Estivadores chegaram a acordo para o fim da greve (após 15 horas de reunião)

Steven Governo / Lusa

Estivadores em greve fazem vigília junto ao acesso ao porto de Xabregas, em Lisboa

Estivadores em greve fazem vigília junto ao acesso ao porto de Xabregas, em Lisboa

Os estivadores e os operadores do Porto de Lisboa chegaram a acordo, ao fim de uma reunião de cerca de 15 horas que põe fim à greve.

O acordo alcançado esta sexta-feira à noite, no final de quase 15 horas de reunião, leva à imediata suspensão do pré-aviso de greve dos estivadores e prevê a assinatura, num prazo de 15 dias, de um novo contrato colectivo de trabalho com a Porlis, com um prazo de vigência de seis anos.

Dado que foi confirmado pelo Ministério do Mar, num comunicado onde se assinala que o acordo prevê a redacção de “um novo contrato colectivo de trabalho com base nas matérias acordadas e nas negociações decorridas entre 7 de Janeiro e 4 de Abril”.

Ficou acordado que a empresa de trabalho portuário “não poderá admitir mais trabalhadores, devendo a situação dos atuais ser resolvida desejavelmente no prazo máximo de dois anos”.

Relativamente à admissão de trabalhadores portuários foi também estipulada a admissão de “23 trabalhadores eventuais nos quadros da Empresa de Trabalho Portuário de Lisboa no prazo máximo de seis meses”.

No que respeita à progressão na carreira, foi acordado “um regime misto de progressões automáticas por decurso do tempo e de progressão por mérito com base em critérios objetivos”.

O acordo conseguido entre os estivadores e os operadores do porto de Lisboa constitui “uma solução em que ambas as partes ganham”, assinalou a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, no final da reunião.

“Conseguiu-se uma solução em que ambas as partes ganham, porque quer dizer que voltam ao trabalho e se poderá retomar o crescimento do porto de Lisboa”, disse Ana Paula Vitorino aos jornalistas.

“Problema ultrapassado”

O acordo entre os estivadores e os operadores surge depois de António Costa ter afirmado que o prazo para resolver o problema a bem era precisamente esta sexta-feira, notando que o governo procederia a um “grande esforço negocial” para tentar uma “solução negociada”.

“Há limites para tudo”, disse também o primeiro-ministro, realçando que, no caso de não haver acordo, o governo teria que encontrar outra alternativa como aquela que foi necessária para “a retirada dos contentores retidos”.

António Costa reagiu ao acordo alcançado entre estivadores e concessionários do Porto de Lisboa, dizendo que se trata de “um problema ultrapassado”, a bem da economia do país.

O primeiro-ministro recusa no entanto que tal tenha ficado a dever-se ao facto de ele próprio ter fixado o dia de ontem como data limite para haver um acordo.

“Não teve a ver com o deadline, teve a ver com a vontade das partes e o empenho que todos tiveram em chegar a acordo. Acho que é motivo de felicidade para toda a gente”, realçou o primeiro-ministro, ouvido pela RTP.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Estes comunas deveriam era ir trabalhar para a estiva na Coreia do Norte e então aí é que se veria se a ideologia deles lhes permitiria levantarem a voz contra o Kim-Jong-un ou se pelo contrário obedeceriam cegamente às ordens do ditador, infelizmente por cá têm a liberdade de continuar nos seus postos de trabalho impondo as suas ordens sempre que entendam e não tardarão mais exigências e mais greves.

Febre do lítio pede licença para chegar a Portugal

Com o potencial de ter as maiores reservas da Europa, a febre do lítio chegou a Portugal, onde se registaram duas dezenas de solicitações de prospecção este ano, embora as empresas mineiras continuem à espera …

Virgin Galactic abre as portas do primeiro aeroporto espacial do mundo

A empresa norte-americana Virgin Galactic, do bilionário Richard Branson, está a preparar o primeiro aeroporto espacial comercial do mundo, tendo revelado esta semana algumas das imagens daquelas que vão ser as instalações. O aeroporto, localizado …

A Internet está a regar esta planta há três anos

A comunidade online do Reddit tem tratado de uma planta durante três anos. Os utilizadores escolhem diariamente se a planta de ou não ser regada. Tudo começou com uma pequena brincadeira no Reddit, um dos maiores …

O pulmão de um chinês colapsou (e a culpa foi do karaoke)

O pulmão de um homem de 65 anos, na China, colapsou após ter tentado atingir uma nota alta durante uma intensa sessão de karaoke. O homem, residente em Nanchang, na província de Jiangxi, teria estado a …

"Emergência nacional". Deputados pedem a Boris que convoque imediatamente o Parlamento

Mais de 100 deputados britânicos pediram, numa carta divulgada este domingo, ao primeiro-ministro Boris Johnson para convocar imediatamente o Parlamento e voltar a debater o Brexit. As férias de verão do Parlamento terminam normalmente a 03 …

Rambo Luso. Há um português a viver na selva venezuelana há 25 anos

Há 25 anos que o português António Pestana Drumond realiza expedições às regiões de selva do Delta Amacuro e do Parque Nacional Canaima, leste da Venezuela, onde é conhecido pelos indígenas locais como o Rambo …

Já é possível saber se alguém está a mentir. Basta olhar nos olhos

Os olhos não mentem. Pelo menos é o que acham os investigadores da Universidade de Stirling, na Escócia, que criaram uma prova que diz se a pessoa está a mentir ou não com a monitorização …

A NASA detetou (e mediu) o primeiro choque interplanetário

A Multiscale Magnetospheric Mission (MMS) da agência espacial norte-americana conseguir fazer as primeiras medições de um choque interplanetário. Em comunicado, a NASA explica que os choques interplanetários são um tipo de choque sem colisão, no …

Quem ganhou a Segunda Guerra Mundial? Aliados e Eixo dizem que foram eles próprios

Em média, tanto os cidadãos de países dos Aliados como cidadãos de países do Eixo dizem que foram eles mesmos os vencedores da Segunda Guerra Mundial. Se perguntarmos a qualquer um dos poucos veteranos remanescentes da …

Norte-americano passou 30 anos na prisão por erro. Vai ser indemnizado em 10 milhões

Um norte-americano que há 30 anos foi erradamente condenado a 57 anos de prisão por violação e roubo vai agora receber uma indemnização de quase 10 milhões de dólares, avança o jornal New York Post. …