Diplomatas dos Estados Unidos em Cuba mostraram estranhas alterações cerebrais após “ataque sónico”

Rolando Pujol / EPA

Embaixada dos EUA em Havana, Cuba

Imagens cerebrais dos diplomatas norte-americanos que ficaram doentes enquanto serviam em Cuba mostraram estranhas anormalidades cerebrais após o alegado ataque sónico relatado em 2016 que podem estar relacionadas com os sintomas sentidos, revela um novo estudo.

A nova investigação, cujos resultados foram publicados esta semana na revista científica Journal of American Medical Association, é mais um esforço para resolver o mistério que a administração do Presidente Donald Trump descreveu como um “ataque sónico”.

No fim de 2016, recorde-se, e depois de serem surpreendidos por um ruídos agudos e persistentes, vários diplomatas norte-americanos que serviam na Embaixada de Cuba adoeceram, apresentando sintomas que incluíam dores de cabeça, dores de ouvidos, vertigens, náuseas e perda auditiva.

Agora, uma equipa de cientistas da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, revela que utilizou tecnologias avançadas de imagens cerebrais e detetou diferenças nos cérebros dos diplomatas norte-americanos que terão sido expostos ao fenómeno.

Os especialistas compararam os cérebros dos diplomatas com voluntários saudáveis, tal como explicou à agência Reuters o autor principal do estudo, Ragini Verma. Os cientistas dizem ter encontrado diferenças “bastantes surpreendentes”.

 

JAMA

De acordo com o estudo agora publicado, os exames constataram que os funcionários da Embaixada tinham, em média, volumes menores de “matéria branca”, o tecido composto de feixes de nervos que enviam mensagens pelo cérebro.

Os cientistas encontraram ainda diferenças micro-estruturais e outras mudanças que poderiam afetar o processamento auditivo e viso-espacial.

Contudo, a equipa que levou a cabo os testes frisou que os resultados foram inconclusivos: as diferenças encontradas não correspondem ao que normalmente é observado numa lesão cerebral. Ou seja, o estudo não deixa claro se os padrões cerebrais observados traduzem diretamente problemas de saúde significativos.

Ainda assim, nota o co-autor do estudo Randel Swanson em declarações ao Live Science, “algo aconteceu pelo menos a um subconjunto deste subconjunto destes pacientes”. O cientista ainda que as mudanças observadas podem ter causado alguns dos sintomas relatados pelos diplomatas.

Metodologia do estudo questionada

O chefe do Centro de Neuro-ciências de Cuba, Valdés Sosa, que tem investigado as afirmações dos Estados Unidos sobre o alegado ataque sónico, disse, citado pela emissora NBC, que a metodologia utilizada no estudo contem “motivos de preocupação”.

Entre os aspetos que questiona, Valdés Sosa mencionou a composição do grupo de controlo utilizado para a comparação e as próprias alterações cerebrais que, segundo o cientista, podem ser resultado de “muitos fatores”, como “estados psicológicos”.

“O aspeto mais preocupante é a tentativa de ligar estas descobertas com um fenómeno direcional não especificado (…) As investigações nesta área foram secretamente escondidas e conduzidas pela paranoia da Guerra Fria”, apontou.

Por sua vez, Havana rejeitou o novo relatório da universidade norte-americana. “Cuba pede mais uma vez ao Governo dos Estados Unidos que cesse o uso e ponha um fim à utilização do termo ‘ataque’, que não teve subsistência antes e que não tem sustento agora”, afirmou a sub-diretora geral da Direção dos Estados Unidos do Ministério das Relações Exteriores de Cuba, Johana Tablada, citada pela Reuters.

“Cuba pede ao Governo dos Estados Unidos que ponha fim à manipulação desta questão como pretexto para impor mais medidas de agressão contra a integridade do nosso país, da economia e do povo cubano”, rematou.

Dos grilos até à histeria coletiva

Desde que os diplomatas norte-americanos em Havana começaram a relatar sons estranhos que ouviam nas suas casas, surgiram já várias teorias sobre o que terá acontecido. Há a versão do “ataque sónico”, dos grilos e até de uma histeria coletiva.

