Documentos secretos do Governo em loja de artigos usados na Austrália

thejointstaff / Flickr

Malcolm Turnbull, primeiro-ministro da Austrália

Um canal australiano conta a história que considera ser “uma das maiores falhas de segurança nacional” do país. Centenas de documentos secretos do Estado foram encontrados numa loja de artigos em segunda mão, no interior de um armário fechado à chave. O Governo já pediu uma “investigação urgente”.

Centenas de documentos secretos do Estado foram encontrados numa loja de bens em segunda mão, na Austrália, naquela que já é considerada uma das maiores falhas de segurança nacional da história do país. O sucedido foi contado pelo canal australiano ABC (Australian Broadcasting Corp), esta quarta-feira.

Pouco depois de o canal televisivo ter revelado a história, o secretário do gabinete do primeiro-ministro ordenou uma “investigação urgente” de modo a apurar como é que os documentos secretos foram parar a uma loja, em Camberra.

Segundo o Público, o conteúdo dos “The Cabinet Files” denuncia várias falhas de segurança ao longo dos vários governos australianos, nomeadamente a respeito de Tony Abbott e Kevin Rudd.

As páginas colocam em xeque dez anos de governo, e tratam de assuntos da responsabilidade de cinco executivos australianos, denunciando falhas de segurança interna e externa.

Os jornalistas da ABC descrevem a falha como “alarmante e reveladora”, porém destaca que não se tratou de uma “fuga de informação“, falando em preocupações quanto à segurança do país.

Quando um novo governo toma posse na Austrália, é habitual vender a mobília do executivo anterior a lojas de artigos em segunda mão. Os documentos foram transportados para a loja no interior de um armário que terá sido comprado. Desse armário fazia parte um arquivo, cujas gavetas se mantiveram fechadas durante meses.

O armário acabou por ser comprado e arrombado e foi então que o conteúdo dos documentos foi enviado para o canal australiano, conta o Público.

As revelações dos The Cabinet Files

Uma das revelações que consta nos “The Cabinet Files” tem a ver com a perda de cerca de 400 ficheiros de segurança nacional entre 2008 e 2013, pela Polícia Federal australiana. Uma troca de emails denuncia que os documentos foram perdidos à data em que o Partido Trabalhista australiano estava no poder.

Embora o conteúdo não tenha sido revelado, a ABC destaca que os temas mais sensíveis nesse período diziam respeito ao número de militares no Afeganistão e no Iraque, a antiterrorismo e à proteção das fronteiras australianas.

Em 2013, a ministra Penny Wong deixou no seu gabinete cerca de 200 ficheiros altamente secretos que continham pormenores de planos para proteger os Emirados Árabes Unidos do Irão, atualizações sobre a guerra no Afeganistão e perfis suspeitos de terrorismo.

Além disso, são reveladas também informações e decisões políticas dos anteriores governos. Entre elas, o facto de o ex-primeiro-ministro trabalhista australiano Kevin Rudd ter sido avisado quanto aos sérios riscos em relação à segurança de um programa governamental de eficiência energética no isolamento doméstico.

O programa, suspenso em 2010, acabou por provocar a morte de quatro funcionários responsáveis pela sua instalação, vítimas de eletrocussão e hipotermia.

Consta ainda que o Governo de Tony Abbott estudou a possibilidade de negar apoio social a menores de 30 anos e que Scott Morrison tentou atrasar a entrega de vistos permanentes a refugiados, em 2013.

O Governo ainda não prestou declarações. “Dado que a investigação está em curso, não é adequado comentarmos mais este momento”, lê-se num comunicado.

Antigo primeiro-ministro processa ABC

Kevin Rudd vai avançar com um processo contra o canal australiano pelas revelações do conteúdo de centenas de documentos secretos do Estado. O ex-líder federal do Partido Trabalhista acusa o canal de estar “a mentir”, avança o Público.

De acordo com a ABC, Rudd foi avisado quanto aos “sérios riscos” de segurança de um programa governamental de eficiência energética no isolamento doméstico. No entanto, o ex-governante afirmou que a aplicação do programa teria sido adiada caso tivesse sido avisado sobre os riscos de segurança.

“Até fevereiro de 2010, todos os relatórios mensais garantiam que estava tudo bem com o programa governamental de eficiência energética”, afirmava Rudd há quatro anos, segundo a ABC.

Esta quarta-feira, o antigo primeiro-ministro australiano afirmou que o conteúdo citado pelo canal televisivo era falso. Num comunicado, o político nega ter conhecimento sobre os riscos.

“Qualquer afirmação de que o sr. Rudd foi avisado sobre os riscos de segurança para os funcionários responsáveis pela instalação das estruturas – ou que não atuou perante tais avisos – não tem qualquer fundamento e é falsa“, refere o comunicado enviado pelo seu representante legal.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Evento raro". Nasceu uma baleia-branca no maior aquário do mundo (e o momento foi gravado)

Whisper, uma baleia-branca de 20 anos, deu à luz uma cria saudável em 17 de maio após uma gravidez de 15 meses, marcando a chegada do mais novo cetáceo do Georgia Aquarium, numa altura em …

Telemóveis são uma ferramenta poderosa contra a desigualdade de género em África

Ao dar às mulheres acesso a informação que, de outra forma, era quase impossível de obter, os telemóveis estão a salvar e a transformar vidas. De acordo com o site IFLScience, o estudo responsável por esta …

Desde março, morreram mais de 100 elefantes no Botsuana. Ninguém sabe porquê

As autoridades do Botsuana estão a investigar a morte de 110 elefantes na região do Delta do Okavango desde março, anunciou esta semana o Ministério do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo daquele …

Um robô aprendeu a fazer uma omelete. E ficou melhor do que o esperado

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, treinou um robô a preparar uma omelete. Para os investigadores, avaliar se um robô cozinhou uma refeição com sucesso é uma fonte interessante de …

Covid-19 já matou mais no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães da II Guerra

A pandemia de covid-19 já matou mais pessoas no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães durante a II Guerra Mundial. O novo coronavírus oriundo da China já matou cerca de 50.000 pessoas em território …

Estudo mostra que os cães querem mesmo resgatar os seus donos do perigo

Um novo estudo mostra que os nossos amigos de quatro patas querem realmente salvar-nos em momentos de aflição, mas desde que saibam como o fazer. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 60 cães …

Derek Chauvin foi detido, mas os precedentes mostram que o polícia pode sair impune

Derek Chauvin, o polícia responsável pela morte de George Floyd, foi detido e aguarda a sua primeira audiência. No entanto, há precedentes que sugerem que o agente pode sair impune. Derek Chauvin tem a sua primeira …

Cientistas encontram dois fragmentos do meteorito de Barcelona

Cientistas espanhóis encontraram dois pequenos fragmentos do chamado meteorito de Barcelona, que caiu, há mais de 300 anos, no dia de Natal. No dia 25 de dezembro de 1704, um meteorito rasgou os céus e caiu …

"Pressionaram-me para o denunciar". Higuita recorda amizade com Escobar

A relação de amizade entre René Higuita e Pablo Escobar levou a que o ex-futebolista fosse seguido pelas autoridades. A polícia chegou a pressioná-lo para denunciar Escobar. O antigo internacional colombiano René Higuita é provavelmente uma …

George Floyd. Portugal junta-se às manifestações mundiais contra o racismo

Cinco cidades portuguesas juntam-se hoje à campanha de solidariedade mundial contra o racismo, associando-se à luta pela dignidade humana na sequência da morte, a 25 de maio, do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia …