Escócia é o primeiro país a tornar os produtos menstruais gratuitos

Os produtos de higiene íntima feminina vão passar a ser gratuitos na Escócia. A primeira medida do género em todo o mundo entrará em vigor em janeiro e tem o objetivo de combater a “pobreza menstrual”.

A Escócia tornou-se, esta terça-feira, no primeiro país a permitir o acesso gratuito a produtos menstruais, como pensos higiénicos e tampões, que passarão a estar disponíveis em locais previamente designados, como centros comunitários, associações juvenis e farmácias, revela a CNN.

Estima-se que a nova medida terá um custo anual de 8,4 milhões de libras (cerca de 9,4 milhões de euros) e caberá às autarquias locais e aos prestadores de ensino assegurar a disponibilidade dos produtos gratuitamente.

“A Escócia não será o país que acaba com a pobreza menstrual, mas temos a hipótese de ser os primeiros”, disse Monica Lennon, a deputada trabalhista que propôs a nova lei no ano passado.

“Isto é um sinal para o mundo de que o acesso universal gratuito a produtos para o período pode ser alcançado”, acrescentou.

Num documento de apoio à legislação, Lennon disse ainda que será razoável esperar 20% de adesão à nova medida, tendo em conta que as estatísticas oficiais de desigualdade mostram que quase 20% das mulheres na Escócia vivem em relativa pobreza.

A nova lei foi elogiada por vários grupos de direitos das mulheres, bem como por políticos de todos os partidos representados no Parlamento daquele país.

A primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, descreveu o momento em que a lei foi aprovada (sem votos contra nem abstenções) como “uma decisão importante para as mulheres e raparigas”.

Sinto orgulho nesta legislação inovadora, que faz da Escócia o primeiro país do mundo a disponibilizar, de forma gratuita, produtos menstruais a todas as mulheres que precisem”, disse Sturgeon na rede social Twitter.

No Reino Unido, uma em cada dez adolescentes não têm possibilidades para comprar produtos de higiene íntima feminina, segundo uma sondagem feita em 2017 pela organização Plan International.

Além disso, a pesquisa também descobriu que quase metade das raparigas com idades entre os 14 e os 21 anos sente vergonha do período e cerca de metade já faltou à escola por não ter acesso aos produtos.

Em 2018, a Escócia foi também o primeiro país a disponibilizar de forma gratuita produtos de higiene íntima em escolas e universidades.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Governo francês vai dar 100 euros a famílias carenciadas para pagar energia

O Governo francês vai entregar um cheque de 100 euros a 5,8 milhões de famílias de menores recursos para ajudar a pagar a fatura energética. A medida anunciada pelo executivo vai ter um custo de 580 …

Incidência e R(t) recuam em dia com mais 1.023 infetados e sete mortes

Portugal registou, esta sexta-feira, 1.023 novos casos e sete mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Apoiantes de Navalny acusam Google e Apple de "censura" política

Os apoiantes de Alexei Navalny acusaram hoje as empresas Google e Apple de terem suprimido o apelo ao voto "útil" proposto pelo oposicionista através das respetivas plataformas, denunciando "censura" num processo eleitoral em que a …

Presidente da República argentino cancela viagens para impedir que vice assuma Governo

Cristina Kirchner é parceira maioritária na coligação de Governo e exige, entre outras mudanças, a substituição de ários ministros, secretários e presidentes de organismos públicos. Recentemente, tem mostrado em público o seu descontentamento face à …

"Bazuca" europeia não resolve problema da falta de habitação

De acordo com vários especialistas, as 26 mil casas identificadas como prio­ritárias pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) não chegam para as necessidades do país, que podem chegar às 46 mil. A questão da aplicação …

Peça que terá sido usada no batismo de D.Maria II está à venda. Estado não a compra por ser demasiado cara

Há uma semana que está à venda uma peça que pertenceu à coroa portuguesa. Terá pertencido à família real depois do Terramoto de 1755 e, de acordo com o antiquário que agora a comercializa, terá …

"Dupla pancada". Vítimas de violência doméstica são deixadas ao abandono sem indemnização

Mais de 80% das vítimas de violência doméstica, a maioria mulheres, não recebem indemnizações, nem dos agressores nem do Estado. Se as vítimas não tiverem sofrido uma incapacidade para o trabalho por um período igual ou …

Ministério Público declara ilegal eleição de André Ventura

Ministério Público invalidou a mudança nos estatutos do Chega, incluindo a eleição direta de André Ventura. O líder do partido admite um novo congresso. No início do mês, o Ministério Público (MP) pediu ao Tribunal Constitucional …

Ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos demite-se por causa do Afeganistão

Sigrid Kaag demitiu-se do seu cargo de ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos, depois de o Parlamento considerar que o Governo fez uma má gestão da retirada de cidadãos do Afeganistão. A ministra dos Negócios …

Rio "atirou" Costa aos macacos e pediu aos eleitores que "penalizem" o descaramento do PS

Rui Rio afirma nunca ter visto um "desplante" semelhante ao do PS no que respeita a promessas eleitorais como o que está a acontecer na atual campanha para as autárquicas. Mais um dia, mais uma capelinha. …