Encontrado gafanhoto com 128 anos escondido num quadro de Van Gogh

Vincent van Gogh (1853–1890)

“Olive Trees” de Van Gogh, 1889

Uma conservadora de um museu fez uma descoberta surpreendente num quadro de Vincent Van Gogh, pintado há 128 anos: deparou-se com um gafanhoto embutido na tinta.

A descoberta aconteceu quando a especialista Mary Schafer, do Museu de Arte Nelson-Atkins, em Kansas City, nos EUA, examinava a pintura “Olive Trees” (Oliveiras) de Van Gogh.

O objectivo da conservadora era explorar o processo de criação do pintor holandês. Mas eis que aconteceu a descoberta surpreendente: um gafanhoto embutido na tinta.

“Estava a observar a obra com o microscópio e deparei-me com o corpo minúsculo de um gafanhoto a meio da pintura, preso ali desde 1889″, salienta a conservadora, citada pela BBC.

“Isto diz-nos que Van Gogh estava a pintar ao ar livre e imaginámo-lo a lutar com os elementos, lidando com o vento, os insectos, e depois transportando a pintura molhada do campo para o seu estúdio”, explica a especialista.

A conservadora está habituada a encontrar areia, em quadros com cenas de praia, e restos de plantas, em pinturas que retratam florestas. E por isso, inicialmente, pensou que era “a impressão de uma pequena folha”, refere em declarações ao Live Science. Mas tratava-se afinal de “um insecto minúsculo”.

Mary Schafer contactou o professor de paleontologia Michael Engel, da Universidade do Kansas, nos EUA, para tentar descobrir mais detalhes sobre a pintura de Van Gogh. E foi este especialista que estudou o gafanhoto, concluindo que lhe faltam o tórax e o abdómen que poderiam dar sinais sobre a sua última refeição e, logo, indícios da estação em que terá morrido.

Engel também não encontrou sinais de movimento na pintura circundante ao gafanhoto, concluindo, assim, que o insecto já estava morto, provavelmente colado ao pincel de Van Gogh, quando aderiu ao quadro, destaca a BBC.

Pintado no sanatório

Van Gogh pintou “Olive Trees” em 1889, numa altura em que estava internado no sanatório Saint-Rémy-de-Provence, a cerca de 30 quilómetros de Arlés, no sul de França.

Cerca de um ano antes, o pintor tinha cortado parte da sua orelha esquerda, após uma disputa com o artista francês Paul Gauguin, de acordo com uma das versões sobre o incidente.

Na altura, Van Gogh chegou a queixar-se do incómodo de pintar ao ar livre, em parte por causa dos insectos, numa carta enviada ao irmão mais novo, o comerciante de arte Theo van Gogh.

“Devo ter apanhado algumas centenas de moscas nas quatro telas que te estou a enviar, já para não dizer poeira e areia”, escreveu Van Gogh em 1885, segundo cita a BBC.

ZAP // BBC

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Alemanha soube mais do que Portugal. Bloco exige explicações do Governo

O Parlamento alemão terá discutido e votado um documento com as condições exigidas a Portugal para o pagamento antecipado ao FMI, enquanto que a Assembleia da República portuguesa não teve acesso a essa informação. O Bloco …

“Eu sei cortar”. Turquia revela áudio de assassino de Khashoggi

Foi divulgada mais uma prova do assassinato do jornalista saudita, Jamal Khashoggi, no consulado saudita em Istambul: uma gravação captada no momento do crime, na qual se ouve um dos assassinos dizer “eu sei cortar”. Quem …

Comité que planeou tomada de posse de Trump investigado

O comité que organizou a tomada de posse de Donald Trump está a ser investigado por suspeitas em torno do uso de 107 milhões de dólares que lhe chegaram através de donativos. A investigação, ainda embrionária, …

Catástrofe cósmica pode ter aniquilado tubarões pré-históricos gigantes

A explosão de estrelas há 2,6 milhões de anos pode ter contribuído para a extinção em massa que varreu os oceanos pré-históricos da Terra, eliminando criaturas como o tubarão gigante conhecido como Megalodon. Partículas cósmicas destas …

"Coletes Amarelos" já chegaram a Israel. Protestam contra a subida de preços

Algumas centenas de manifestantes com coletes amarelos e imitando a contestação em França protestaram esta sexta-feira em Telavive e Jerusalém contra o aumento do custo de vida anunciado para 2019. Respondendo a um apelo nas redes …

Silvano apoia sanções a presenças-fantasma desde que se separem registos

O secretário-geral do PSD disse que apoiará sanções que venham a ser incluídas no regulamento da bancada para falsas presenças de deputados, desde que exista uma separação entre o registo de acesso ao sistema e …

Caçador da Idade da Pedra não foi vítima de canibalismo. Foi queimado vivo

O crânio partido de um caçador que viveu há cerca de 8.000 anos não é evidência de canibalismo, como os investigadores pensavam anteriormente. Em vez disso, o caçador morreu num terrível assassinato, sugere um novo …

Mordida de formiga "drácula" é cinco mil vezes mais rápida que um piscar de olhos

A formiga "drácula", nome popular da Mystrium camillae, é um inseto que vive no Sudeste Asiático e na Oceânia. A sua mordida é a mais rápida do mundo animal, com velocidade de 320 quilómetros por …

Os vulcões podem ser alimentados por "reservatórios de papa"

Afinal, os vulcões podem não ser alimentados pelo magma derretido que se forma nas enormes câmaras magmáticas, mas antes por "reservatórios de papa", áreas quase totalmente repletas cristais, onde o magma flui nos pequenos espaços …

Onde foram todos os Neptunos quentes? Um planeta a encolher guarda a resposta

Há anos que os astrónomos procuram uma explicação para a misteriosa ausência de planetas do tamanho de Neptuno noutros sistemas. Uma equipa de investigadores descobriu agora que um desses planetas está a perder a sua …