Sem garantias, Estado vai emprestar 145 milhões aos lesados do BES

O Estado vai emprestar 145 milhões de euros ao fundo de recuperação de créditos para os lesados do Banco Espírito Santo (BES), mas ainda não se conhecem as garantias exigidas pelo Governo.

O Estado deverá emprestar 145 milhões de euros ao fundo de recuperação de créditos para os lesados do Banco Espírito Santo (BES). No entanto, até agora, desconhecem-se as condições e garantias do financiamento exigidas pelo Governo à sociedade gestora, avança, esta quarta-feira, o Jornal de Notícias.

Mas, embora estejam ainda por conhecer as condições e garantias desta operação, a expectativa do Governo é a de que o fundo Patris consiga recuperar o valor e, assim, reembolsar o Estado.

O fundo dispõe de um período de dez anos para conseguir o máximo dos 443,8 milhões de euros dos antigos clientes. Contudo, enquanto não os obtém, precisa de avançar com os reembolsos aos lesados.

Desta forma, até junho, o Estado irá cobrir o valor acordado entre as várias partes envolvidas no processo. Quem subscreveu esse plano irá receber 30% até junho e, posteriormente, mais 20% a 45% em duas novas tranches, nos próximos dois anos, consoante o valor investido seja abaixo ou acima de 500 mil euros, explica o jornal.

Caso todos os lesados adiram ao fundo, serão pagos, no total 287 milhões de euros, cerca de 66% do total inicialmente investido.

A proposta de subscrição para os lesados obterem as suas compensações está aberta até dia 12 de abril. Entre as garantias já conhecidas, está o pedido feito aos lesados que investiram em papel comercial do ESI e da Rioforte para que renunciem a qualquer tipo de reclamação, ação ou processo judicial contra o Novo Banco, Banco de Portugal, Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e restantes acionistas e gestores.

Segundo João Freitas e Costa, administrador da Patris, citado pelo JN, estão identificadas “cerca de 150 entidades que poderão ser chamadas a assumir responsabilidades na recuperação desses créditos”.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. A questão dos lesados do BES já cheira mal. E mais mal ainda quando o Governo actua à revelia da generalidade dos contribuintes e ao contrário do que poderia, para não dizer deveria, ser a sua posição.
    Mas como a questão apenas diz respeito ao BES e a quem nele investiu, até se pode admitir que o Estado se abstenha de agir.
    O que não faz sentido é que quem não tinha dinheiro para investir no BES, tenha agora de contribuir para amenizar o problema daqueles que investiram.
    Quem arriscou sujeitou-se. É da praxe! E a ser assim, é caso para se admitir que tudo não passe de uma falsa questão. Mas se entende que foi burlado, que recorra aos tribunais, não àqueles que nada têm que ver com o assunto. Só faltava eu dizer que sou um lesado da Santa Casa da Misericórdia por ter jogado anos seguidos na lotaria sem nunca ter sido premiado!!!
    Os 145 milhões que o Estado vai emprestar, serão emprestados se voltar a recebe-los, com juros. Mas à partida tenho dúvidas que tal venha a acontecer. Se tal empréstimo não for liquidado, será mais que legítimo dizer-se que os contribuintes portugueses foram lesados pelos lesados do BES.

  2. Os milhões que dão para “salvar” os bancos, DAVA de bom agrado às PESSOAS LESADAS e não a esses parasitas económicos da sociedade.
    Ponham os olhos no que aconteceu na Islândia. CORAGEM precisa-se!

  3. Mau!
    Lesados do BES são todos os portugueses!!
    Agora tirar ainda mais aos portugueses para dar a uns “lesados” (que de lesados tem pouco), é roubar ao povo para dar a meia-duzia.

RESPONDER

Portugal regista 677 novos casos de covid-19 e cinco mortes

Portugal registou, este domingo, 677 novos casos e cinco mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Estudo mostra como diferentes espécies de polvos coexistem no mesmo ambiente

Existem mais de 300 espécies de polvos a viver em diversos habitats que abrangem recifes de coral, leitos de ervas marinhas, planícies de areia e regiões de gelo polar. Mas de que forma cefalópodes tão …

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …

Secreto e lucrativo, o mercado de venda de "fezes de cachalote" pode também ser violento

O âmbar cinza é altamente raro, mas também altamente valioso. Usada na indústria dos perfumes, o mercado deste material pode ser muito perigoso. Deixa na pele uma resina oleosa e tem um cheiro a tabaco, madeira, …

Empresa norueguesa garante que pode "parar" furacões antes que estes se tornam destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de "cortina de bolhas" proposto pela empresa pode provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, uma startup norueguesa, assegura que a sua nova tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem …

Afeganistão: Familiares consideram "insuficientes" pedido de desculpas dos EUA

Familiares dos civis afegãos mortos por "engano" durante um ataque de um avião não tripulado 'drone' norte-americano no final de agosto em Cabul consideraram este sábado "insuficiente" o pedido de desculpas de Washington, numa entrevista …

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …

Morreu aos 98 anos o historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França

O historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França morreu este sábado, aos 98 anos, na casa de saúde de Jarzé, perto da cidade francesa de Angers, disse à Lusa a pintora Emília Nadal, sua …

Ventura: "Não vejo outra possibilidade senão a ministra da Saúde ou pedir desculpa ou ser afastada"

O Chega vai questionar formalmente o Governo pelo “facto de a ministra da Saúde ter utilizado um carro do Estado” para ir a uma ação de campanha no Porto na sexta-feira, anunciou este sábado André …

Ouvir 30 segundos de uma sonata de Mozart pode reduzir ataques de epilepsia

Ouvir a Sonata para Dois Pianos em Ré Maior (K448), de Wolfgang Amadeus Mozart, durante pelo menos 30 segundos, ajuda a reduzir a atividade elétrica cerebral associada à epilepsia resistente a medicação. Os resultados também sugerem …