EDP recusa encerrar a central termoelétrica mais poluente do país

EDP

Central Termoelétrica de Sines

Central Termoelétrica de Sines

O administrador da EDP, Rui Teixeira, recusa-se a encerrar a Central Termoelétrica de Sines, que é apontada pela empresa ambientalista Zero como a maior unidade poluidora em Portugal.

A Associação Sistema Terrestre Sustentável – Zero elaborou um ranking das empresas e setores com mais emissões de gases com efeito de estufa, baseando-se nos relatórios oficiais do Comércio Europeu de Licenças de Emissão (CELE).

Os dois primeiros lugares do ranking das empresas mais poluentes são ocupados por centrais termoelétricas a carvão – de Sines (da EDP) e do Pego (da Tejo Energia) – que juntas representam quase um quinto das emissões de dióxido de carbono equivalente de Portugal.

“Nas empresas, segundo dados de 2015, em primeiro lugar está a central de Sines, claramente destacada, com mais de 13% das emissões totais de Portugal, seguida da central do Pego, duas centrais a carvão que têm um peso muito grande nas emissões de dióxido de carbono”, revela o presidente da Zero, Francisco Ferreira.

O presidente da associação disse, em declarações à Antena 1, que “é inevitável que as centrais fechem mais cedo ou mais tarde, e portanto aqui a questão é saber quando é que estas empresas o vão fazer”.

No entanto, o administrador da EDP, Rui Teixeira, afirmou à TSF que a Central Termoelétrica de Sines é a mais eficiente do país, dando a entender que não irá encerrá-la.

Os ambientalistas continuam a defender que as centrais poluentes deviam ser substituídas por centrais de ciclo combinado, a gás natural, que poluem muito menos.

Francisco Ferreira destaca que “a queima de carvão é muito ineficiente e por cada quilowatt hora de eletricidade produzida emitem cerca de 900 gramas de dióxido de carbono equivalente”, enquanto uma unidade de ciclo combinado a gás natural emite apenas 360 gramas.

Para o presidente da Zero, a central de Sines da EDP é antiga e está ambientalmente ultrapassada.

Setor rodoviário é o mais poluente

Na tabela divulgada, a associação revela que, “infelizmente sem surpresas”, o transporte rodoviário é o maior responsável por emissões de gases de efeito de estufa (23,5%), seguido pela produção de energia elétrica – a diferença entre os dois setores é de apenas de um ponto percentual.

Segundo adiantou Francisco Ferreira à TSF, estes números revelam a enorme dependência que Portugal tem em relação ao transporte individual ou coletivo de passageiros, mas também de mercadorias, além de uma grande predominância dos combustíveis fósseis mais poluentes”.

A indústria cimenteira, os aterros, e a produção de gado também estão entre os setores mais poluentes.

“Temos um setor relevante que é o da indústria cimenteira que, pela natureza do seu processo, emite consideráveis quantidades de gases com efeito de estufa, em particular o dióxido de carbono, seguindo-se os aterros onde o poluente principal é o metano“, destacou o presidente da Zero.

A associação ambientalista divulga o ranking antes da entrada em vigor do Acordo de Paris, na sexta-feira, depois de cumprida a exigência da ratificação de, pelo menos, 55 países responsáveis que representem 55% das emissões de gases mundiais com efeito de estufa.

BZR, ZAP / Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Segundo estas organizações ambientalistas a central de Sines é a mais poluente do país devido às emissões de… dióxido de carbono. Fenomenal!

    Alguém deveria dizer a estas organizações ou associações que o dióxido de carbono não é um poluente, o monóxido de carbono é mas não o CO2.

    Alguém deveria dizer-lhes também que o CO2 é essencial para a vida na Terra e sem o qual nós nem sequer existiríamos.

    Parece que estas pessoas convenientemente se esquecem que as plantas absorvem CO2 como alimento. Aliás, está cientificamente provado e exaustivamente comprovado por muitos agricultores que o usam nas suas estufas que quanto maior for a concentração de CO2 na atmosfera mais as plantas se desenvolvem. Crescem mais depressa e propagam-se também mais depressa com o curioso efeito a nível mundial (imaginem só) de ajudar a combater o desmatamento descontrolado que ainda ocorre em muitos países.

    O CO2 contribui efectivamente para o aumento da cobertura vegetal a nível mundial e, não menos importante, contribui também (como deveria ser óbvio) para o aumento da produção agrícola. Contribui de facto para o aumento da produção de alimentos em todas as explorações agrícolas de todo o mundo ajudando a combater a má nutrição e falta de alimentos de qualidade que ainda persiste em muitas zonas por esse mundo fora.

