Erro administrativo tira quatro milhões aos salários da Polícia Judiciária

Tiago Henrique Marques / Lusa

Um erro no processamento dos salários de cerca de dois mil elementos da PJ, de apenas 12 euros mensais, mas que dura há pelo menos oito anos, levou os funcionários a reclamar um total de cerca de quatro milhões de euros.

O Sindicato dos Funcionários de Investigação Criminal (ASFIC) da PJ está a preparar uma ação em tribunal. Há vários meses que a falta de reposição da totalidade do subsídio está a gerar contestação, avança o Jornal de Notícias esta manhã.

Na origem do erro administrativo está a não reposição, na íntegra, do subsídio de risco, depois de o Governo de José Sócrates ter congelado as progressões nas carreiras e todos os suplementos remuneratórios, entre 2006 e início de 2008.

Logo a seguir, os subsídios foram repostos, mas, no caso da PJ, apenas parcialmente. Em vez dos 402 euros correspondentes a 25% do salário do primeiro escalão da categoria de inspetores, os funcionários da carreira de investigação criminal, os da área funcional de criminalista, assim como os seguranças, passaram a receber menos 12 euros mensais.

Em 2015, um funcionário da PJ do Porto detetou o erro e apelou à intervenção do Centro de Arbitragem Administrativa (CAAD), que lhe deu razão. O funcionário, que pertence ao quadro de seguranças, reclamava a reposição da totalidade dos subsídios de turno e de risco e ainda das horas extraordinárias, desde 2007.

O CAAD entendeu que deveria ser feita a reposição dos suplementos desde janeiro de 2010, condenando ainda o Ministério da Justiça a pagar-lhe juros de mora, desde janeiro de 2015, data em que tinha interposto a ação.

Em junho, a ASFIC tomou conhecimento da decisão favorável do CAAD e diligenciou para que fosse reposta a integralidade do subsídio de risco de todos os inspetores.

“Comunicamos o caso à anterior direção da PJ, no sentido de proceder ao pagamento, com os retroativos. Entretanto, foi nomeada uma nova direção que, sabemos, remeteu o caso ao Ministério. Ainda não há resposta“, disse Ricardo Valadas, presidente da ASFIC, garantindo que a verba em causa, nesta altura, é de cerca de quatro milhões de euros.

“São cerca de 12 euros por mês que durante dez anos não foram pagos e já representa um valor bastante elevado. Com a falta de resposta, estamos neste momento a preparar tudo para avançar com uma ação em tribunal. É que o erro foi detetado e não estamos a pedir o que não é nosso. Continua a insistir-se no erro em vez de o corrigir de imediato. O Ministério tem de resolver”, adiantou Ricardo Valadas.

De acordo com as contas feitas pela ASFIC, o valor acumulado ao longo dos anos representa hoje cerca de 1400 euros, em média, para cada elemento da PJ, mais juros. Para além dos investigadores da PJ, também os seguranças, pessoal de apoio e criminalistas reclamam do erro na reposição do subsídio. São dois mil funcionários.

A Direção Nacional da Polícia Judiciária explicou ter já remetido a decisão do CAAD ao Ministério da Justiça, para que os seus serviços jurídicos analisassem o pedido da ASFIC. Neste momento, aguardam uma decisão.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas obrigados rebatizar dezenas de genes humanos por causa do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é parecida com fogo florestal, não com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …

Fair-play financeiro. UEFA mantém restrições ao FC Porto

A UEFA informou, esta sexta-feira, que o FC Porto "cumpriu parcialmente as metas estabelecidas para a época 2019/20" a nível do fair-play financeiro e que vai manter as restrições impostas ao clube azul e branco. "O …

Procuradora-geral de Nova Iorque quer dissolver NRA após investigação de fraude

A procuradora-geral de Nova Iorque anunciou, esta quinta-feira, ter movido um processo judicial contra a National Rifle Association (NRA), depois de uma investigação que mostra que os seus dirigentes desviaram milhões de dólares para benefício …

MP abre inquérito sobre surto em lar de Reguengos de Monsaraz

O Ministério Público (MP) instaurou um inquérito sobre o surto de covid-19 num lar em Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora, que já provocou 18 mortos. Questionada pela agência Lusa, a Procuradoria-Geral da República (PGR) …

Ciclista Fabio Jakobsen já saiu do coma induzido

O ciclista holandês saiu do coma induzido, dois dias depois de uma violenta queda na primeira etapa do Tour da Polónia, que o deixou em estado grave e obrigou a uma cirurgia de cinco horas. "Temos …

Explosão em Beirute equivalente a várias centenas de toneladas de TNT, dizem especialistas

A explosão no porto de Beirute, que na terça-feira matou mais de cem pessoas e deixou milhares de outras feridas, terá sido desencadeada por 2.750 toneladas de nitrato de amónio. Segundo especialistas, foi o equivalente …