/

Detidos cinco suspeitos da morte de jovem cabo-verdiano em Bragança

Luís Giovani / Facebook

Luís Giovani

A Polícia Judiciária anunciou, esta sexta-feira, que foram detidos cinco homens, suspeitos de estarem envolvidos na morte do estudante cabo-verdiano, em Bragança.

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, em comunicado, que procedeu, esta quinta-feira, a “buscas domiciliárias, inquirições e interrogatórios de várias pessoas, suspeitas de estarem envolvidas nos acontecimentos que determinaram a morte” do estudante cabo-verdiano Luís Giovani dos Santos Rodrigues.

Na mesma nota, a PJ acrescenta que “foram detidos cinco homens, com idades entre os 22 e os 35 anos, tendo sido apreendidos elementos probatórios relevantes”, acrescentando que “os detidos vão ser presentes às Autoridades Judiciárias competentes, para interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação, tidas por adequadas”.

A investigação está a ser conduzida pela PJ, em articulação com o Ministério Publico de Bragança, titular do inquérito.

Segundo o Diário de Notícias, o Diretor Nacional da PJ deslocou-se hoje a Vila Real, “numa iniciativa inédita”, para liderar a conferência de imprensa sobre as detenções. Luís Neves anunciou que os detidos estão indiciados pelos crimes de homicídio qualificado de Luís Giovani e homicídio na forma tentada em relação a outros três jovens.

Os cinco homens pertencem ao grupo de 15 suspeitos que já tinha sido identificado pela polícia como estando envolvido nos confrontos da noite em que o jovem foi agredido.

Na conferência de imprensa, o diretor da PJ negou que tivesse havido motivação racial, afirmando que na origem dos incidentes estiveram “motivos fúteis que provocaram uma desavença no interior do espaço lúdico”.

O jovem de 21 anos foi violentamente agredido, no passado dia 20 de dezembro, à saída de uma discoteca em Bragança. O estudante do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) esteve internado dez dias no Hospital de Santo António, no Porto, mas não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer na véspera de Ano Novo.

Na altura, vários políticos e figuras públicas insurgiram-se contra a falta de divulgação mediática do caso e a fraca resposta para tentar apurar responsabilidades.

De acordo com o jornal Público, o funeral de Luís Giovani realiza-se, este sábado, na ilha do Fogo, em Cabo Verde, de onde era natural.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.