Dois terços dos portugueses consideram que a eutanásia deve ser legalizada

A maioria dos portugueses considera que a morte assistida a pedido do doente deve ser legalizada em Portugal.

O estudo da Eurosondagem feito no início de março para a SIC e para o Expresso mostra que 67,4% da população portuguesa defende a legalização da eutanásia em Portugal, com apenas 22,1% contra o direito de decidir como e quando chega ao fim a sua vida, enquanto 10,5% não sabe ou não responde.

Há dúvidas sobre se deve haver uma consulta ao país sobre a legalização da eutanásia: menos de metade (47,8%) das pessoas que participaram considera o referendo necessário – onde se contam mais homens -, enquanto 31,4% dos inquiridos (com mais mulheres neste grupo) consideram-no desnecessário e 20,8% dizem não saber.

Há oito anos, um estudo da Eurosondagem mostrava que 50,1% dos portugueses aceitavam a prática, contra 39,3% que eram contra. Na sondagem de 2008, 47% dos inquiridos consideravam que o tema deve ser referendado, contra 43,4% que achavam o plebiscito desnecessário.

Num momento em que o tema da eutanásia tem estado no centro das atenções, a possibilidade de os portugueses definirem o futuro da sua saúde poderá fazer com que o Testamento Vital ganhe maior relevância e seja preenchido por um maior número de cidadãos.

Rui Nunes, o “pai” do Testamento Vital em Portugal, deu uma entrevista à Visão onde salienta que os perigos da Eutanásia, “que devem ser apreciados com cuidado, devem-se especialmente à possibilidade de a eutanásia voluntária resvalar para práticas de eutanásia involuntária, nomeadamente de crianças e de pessoas com competência diminuída”, e sublinha que “se Portugal despenalizar a eutanásia, a lei terá de ser suficientemente robusta para impedir este tipo de desvio que, infelizmente, está a ocorrer nos países que já legalizaram a eutanásia”.

O especialista em sociologia e ética médicas, que defende há anos um referendo nacional sobre a morte assistida a pedido do doente, explica que a legalização da prática garante “o princípio da dignidade da pessoa, e do exercício da liberdade de autodeterminação. Ou seja, dar um controlo total à pessoa doente na fase terminal da vida e assim aliviar o sofrimento que na sua perspetiva é totalmente intolerável“, não apenas em doentes terminais mas também, “e entre outros, em pacientes com patologias neurológicas degenerativas de longa duração ou pessoas com paralisia total dos membros”.

ZAP

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. No Benelux é autorizada. Estudo revela que nem sempre as decisões são tomadas pelos próprios, razão pela qual se estão asilando na Alemanha onde é proibido. Uma oportuniade para o Turismo Residencial

    • E acha que alguém quer saber da sua opinião?!
      Agora mais a sério: sabe o que é uma sondagem?!
      Como aparentemente tem acesso à Internet, sugiro que se informe antes de comentar…

  2. Pois, isto é fruto da sociedade do descartável. ´_E mais fácil descartar quem dá problemas do que tratar dessas pessoas com dignidade.
    Veja-se o estado dos cuidados paliativos. Uma vergonha.
    A mim tb não me pegruntaram nada. Sou totalmente contra.
    A ignorância do mundo espiritual resulta nestas decisões ocas.

Trump obriga grupo chinês a vender operações do TikTok nos EUA

O Presidente norte-americano deu, na sexta-feira, 90 dias ao grupo chinês ByteDance para vender as suas operações do TikTok nos Estados Unidos, segundo um decreto presidencial assinado por Donald Trump. Trump tem acusado nos últimos meses, …

Pandemia fez com que quase metade dos portugueses poupe menos

Quase metade dos portugueses (48%) afirma poupar menos devido ao impacto da pandemia, embora mais de um terço assuma que a crise sanitária está a ter um efeito positivo nos seus gastos, segundo um estudo …

"Ministra da Insensibilidade Social". CDS pede a demissão de Ana Mendes Godinho

O CDS criticou este sábado a reação da ministra a Solidariedade Social à morte de 18 idosos num lar em Reguengos de Monsaraz e considerou que Ana Mendes Godinho desvaloriza o impacto da pandemia nos …

Esgotos de dois milhões de portugueses monitorizados para prever segunda vaga de covid-19

Os esgotos de dois milhões de portugueses estão a ser monitorizados para detetar a eventual presença do vírus da covid-19 e prever uma nova vaga. O Jornal de Notícias avança este sábado que a análise está …

Covid-19. Mais 198 infetados e 3 mortes em Portugal

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 198 casos de infeção por covid-19 e três óbitos, de acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico Direção-Geral da Saúde (DGS) desde …

Média já divulgaram publicidade institucional (mas Estado ainda não lhes pagou)

O Sindicato dos Jornalistas lamentou esta sexta-feira que o Governo não tenha disponibilizado os 15 milhões de euros relativos à compra antecipada de publicidade institucional, vincando que o executivo está em dívida com as empresas …

Autoridades admitem que extrema-direita vá vigiar manifestações antifascistas de domingo

A Frente Unitária Antifascista anunciou que vai organizar no próximo domingo duas manifestações - uma Lisboa (Praça Luís de Camões) e outra no Porto (Avenida dos Aliados). O mote é a luta contra o fascismo. Estas manifestações …

Marcelo não entende por que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido (e leu os relatórios de Reguengos)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, em declarações transmitidas pela RTP3, que não entende porque é que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido. Em declarações transmitidas pela RTP3 a partir de …

Estado só recuperou 21% dos créditos tóxicos do BPN

O Estado apenas recuperou 21% dos créditos tóxicos do Banco Português de Negócios, que derivaram da nacionalização da instituição bancária em 2008. Até final de 2019, o Estado só conseguiu recuperar 21% da carteira de créditos …

Novas matrículas "só" vão durar 45 anos (por causa das palavras obscenas)

O novo formato de matrículas entrou em vigor a 2 de março. As novas matrículas vão durar menos tempo do que poderiam porque não serão usadas combinações “que possam formar palavras ou siglas que se …