para 15 de junho. Creches arrancam segunda-feira (sem apoios para os pais)

As Atividades de Tempos Livres (ATL) não integradas em estabelecimentos escolares só poderão voltar a funcionar a partir de 15 de junho, duas semanas depois daquilo que estava inicialmente previsto. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, …

Governo britânico vai continuar a pagar 80% dos salários durante mais três meses

O Governo britânico vai continuar a pagar durante mais três meses 80% do salário de trabalhadores em lay-off devido à pandemia de covid-19, e reduzir gradualmente o valor até ao fim do sistema, em outubro. O …

Resgate à TAP deverá ser feito através de empréstimo obrigacionista

A ajuda do Estado à TAP deverá chegar através de um empréstimo obrigacionista convertível em ações, avança o jornal Expresso neste sábado. Este é o cenário mais provável para a TAP, apurou o semanário, que …

Lisboa pode receber a final deste ano da Liga dos Campeões

Istambul não está agradada com a ideia de receber a final da Liga dos Campeões sem adeptos no estádio. Por isso, outras hipóteses estão a ser consideradas, nomeadamente Lisboa. A final da Liga dos Campeões está …

Há mesmo algo de reconfortante quando dizemos palavrões

Um novo estudo sugere que, nas circunstâncias certas, dizer palavrões em voz alta parece fazer as pessoas sentirem menos dor. Exatamente como e porque é que o ato de dizer asneiras consegue fazer com que as …