Economia “voltou a dar sinais positivos”, defendeu Siza Vieira

Manuel de Almeida / Lusa

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, defendeu esta quarta-feira que “a economia voltou a dar sinais positivos” em Portugal, apesar da contração do Produto Interno Bruto (PIB) de 3,3% face ao último trimestre de 2020.

“O efeito do confinamento foi menos severo do que no ano passado. As empresas adaptaram-se melhor”, afirmou Siza Vieira na sua intervenção inicial em audição no Parlamento, citado pelo Expresso. As exportações de bens da indústria em fevereiro, continuou, ficaram 4,2% acima de fevereiro de 2020.

“Perante o levantamento das restrições a economia respondeu de forma rápida e vigorosa”, disse, sublinhando que o Governo reabrirá em breve os sistemas de incentivo às empresas. “Já temos intenções de investimento de 1300 milhões de euros pelas empresas”, dos quais 600 milhões de euros são investimento direto estrangeiro, indicou.

Siza Vieira avançou igualmente que o Governo está a planear propor a prorrogação do crédito fiscal extraordinário ao investimento, “numa altura em que empresas estarão em melhor condição de manifestar intenções de investimento”. Esta medida faz parte da alteração do foco da política económica, “mais no sentido de apoio à retoma económica”.

Além disso, o ministro da Economia apontou para “um reforço dos incentivos à capitalização das empresas”.

O responsável pela pasta da Economia aproveitou para revelar que o programa IVAucher – inscrito no Orçamento do Estado para 2021 e que visa apoiar a retoma do turismo através da acumulação do IVA pago na restauração, alojamento e cultura para descontar em novas compras -, deverá ser lançado “nas próximas semanas”.

O Governo está a preparar também uma solução para prolongar e assegurar “alguma carência” nas moratórias para os setores mais afetados pela pandemia, que deverá passar pela capacidade de o Estado em “garantir alguma parte do crédito que está sob moratória”, permitindo “estender os prazos de reembolso destes créditos e permitir, também, assegurar alguma carência”.

O objetivo, explicou, é “que as empresas não concentrem o seu ‘cash flow’ imediatamente no reembolso de dívidas”. Em causa estão empresas dos setores mais afetadas pela pandemia de covid-19, nomeadamente o alojamento, restauração, comércio a retalho e alguns segmentos da indústria transformadora.

Taísa Pagno //

PARTILHAR

RESPONDER

Marcelo apela ao voto "por memória deste ano e meio que não esqueceremos"

O Presidente da República considerou que votar nas eleições autárquicas é mais importante do que nunca para o país recomeçar a viver e a sair das crises sanitária, económica e social. Este apelo ao voto foi …

Onde e como? Um guia para votar nas eleições autárquicas

As mesas de voto das eleições autárquicas abriram hoje às 08:00 no continente e na Madeira para a escolha dos dirigentes dos municípios e das freguesias para os próximos quatro anos. Nos Açores, as urnas abrem …

Ensino Superior: 33% dos candidatos ficaram de fora. Veja se ficou entre os colocados

Mais de 49 mil novos estudantes entraram agora para o ensino superior, tendo ficado sem colocação 33% dos candidatos à primeira fase do concurso nacional de acesso, revelam dados divulgados hoje pelo Ministério do Ensino …

Pessoas mais pobres são vistas como menos suscetíveis à dor

Um novo estudo indica que os indivíduos de classe baixa são estereotipados como insensíveis à dor física, o que pode impactar os seus cuidados médicos. “As estatísticas de saúde indicam que as pessoas ricas recebem um …

As crianças têm dez vezes mais micro-plásticos nas fezes do que os adultos

Uma equipa de cientistas da Universidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, usou espectrometria de massa para medir os níveis de micro-plásticos compostos de policarbonato (PC) e de polietileno tereftalato (PET) presentes nas fezes crianças …

MIT desenvolve mão robótica insuflável (que devolve o tato aos amputados)

Apesar de haver membros biónicos altamente articulados, concebidos para detetar os sinais musculares residuais e imitar roboticamente os seus movimentos pretendidos, a destreza de alta tecnologia tem um custo muito alto. Recentemente, engenheiros do Massachusetts Institute …

É agora possível os robôs mexerem-se sozinhos, graças a novos polímeros de alta energia

Através do uso de novos polímeros que armazenam mais energia e são depois aquecidos, investigadores da Universidade de Stanford conseguiram colocar manequins a mexer os braços sozinhos. Era ver robots a mexer os braços sozinhos, pelo …

"Poço do Inferno". Espeleólogos encontram serpentes, mas não demónios

No deserto da província de Al-Mahra, no leste do país, um buraco redondo e escuro de 30 metros de largura serve de entrada para uma caverna de cerca de 112 metros. Uma maravilha natural que …

Vitória SC 1-3 Benfica | “Águia” passa tranquila em Guimarães e continua a voar no topo

Naquele que era apontado como o mais duro teste à sua liderança até ao momento, o Benfica passou com relativa tranquilidade em Guimarães. Frente a um Vitória que tentou discutir o jogo de igual para igual …

Fazer umas calças de ganga exige 10 mil litros de água. Dez marcas estão a criar jeans sustentáveis

As calças de ganga são das peças de vestuário com piores impactos para o ambiente, mas há marcas que estão a apostar na sustentabilidade como um factor atractivo para os consumidores. Estão sempre na moda e …