/

DGS já definiu regras para o regresso do futebol. Trio do FC Porto contra Código de Conduta

3

Hugo Delgado / Lusa

A Direção Geral-Geral da Saúde (DGS) já definiu algumas regras para que a I Liga possa regressar no final do mês. As diretivas incluem recolhimento domiciliário para atletas e as suas famílias, avaliação clínica diária e dois testes semanais de diagnóstico ao novo coronavírus (covid-19).

De acordo com um parecer técnico, que conta com 14 pontos e foi este domingo divulgado pela Federação Portuguesa de Futebol, o plano das autoridades de saúde prevê um Código de Conduta que deve de ser assinado por todos os agentes desportivos e estruturas.

Segundo o Tribuna Expresso, este código estabelece medidas de recolher domiciliário, bem como medidas rigorosas de distanciamento entre atletas, técnicos e outros funcionários. Durante as 10 partidas que faltam disputar, estes mesmos elementos devem deslocar-se apenas entre as suas casas e o clube e competição e o domicílio.

As mesmas regras são aplicáveis às suas famílias.

No que respeita à avaliação clínica, as estruturas médicas dos clubes devem garantir uma avaliação diária. Antes de começar a competição, atletas, árbitros e respetivas estruturas terão de fazer dois testes à covid-19 separados por 14 dias. Só com dois resultados negativos é que poderão participar nas competições oficiais.

Já durante as competições, os clubes devem realizar dois testes à covid-19 por semana: “um 48 horas antes do jogo e outro o mais próximo próximo possível da hora do jogo”. Um caso positivo “não torna, por si só, o isolamento coletivo, das equipas, obrigatório”, pode ler-se no mesmo documento da FPF.

O mesmo documento deixa claro que os clubes, bem como a federação e a Liga assumem o risco e as eventuais consequências, em caso de infeção, da covid-19.

Estas condições vigoram não só para o regresso do campeonato, mas também para a final da Taça de Portugal, que será disputada entre FC Porto e Benfica.

Trio do FC Porto contra Código de Conduta

Recorrendo às redes sociais, três jogadores do FC Porto manifestaram-se conta o Codigo de Conduta que consta no parecer da DGS para a FPF.

O internacional português Danilo Pereira destacou negativamente o primeiro ponto do código, segundo escreve o Sapo Desporto. “A FPF, a Liga Portugal, os clubes participantes na Liga NOS e os atletas assumem, em todas as fases das competições e treinos, o risco existente de infeção por SARS-CoV-2 e de COVID-19, bem como a responsabilidade de todas as eventuais consequências clínicas da doença e do risco para a Saúde Pública”.

Soares e Luís também discordaram do código, partilhando o mesmo ponto. “Só pode ser brincadeira”, escreveu o avançado cabo-verdiano na sua rede de Instagram.

O parecer técnico da DGS pode ser lido na íntegra no site da FPF.

  ZAP //

3 Comments

  1. Será que alguém me pode explicar, o porquê da Liga ter dado por terminado o campeonato da 2ª Liga e o da 1ª Liga ser para continuar??

    Confesso que não sigo o Futebol com grande atenção e fiquei genuinamente curioso.

      • O campeão se termina-se agora era o Famalicão e não o Porto.
        Se no final da primeira volta em primeiro aparece-se o Porto ou o Benfica o campeonato já tinha acabado.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.