/

Há uma empresa neozelandesa em que se trabalha 4 dias por semana (e ganha-se o mesmo)

3

Os trabalhadores da Perpetual Guardian trabalham apenas quatro dias por semana e recebem o mesmo salário. A empresa neozelandesa decidiu fazer a experiência e os resultados não poderiam ser melhores.

Mantendo o mesmo salário e sem necessidade de fazerem horas extra, os funcionários da empresa Perpetual Guardian, na Nova Zelândia, puderam tirar um dia de folga por semana. Esta experiência foi realizada durante oito semanas e revelou ser um autêntico sucesso.

A empresa gerou o mesmo mas com menos um dia de trabalho, fazendo com que a produtividade aumentasse, assim como os níveis de motivação dos funcionários. O diretor da empresa afirmou que os resultados foram “excitantes”, destacando um maior equilíbrio entre a vida profissional e a vida familiar.

Andrew Barnes, fundador e diretor da Perpetual Guardian, é o responsável pela ideia de implementar a semana de apenas quatro dias de trabalho. E não se arrepende! Em entrevista à Radio Live, o diretor revelou ainda que a ligação entre os funcionários da empresa aumentou significativamente. “As pessoas ficaram mais confortáveis com a organização da empresa”, declarou.

No entanto, a existência de um dia de folga extra existe um maior empenho por parte dos trabalhadores para que os níveis de produtividade se mantenham inalterados. “Nós não reduzimos o número de horas de trabalho contratualizadas, mas o que dissemos foi: ‘se não mantêm a produtividade retiramos o presente’”, explicou Barnes.

Segundo o Diário de Notícias, os 240 trabalhadores da empresa neozelandesa mantiveram a produtividade e, inacreditavelmente, os níveis de stress diminuíram a olhos vistos.

Ainda assim, os funcionários precisaram de um período de adaptação. Segundo o diretor, tiveram de se ajustar a esta nova realidade, que começou a ser testada em março deste ano. Apesar da regalia, Barnes deixa claro que “isto é um presente, e não um direito”.

Se me dão a produtividade que eu quero eu dou um dia de folga. É respeito mútuo”, afirmou, aconselhando todas as empresas do país a seguirem este exemplo de modelo de trabalho.

As oito semanas desta experiência foram analisadas por académicos da Universidade de Auckland. Através de várias entrevistas e análises, os especialistas chegaram à conclusão que a semana de quatro dia de trabalho não teve qualquer efeito negativo na produtividade da empresa… pelo contrário!

Ao The Guardian, Helen Delaney, professora da Escola de Negócios da Universidade de Auckland, disse que os funcionários “projetaram uma série de inovações e iniciativas para trabalhar de uma forma mais eficiente e produtiva, desde automatizar processos manuais ou eliminar o uso da internet não relacionado com o trabalho”.

Antes desta experiência revolucionária, 54% dos funcionários afirmaram que conseguiram equilibrar a sua vida profissional com a sua vida familiar. Mas este número aumentou para 78% após estas oito semanas. Além disso, o nível de stress diminuiu 7% e a satisfação da vida subiu em 5%.

Para já, a semana de quatro dias de trabalho não é permanente na empresa, mas Barnes está já a trabalhar nesse sentido. O diretor da Perpetual GUardian vai enviar à administração recomendações para que este modelo de trabalho não se extinga e se torne comum nesta empresa.

  ZAP //

3 Comments

  1. E em Portugal há uma empresa onde não se trabalha nenhum dia por semana e ganha-se mais do que em qualquer outro lado: É O ESTADO!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE