Estivadores de Setúbal aprovam acordo e põem fim à greve

André Areias / Lusa

Os trabalhadores do Porto de Setúbal aprovaram o acordo que vai pôr fim à greve às horas extraordinárias e também ao impasse na Autoeuropa, avança o jornal Público esta sexta-feira.

Os estivadores chegaram a acordo com os operadores portuários para a integração de 56 trabalhadores no Porto Setúbal. A notícia foi avançada à Lusa pelos estivadores desta estrutura portuária.

As mesmas fontes confirmaram que o acordo já foi aprovado pelos trabalhadores eventuais que se recusavam a apresentar-se ao trabalho desde o dia 5 novembro.

Depois de uma ameaça de uma paragem forçada na fábrica de Palmela, o Público avança que os trabalhadores do Porto de Setúbal aprovaram o acordo que vai pôr fim à greve às horas extraordinárias e ao impasse na Autoeuropa. O acordo foi confirmado pelo matutino junto dos trabalhadores e junto do gabinete da ministra do Mar.

Assim, de acordo com o jornal, os estivadores de Setúbal aprovaram o regresso às horas extraordinárias já na próxima segunda-feira. Em greve desde dia 5 de novembro, o Governo terá dado, nas últimas horas, garantias aos representantes sindicais de que vai ajudar a encontrar uma solução para o diferendo dos trabalhadores efetivos, que representam 10% dos estivadores naquele porto.

Os termos da proposta levada a votação nesta sexta-feira indicavam que a greve deverá, no entanto, manter-se no Porto de Leixões, o que não afetaria o escoamento dos carros da Autoeuropa. Segundo o Público, isto significa que o acordo fechado desde 30 de novembro, para a contratação de 56 trabalhadores eventuais, pode avançar.

Assim, neste novo cenário, fica resolvida a situação que estava a afligir a administração da Autoeuropa, o Governo e a casa-mãe da Volkswagen, na Alemanha.

Os trabalhadores continuavam a trabalhar normalmente, mas foram alertados para a possibilidade de serem forçados a parar “por tempo indeterminado”, porque na sede da Volkswagen, em Wolfsburgo, se começou a questionar o envio de motores para Portugal, tendo em conta que a produção não estava a ser escoada.

Nas últimas horas, viveram-se horas de grande ansiedade em Palmela, temendo-se uma paragem forçada por tempo indeterminado. “Estamos todos na expectativa em relação ao que a ministra vai anunciar”, disse ao jornal um dos representantes dos trabalhadores.

O porto de Setúbal está praticamente parado há mais de um mês devido à recusa dos estivadores eventuais em se apresentarem ao trabalho, em protesto contra a situação de precariedade em que se encontram, alguns há mais de 20 anos.

Os estivadores eventuais, sem contrato de trabalho e sem quaisquer regalias, além do salário que recebem por cada turno realizado, representam a maioria da mão-de-obra disponível no porto de Setúbal, pelo que a recusa em se apresentarem ao trabalho tem inviabilizado a operação de movimentação de cargas.

“Dia extremamente importante para o Porto de Setúbal”

“É um dia extremamente importante para o Porto de Setúbal e naturalmente para a economia portuguesa, mas acima de tudo para todos os trabalhadores do Porto de Setúbal”, afirmou a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, resumindo o acordo assinado entre o Governo e os trabalhadores do Porto de Setúbal.

O acordo, assinado durante a conferência, põe fim à greve às horas extraordinárias. A ministra do Mar anunciou ainda a contratação imediata de 56 trabalhadores, bem como a contratação a curto prazo de mais dez trabalhadores.

Esta negociação não foi feita “sob pressão”, disse a ministra, adiantando que “todos os dias foram conseguidas pequenas conquistas”. “Tudo é para ser resolvido tão depressa quanto possível e tão devagar quão necessário.”

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Deixaram de ter quem lhes financiasse os dias de Greve?
    È como as Srs enfermeiras/os, já tem um plafond que dá quase para 1 ano de greve. Quem será que está a financiar esta gentinha?
    O que devia de acontecer era terem familiares muito próximos que necessitassem de ser operados e por causa da greve dos Srs enfermeiras/os, não sobrevivessem. Claro que os familiares não tem culpa, mas tb as pessoas que estão a morrer por culpa da greve não tem culpa.
    Que fiquem com um grande peso na consciência se é que a têm. Penso que a Srª Bastonária não deve ter ao vir para a televisão gabar-se das cirurgias adiadas e do mal que está a causar aos portugueses

  2. Quanto a mim o que eles vão pôr é fim às empresas naquela região do país, a história deve estar prestes a repetir-se a não ser que haja empresários com pachorra para aturar tanta irresponsabilidade o que não me parece pois as exigências de mercado não se compadecem com tais argumentos.

RESPONDER

Na Colômbia, há um "arco-íris líquido" que é descrito como a 8ª maravilha do mundo

Escondido nos confins da Serra da Macarena, na Colômbia, está o rio Caño Cristales. De dezembro a maio, o curso de água é como outro qualquer, apesar de estar rodeado de um dos ecossistemas mais …

Com uma nova interface neural, a telepatia já é possível

Uma equipa internacional de cientistas deu um passo adiante no desenvolvimento de interfaces neuronais para propor uma interface que envolve a transferência de informação entre as pessoas diretamente. As interfaces cérebro-computador podem melhorar as habilidades individuais …

Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de …

Baleia encontrada morta nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago

Uma baleia foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, informou a imprensa local. O cetáceo, uma baleia-bicuda-de-cuvier, apareceu na sexta-feira à beira-mar no município de Mabini, …

Macron convoca reforços após novos confrontos de coletes amarelos

A nova manifestação de "coletes amarelos", no sábado, registou distúrbios violentos na capital francesa. Como resposta, o presidente francês Emmanuel Macron convocou um reforço das forças de segurança. O dia de sábado marcou mais um protesto …

Pedidos de nacionalidade portuguesa aumentaram 50% em dois anos

Nos últimos dois anos, o número de pedidos de nacionalidade portuguesa aumentou cerca de 50%, avança o jornal Público esta segunda-feira. Se em 2016 foram 117.629 os cidadãos estrangeiros que pediram a nacionalidade portuguesa, em 2018 …

Não há democracia na Coreia do Norte? "É uma opinião", diz Jerónimo

Jerónimo de Sousa evitou classificar o regime de Kim Jong-un em termos "de ser ou não ser" uma democracia. A Coreia do Norte é ou não uma democracia? "É uma opinião", respondeu Jerónimo de Sousa. Numa …

Afinal, o esparguete à bolonhesa não existe

Quando se trata de refeições italianas clássicas, a maioria das pessoas pensa em pratos simples como uma pizza Margherita, lasanha e esparguete à bolonhesa. Contudo, segundo Virginio Merola, presidente de Bolonha, em Itália, o esparguete à bolonhesa …

Javalis tomaram o lugar dos coelhos. "Muitos animais estão doentes"

Para já, não há perigo de saúde pública, mas os javalis carregam doenças que podem passar a outros animais. Se antes se matavam mil coelhos, abatem-se agora 10 javalis. Jacinto Amaro, presidente da Fencaça - Federação …

Maduro prepara reestruturação do Governo venezuelano

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu aos ministros do seu Governo que ponham os seus cargos à disposição, a fim de impulsionar uma "reestruturação profunda" do Executivo. O anúncio foi feito este domingo através do …