Ao repto de Costa, Catarina Martins responde: “Eleições não são sobre os humores dos partidos”

Manuel Fernando Araújo / Lusa

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins.

Catarina Martins foi a Setúbal falar de Proteção Civil e alterações climáticas, mas António Costa e André Ventura acabaram por ser os alvos.

Depois de o secretário-geral do PS ter feito um apelo à maioria absoluta, na Madeira, Catarina Martins desvalorizou, dizendo aos jornalistas que “os partidos podem dizer o que quiserem neste momento”.

“O que todos sabemos é que com a força de votos no dia a seguir se constroem as soluções. Se os partidos que defendem o SNS tiverem maioria, por que havíamos de ter um Governo que quer privatizar a Saúde?”, atirou, segundo o Observador.

Questionada pela comunicação sobre se o afastamento do PS não frustra um acordo à esquerda, a coordenadora bloquista foi clara.

“Também ouviram isso em 2015… As eleições não são sobre os humores dos partidos”, respondeu, salientando que, independentemente do discurso do PS, Costa terá mesmo que negociar depois do dia 30 de janeiro.

Catarina Martins insistiu que as eleições legislativas são sobre o país que os portugueses querem construir no combate à precariedade, na salvação do Serviço Nacional de Saúde, na resposta à emergência climática ou no direito à habitação.

“Se essas ideias tiverem força, se o Bloco de Esquerda tiver força haverá uma solução de Governo que responderá pela saúde, pelo trabalho, pela educação, pela habitação”, assegurou.

Na perspetiva da líder do Bloco, nas legislativas escolhem-se os “programas para o país” e, “é com a força que esses programas tiverem que se encontrarão as soluções de governação”.

Perante a insistência sobre se não vê o PS a afastar de uma convergência de esquerda, Catarina Martins foi perentória: “Nós não vamos a eleições votar em soluções de maiorias. Cada pessoa tem um voto e com o seu voto, vota no que lhe responde”.

“Quer SNS? sabe que vota no Bloco de Esquerda. Está preocupada com a emergência climática? Sabe que vota no Bloco de Esquerda. Quer combater a precariedade? Vota no Bloco de Esquerda”, afirmou, defendendo que é “com a força de cada voto se constroem as soluções no dia seguinte”.

Findos os ataques aos socialistas, foi a vez de atirar contra o líder do Chega, depois de André Ventura ter admitido ontem que seria uma derrota ficar atrás nos bloquistas.

“O Bloco de Esquerda quer impor essa derrota a André Ventura e à extrema-direita e a quem semeia violência e racismo e insulta os mais pobres e vulneráveis”, sustentou Catarina Martins. “Sim, o BE como terceira força será não só a forma de termos uma solução para o país mas também uma derrota para a extrema-direita.”

Quanto a sondagens, respondeu: “Tenho visto sondagens para todos os gostos.”

  Liliana Malainho, ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE