/

Incidente de Roswell. Diário secreto fornece novas pistas sobre queda de OVNI em 1947

10

Um diário há muito escondido, pertencente a um oficial de inteligência dos Estados Unidos, reacendeu o debate sobre o Caso Roswell, o infame acidente de um OVNI em Roswell, no Novo México, que ocorreu há mais de 70 anos.

Quando um objeto misterioso chocou contra o deserto perto do Roswell Army Air Field (RAAF) em julho de 1947, o major Jesse Marcel, oficial da inteligência da RAAF, foi enviado para supervisionar a recolha dos destroços.

Um assessor de imprensa da RAAF emitiu uma declaração em 8 de julho a descrever “a queda e a recuperação de ‘um disco voador'”, que muitos interpretaram como evidência de contacto com extraterrestres.

No entanto, no dia seguinte, outro oficial do exército disse aos jornalistas que os oficiais da RAAF tinham recuperado um balão meteorológico – não um disco voador.

Fotografias de jornal mostraram Marcel com pedaços do que parecia ser um balão meteorológico de alta altitude rasgado com um refletor de radar. Mas, nas décadas seguintes, muitos especularam sobre o relatório inicial dos militares sobre o “disco voador”, perguntando-se se os destroços seriam mais incomuns do que as fotografias sugeriam.

Recentemente, a família de Marcel revelou que o oficial tinha um diário naquele período que pode conter pistas sobre o acidente, dando início a uma nova investigação do History Channel “Roswell: The First Witness”, parte da série “History’s Greatest Mysteries”.

O Governo alegou ter recuperado um OVNI – tinham um comunicado à imprensa sobre isso”, disse Ben Smith, ex-agente da CIA e investigador principal do programa, em declarações ao LiveScience. “Nenhum outro Governo no mundo disse ‘Temos uma espaçonave’ e, no dia seguinte, há outro comunicado de imprensa que diz: ‘Não se preocupem, foi só um balão meteorológico'”.

O programa revisita o local do acidente em Roswell, incorporando investigações aéreas e mapeamento, e usando imagens multiespectrais para detetar micro-depressões no solo que podem indicar onde os destroços caíram.

Porém, o componente central da nova investigação é o diário que Marcel terá mantido durante a época do acidente de Roswell e que agora está na posse de seus netos.

Décadas após o evento, Marcel disse a um entrevistador que acreditava que o objeto que caiu no deserto do Novo México tinha origens extraterrestres, segundo relatou a revista Time em 1997.

A análise do diário – e a tradução da sua linguagem enigmática – poderia revelar mensagens codificadas com as quais Marcel descreveu o acidente no momento em que aconteceu.

O interesse por OVNIs não diminuiu desde o Incidente de Roswell. Em 2017 e 2018, os pilotos da Marinha dos Estados Unidos registraram três encontros com OVNIs em movimento rápido e a Marinha desclassificou oficialmente os vídeos em abril deste ano.

Por que os eventos de Roswell ainda intrigam as pessoas?

“É a história de origem do OVNI, a perspectiva de um encobrimento do Governo sobre o contacto alienígena”, disse Smith. “A ficção científica já existia, mas as coisas que passaram para nós através da cultura pop encontraram as suas origens no sigilo do Governo em torno dessa estranha sequência de eventos em 1947″, disse Smith. “Tudo começa em Roswell.”

  ZAP //

10 Comments

  1. ZAP, o parágrafo
    “O interesse por OVNIs não diminuiu desde o Incidente de Roswell. Em 2017 e 2018, os pilotos da Marinha dos Estados Unidos registraram três encontros com OVNIs em movimento rápido e a Marinha desclassificou oficialmente os vídeos em abril deste ano.”
    aparece repetido… nada de especial… mas achei que gostariam de saber.
    Pedro P

  2. Seria muito redutor alguém ter criado um universo tão grande (praticamente infinito!) com apenas um planeta com vida (tendo em conta os biliões de exoplanetas existentes). É preciso sermos mesmo muito trogloditas para acharmos que a probabilidade de existência de vida só é elevada neste planeta com água, nos outros não. As leis da física funcionam de igual forma para todos, logo teremos que admitir a possiblidade de existirem milhões de milhões de planetas com vida por este Universo. Algumas espécies mais avançadas certamente irão viajar com os seus avanços científicos e tecnológicos a outros planetas distantes. É este o desejo inato nas espécies. Auto-conhecimento e conhecimento do universo!

  3. Não sei que credibilidade este texto possa ter com RAAF para aqui e RAAF para ali. Isso é a força aérea do Reino Unido. A dos Estados Unidos da América é USAF (United States Air Force).

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.