    É, assim, de uma enorme irresponsabilidade tentar combater a produção de CO2 quando tantos benefícios nos trás. A real consequência trazida pelo actual combate ao CO2 resume-se à diminuição da competitividade das empresas atrasando o progresso dos países.

    Fariam muito melhor se se preocupassem com os reais poluentes, com as muitas substâncias que tanto mal nos fazem à saúde e que a todo o momento somos obrigados a inspirar com o ar que respiramos ou a comer junto com a comida que ingerimos. Isto sim, seria uma atitude digna, responsável e mesmo louvável para este tipo de organizações que andam agora e desde há muito preocupadas com problemas do faz de conta.

    Já agora, alguém sabe porquê que a EDP não fecha estas centrais?
    Porque as agora tão aclamadas energias renováveis são também energias intermitentes e estas centrais termoeléctricas que funcionam em regime de prontidão são ainda fundamentais como apoio para as múltiplas ocasiões de quebra de produção a partir de centrais eólicas e fotovoltaicas.

    Estas “novas” energias renováveis, por mais que nos digam que são o único futuro possível e que até já produzem em excesso, são na verdade e infelizmente inconstantes e seriam uma autêntica dor de cabeça para todos nós (produtores, distribuidores e consumidores) se não existissem centrais termoeléctricas de apoio a funcionar em regime de prontidão.

RESPONDER

Camboja acaba com passeios turísticos de elefante em Angkor

Os passeios de elefante, que são umas das principais atrações turísticas pelas áreas dos templos de Angkor, no Camboja, deixarão de o ser em 2020. Em 2016, uma elefante fêmea morreu por insuficiência cardíaca depois de …

MPLA afasta "Tchizé" dos Santos do comité central e suspende-a por dois anos

O Bureau Político do MPLA aprovou, esta quinta-feira, o afastamento de Welwitschia 'Tchizé' dos Santos de membro do comité central do partido no poder em Angola e a suspensão por dois anos da condição de …

Coldplay adiam divulgação de álbum. Querem uma digressão mais "respeitadora do ambiente"

O líder dos Coldplay anunciou na quinta-feira que o grupo musical britânico adiou a digressão de apresentação do seu novo álbum, que é publicado esta sexta-feira, para ser o mais limpa possível e ter um …

Vila Galé já estuda novo resort na região do Brasil onde abandonou projeto

O Vila Galé vai mesmo avançar com uma nova unidade hoteleira na mesma região do Brasil onde decidiu abandonar o projeto que tinha, depois das críticas de que ia investir em potencial zona de reserva …

França ultrapassa Alemanha. É o pais europeu com mais pedidos de asilo

França tornou-se no país europeu com mais pedidos de asilo, pela primeira vez desde o início da crise migratória em 2015, afirmou esta quinta-feira em Paris o ministro do Interior. “A França tornou-se desde 20 de …

Procurador-geral admite que suicídio de Epstein foi resultado de vários erros

O procurador-geral dos EUA disse, esta sexta-feira, que a morte de Jeffrey Epstein, que se suicidou atrás das grades, foi o resultado de "uma tempestade perfeita de asneiras". Em entrevista à Associated Press, William Barr confessou …

Vegano processa Burger King nos EUA por "contaminação" de hambúrguer

Um cliente vegano interpôs uma ação judicial contra o Burger King nos Estados Unidos, acusando a cadeira de restaurantes de fast-food de lhe ter servido um hambúrguer cozinhado na mesma grelha utilizada para preparar carne. De …

Dono do carro onde seguia Angélico condenado a dois anos de pena suspensa

O dono de um stand da Póvoa de Varzim e a sua ex-mulher foram, esta sexta-feira, condenados a dois anos de prisão, com pena suspensa. Em causa está a falsificação do contrato de compra e venda …

Mais de 500 mulheres assassinadas em Portugal nos últimos 15 anos

Mais de 500 mulheres foram assassinadas nos últimos 15 anos em contexto de relações de intimidade em Portugal, e só neste ano já morreram 28, algumas baleadas, outras estranguladas ou espancadas, a maioria vítima de …

Paulo Macedo diz que a CGD não vai ser "uma nêspera"

O presidente da CGD considera que há a expectativa de o banco público ficar "sossegado", mas que a sua equipa não é paga para "ficar a ver navios" e quer pagar o capital injetado pelo …