Devido ao incidente, Washington reduziu o quadro de funcionários diplomáticos em mais de 50% e acusou as autoridades de Cuba de levarem a cabo “ataques sónicos. Esta acusação tem sido questionada por vários especialistas que defendem que ainda ninguém foi capaz de criar estas armas ultrassónicas. Cuba sempre rejeitou esta hipótese.

Em janeiro de 2019, uma equipa de cientistas da Universidade da Califórnia em Berkeley, nos Estados Unidos, e da Universidade de Lincoln, no Reino Unido, apontou que o fenómeno possa ter sido produzido por um chilrear de grilos. De acordo com o estudo, os ruídos pertenciam ao grilo de cauda curta (Anurogryllus celerinictus), um inseto muito famoso pelos seus grunhidos durante o acasalamento

Contudo, o estudo foi também questionado, havendo cientistas a afirmar que o som do inseto por si só não era capaz de causar tais sintomas. Outros especialistas há que defendem a possibilidade de os diplomatas terem sofrido um fenómeno de histeria coletiva.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Possibilidade de ser reinfetado baixa 84% para quem já teve covid-19

Um novo estudo indica que a infeção prévia por SARS-CoV-2 protege a maioria dos indivíduos contra a reinfecção durante uma média de sete meses As probabilidades de reinfeção não descem até zero, mas um novo estudo, …

Bolsonaro diz que confinamentos transformaram o Brasil num "barril de pólvora"

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, alertou esta quarta-feira que o país se tornou "um barril de pólvora" devido às medidas restritivas adotadas por governadores e prefeitos para tentar conter a disseminação da covid-19. "O Brasil está …

Valentina poderia ter sobrevivido se socorrida, afirma médico legista

O médico responsável pela autópsia de Valentina, a criança de nove anos que morreu após graves agressões, admitiu hoje ao Tribunal de Leiria que a menina poderia ter sobrevivido, "com sequelas", se tivesse sido socorrida. A …

Marcelo admite confinamentos locais, fala em "reta final" e aponta à "recuperação social"

O Presidente da República afirmou esperar que o estado de emergência esteja a caminhar para o fim, sem dar como certo que esta seja a sua última renovação, e admitiu confinamentos locais para conter a …

Caso Marquês: Distribuição do processo investigado. Recursos só chegam ao Tribunal da Relação em 2022

O Conselho Superior da Magistratura (CSM) vai averiguar se há novos elementos que justifiquem uma alteração do seu entendimento de que não houve irregularidades na distribuição, na fase de investigação da Operação Marquês, ao juiz …

Estado condenado a pagar oito mil euros por demorar 24 anos a atribuir pensão de alimentos

O Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa condenou o Estado a pagar 8.500 euros a uma mãe, que esteve 24 anos à espera de uma pensão de alimentos para as duas filhas, hoje com 37 …

Centenas de pessoas ficaram à espera de vacinação na Maia devido a erro informático

A situação ocorreu no Centro de Vacinação Covid Maia I, que funciona em Gemunde, nas instalações da Junta de Freguesia do Castêlo da Maia. A Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N) disse esta quarta-feira que …

Juiz anti-confinamento junta apoiantes e é acusado de desrespeitar a GNR

O juiz Rui Fonseca e Castro, fundador do grupo “Juristas Pela Verdade” e da associação “Habeas Corpus”, organizou uma manifestação em Palmela, mas está a ser acusado de não cumprir as regras. Três dias depois de …

Morreu Artur Garcia, nome da música ligeira portuguesa da década de 1960

O cantor Artur Garcia, de 83 anos, que protagonizou vários êxitos nas décadas de 1960 e 1970, morreu hoje, na Aldeia de Juzo, em Cascais, disse à Lusa o agente artístico António Fortuna. O artista, que …

Mosteiro dos Jerónimos está a ser lavado com álcool

O claustro do Mosteiro dos Jerónimos está a ser alvo de recuperação, com recurso a álcool a 70 graus, o mesmo que se usa para desinfectar as mãos contra a covid-19. Mas não tem nada …