Empresas vão perder 1,17 mil milhões de euros graças aos falsos “influencers”

Os chamados “influencers”, que por vezes compram seguidores e criam perfis falsos, vão fazer com que as empresas percam este ano 1,17 mil milhões de euros.

A fraude no mercado emergente dos chamados “influencers” é muito maior do que se pensava e, de acordo com um novo relatório da CHEQ, uma empresa de cibersegurança sediada em Nova Iorque, nos Estados Unidos, só este ano vai fazer com que as empresas percam 1,3 mil milhões de dólares, cerca de 1,17 mil milhões de euros.

E estes são apenas os custos calculáveis do marketing de falsos influenciadores, porque “os custos indiretos são muito mais difíceis de medir”, afirma Roberto Cavazos, economista e professor da Universidade de Baltimore que conduziu esta análise, citado pela CBS News.

A nível mundial, as empresas gastam cerca de 8,5 mil milhões de dólares por ano para persuadir estes influenciadores a publicitar os seus produtos, de acordo com a empresa de “influencer marketing” Mediakix.

Num bom dia, alerta Cavazos, cerca de 15% dos valores gastos pelas empresas são perdidos neste tipo de fraude, uma vez que nem sempre os influenciadores têm tantos seguidores como querem fazer parecer. “É um enorme desperdício”, afirma.

As marcas geralmente pagam a estas pessoas com base no seu alcance nas redes sociais, medido pelo seu número de seguidores. O problema, no entanto, é que muitos destes utilizadores compram falsos seguidores ou continuam a contar seguidores que já nem interagem numa determinada plataforma, ou seja, as marcas estão a pagar por uma coisa que na realidade não existe.

Os grandes influenciadores, com contas que atingem milhões de seguidores, podem receber até 250 mil dólares, cerca de 220 mil euros, para partilhar um post numa rede social. Segundo Cavazos, cerca de 38 mil dólares deste dinheiro são perdidos no meio desta fraude.

De acordo com o economista, esta situação pode abalar a confiança das empresas e dos próprios utilizadores nos “influencers”. “Toda a gente tem redes sociais e vê estes influenciadores a mostrarem como este ou aquele produto são ótimos e até sentimos afinidade. Mas, à medida que a fraude aumenta, começamos a perder a confiança“.

“Se existe uma conta com um milhão de seguidores, mas com posts que têm 80 ou cem gostos no máximo, isso é imediatamente suspeito”, explica Daniel Avital, diretor de estratégia da CHEQ, que deixa ainda um apelo às redes sociais.

“Facebooks e Twitters deste mundo, vocês precisam de criar tecnologia que consiga de forma automática e autónoma encontrar estas contas falsas e desativá-las. Este processo é principalmente manual e é como o ‘Whac-A-Mole’ [famoso jogo arcade]: as toupeiras estão a aparecer a ritmo muito mais rápido do que qualquer um é capaz de as derrubar”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Rio Ave não vai admitir adeptos nos jogos

Federação confirmou que o público pode voltar ao futebol mas o clube de Vila do Conde considera que a medida anunciada é injusta e tardia. Algumas competições organizadas pela Federação Portuguesa de Futebol estão autorizadas a …

Parlamento levanta imunidade a André Ventura

O levantamento da imunidade parlamentar permite a André Ventura responder perante o Tribunal Judicial da Comarca de Braga sobre o jantar-comício nas presidenciais, que contou com mais de 170 pessoas. O Parlamento levantou, esta sexta-feira, a …

Adeptos do Parma contestam regresso do Buffon "mercenário"

Faixa exibida à porta do estádio do Parma recorda saída para a Juventus, em 2001: "Saíste como mercenário". Gianluigi Buffon está de volta ao Parma, 20 anos depois. Mas nem todos os adeptos do emblema italiano …

Ex-adjunta da ministra da Justiça vai investigar corrupção no Governo

A magistrada Carolina Costa, que foi adjunta da ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, foi escolhida para integrar o Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP). Ora, este órgão, está a investigar vários elementos …

Coro de críticas ao "fecho" da Área Metropolitana de Lisboa aumenta. Governo insiste que medida é constitucional

O Governo insiste que o "fecho" da Área Metropolitana de Lisboa (AML) é uma medida prevista na situação de calamidade, mas o coro de críticas aumenta. Na conferência de imprensa desta quinta-feira, a ministra Mariana Vieira …

Como foi possível? "Inquérito urgente" à transferência de 788 mil euros para desempregado

Ainda não se sabe como é que foi possível que a Segurança Social tenha transferido 788 mil euros para um desempregado. O caso já levou à abertura de um "inquérito urgente" e o Governo quer …

MP investiga protesto com alegadas saudações nazi

Uma fonte oficial da Procuradoria-Geral da República revelou esta sexta-feira que foi instaurado um inquérito, dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, às alegadas saudações nazi na manifestação que ocorreu na Praça …

Eriksen tem alta hospitalar

Seis dias depois de sofrer uma paragem cardíaca, Christian Eriksen teve alta hospitalar e visitou o estágio da seleção dinamarquesa antes de regressar a casa. Christian Eriksen teve alta hospitalar esta sexta-feira, confirmou a federação dinamarquesa, …

MP francês pede seis meses de prisão efetiva para Sarkozy

O Ministério Público (MP) pediu na quinta-feira um ano de prisão, com seis meses de pena efetiva, para o ex-Presidente francês Nicolas Sarkozy, julgado em Paris na sequência de uma investigação ao financiamento irregular na …

Portugueses já podem pedir Certificado Digital Covid

Os portugueses já podem pedir o Certificado Digital Covid, o documento que facilita as viagens para o estrangeiro durante as férias. O primeiro-ministro, António Costa, anunciou que os portugueses poderiam pedir o seu certificado digital europeu …