Estivadores de Setúbal aprovam acordo e põem fim à greve

André Areias / Lusa

Os trabalhadores do Porto de Setúbal aprovaram o acordo que vai pôr fim à greve às horas extraordinárias e também ao impasse na Autoeuropa, avança o jornal Público esta sexta-feira.

Os estivadores chegaram a acordo com os operadores portuários para a integração de 56 trabalhadores no Porto Setúbal. A notícia foi avançada à Lusa pelos estivadores desta estrutura portuária.

As mesmas fontes confirmaram que o acordo já foi aprovado pelos trabalhadores eventuais que se recusavam a apresentar-se ao trabalho desde o dia 5 novembro.

Depois de uma ameaça de uma paragem forçada na fábrica de Palmela, o Público avança que os trabalhadores do Porto de Setúbal aprovaram o acordo que vai pôr fim à greve às horas extraordinárias e ao impasse na Autoeuropa. O acordo foi confirmado pelo matutino junto dos trabalhadores e junto do gabinete da ministra do Mar.

Assim, de acordo com o jornal, os estivadores de Setúbal aprovaram o regresso às horas extraordinárias já na próxima segunda-feira. Em greve desde dia 5 de novembro, o Governo terá dado, nas últimas horas, garantias aos representantes sindicais de que vai ajudar a encontrar uma solução para o diferendo dos trabalhadores efetivos, que representam 10% dos estivadores naquele porto.

Os termos da proposta levada a votação nesta sexta-feira indicavam que a greve deverá, no entanto, manter-se no Porto de Leixões, o que não afetaria o escoamento dos carros da Autoeuropa. Segundo o Público, isto significa que o acordo fechado desde 30 de novembro, para a contratação de 56 trabalhadores eventuais, pode avançar.

Assim, neste novo cenário, fica resolvida a situação que estava a afligir a administração da Autoeuropa, o Governo e a casa-mãe da Volkswagen, na Alemanha.

Os trabalhadores continuavam a trabalhar normalmente, mas foram alertados para a possibilidade de serem forçados a parar “por tempo indeterminado”, porque na sede da Volkswagen, em Wolfsburgo, se começou a questionar o envio de motores para Portugal, tendo em conta que a produção não estava a ser escoada.

Nas últimas horas, viveram-se horas de grande ansiedade em Palmela, temendo-se uma paragem forçada por tempo indeterminado. “Estamos todos na expectativa em relação ao que a ministra vai anunciar”, disse ao jornal um dos representantes dos trabalhadores.

O porto de Setúbal está praticamente parado há mais de um mês devido à recusa dos estivadores eventuais em se apresentarem ao trabalho, em protesto contra a situação de precariedade em que se encontram, alguns há mais de 20 anos.

Os estivadores eventuais, sem contrato de trabalho e sem quaisquer regalias, além do salário que recebem por cada turno realizado, representam a maioria da mão-de-obra disponível no porto de Setúbal, pelo que a recusa em se apresentarem ao trabalho tem inviabilizado a operação de movimentação de cargas.

“Dia extremamente importante para o Porto de Setúbal”

“É um dia extremamente importante para o Porto de Setúbal e naturalmente para a economia portuguesa, mas acima de tudo para todos os trabalhadores do Porto de Setúbal”, afirmou a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, resumindo o acordo assinado entre o Governo e os trabalhadores do Porto de Setúbal.

O acordo, assinado durante a conferência, põe fim à greve às horas extraordinárias. A ministra do Mar anunciou ainda a contratação imediata de 56 trabalhadores, bem como a contratação a curto prazo de mais dez trabalhadores.

Esta negociação não foi feita “sob pressão”, disse a ministra, adiantando que “todos os dias foram conseguidas pequenas conquistas”. “Tudo é para ser resolvido tão depressa quanto possível e tão devagar quão necessário.”

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Deixaram de ter quem lhes financiasse os dias de Greve?
    È como as Srs enfermeiras/os, já tem um plafond que dá quase para 1 ano de greve. Quem será que está a financiar esta gentinha?
    O que devia de acontecer era terem familiares muito próximos que necessitassem de ser operados e por causa da greve dos Srs enfermeiras/os, não sobrevivessem. Claro que os familiares não tem culpa, mas tb as pessoas que estão a morrer por culpa da greve não tem culpa.
    Que fiquem com um grande peso na consciência se é que a têm. Penso que a Srª Bastonária não deve ter ao vir para a televisão gabar-se das cirurgias adiadas e do mal que está a causar aos portugueses

  2. Quanto a mim o que eles vão pôr é fim às empresas naquela região do país, a história deve estar prestes a repetir-se a não ser que haja empresários com pachorra para aturar tanta irresponsabilidade o que não me parece pois as exigências de mercado não se compadecem com tais argumentos.

"Alcochete sempre". Equipa do Sporting vaiada à chegada aos Açores

A comitiva do Sporting foi este domingo vaiada à chegada ao hotel em Ponta Delgada, nos Açores, na véspera do jogo contra o Santa Clara. "Alcochete sempre", gritou um grupo de cerca de 30 adeptos à …

Os seus genes não são o único fator que determina o risco de Alzheimer

O desenvolvimento da doença de Alzheimer não está exclusivamente ligado à genética, sugere um artigo científico publicado recentemente. No primeiro estudo publicado sobre a doença de Alzheimer em trigémeos idênticos, os cientistas descobriram que, apesar de …

"Poções do amor" podem tornar-se na solução para uma relação eterna

Numa verdadeira fusão entre ficção e realidade, as nossas relações amorosas podem vir a ser salvas por uma "poção do amor". A solução passa por se recorrer à manipulação química do amor para tentar que …

Há uma segunda população estelar no disco espesso da Via Láctea

As estrelas que compõem o disco espesso da Via Láctea pertencem a duas populações estelares distintas, com características diferentes. Um novo estudo sobre a composição cinemática e química de uma amostra de estrelas nas proximidades do …

Igrejas evangélicas cultivam violência doméstica ao defender a supremacia dos homens sobre as mulheres

O facto de a igreja evangélica defender que o homem deve controlar a mulher apenas agrava o problema de violência doméstica, justificando os atos dos homens. Jane (nome fictício) era membro da comunidade cristã evangélica da …

A Cidade do México está a pagar aos seus polícias para que percam peso

A Polícia da Cidade do México está a levar a cabo um programa para combater o excesso de peso e a obesidade no seu efetivo através de incentivos financeiros.  Ao todo, escreve a agência AFP que …

Há um novo método para medir buracos negros

Os buracos negros supermassivos são os maiores buracos negros, com massas que podem exceder mil milhões de sóis. Apenas esta primavera foi divulgada a primeira imagem do buraco negro supermassivo no centro da galáxia M87, …

E Tudo o Vento Levou… há 80 anos

E Tudo o Vento Levou celebra este domingo 80 anos de vida, marcando a data da sua estreia nos Estados Unidos. Oito décadas depois, o filme mantém-se como uma das maiores obras primas do cinema …

O problema impossível mais simples do mundo está a levar matemáticos à loucura

Matemáticos avisam os seus colegas para se manterem longe da conjetura de Collatz. No entanto, Terence Tao decidiu arriscar, e está muito perto de resolver aquele que muitos chamam de o problema impossível mais simples …

Soldados da Guerra Civil dos EUA pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias

Investigadores encontraram evidências que indicam que soldados da Guerra Civil norte-americana pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias. Escavações em Camp Nelson, no Kentucky, revelaram restos de um estúdio de fotografia com 150 anos, o …