Despedido por não cortar água aos pobres, “Robin Hood” francês tenta recuperar emprego

IUCNweb / Flickr

-

Um francês, despedido por ter se recusado a cortar a água de famílias pobres que não pagavam as contas, tenta recuperar o seu emprego na Justiça.

Marc, cujo apelido não foi revelado pela imprensa, trabalhou durante 20 anos na filial de gestão de águas da multinacional francesa Veolia, que factura mais de 29 mil milhões de euros e emprega 318 mil pessoas em 48 países do mundo.

O homem trabalhava no serviço de cobranças na unidade do grupo em Avignon, no sul da França, e era encarregado de cortar o fornecimento de água de clientes devedores.

Mas desde 2006 que se recusava a cumprir a tarefa, apesar das inúmeras advertências da direcção da empresa.

Na carta de demissão de Marc, a empresa justifica o despedimento pela “recusa da realização dos cortes do sistema de água decorrentes do não pagamento das contas”.

“Em algumas casas, o frigorífico estava vazio, não havia nada para comer. Sou antes de tudo humano”, contou Marc à rádio France Bleu Vaucluse.

“Eu tentava negociar com as pessoas, propunha-lhes dividir os valores em várias prestações, orientá-las, porque não eram maus pagadores”, declarou Marc, que afirma ter solicitado à empresa inúmeras vezes a sua transferência para outro serviço do grupo.

“Há anos que pedia para mudar de função. Não é fácil ir a casa das pessoas cobrar dinheiro. Muitas vezes fui insultado”, diz o ex-funcionário.

A Veolia alega que o não cumprimento das ordens para cortar o fornecimento de água causava problemas à organização da empresa, já que outros empregados tinham de realizar a tarefa no seu lugar.

“No seu contrato, estava escrito que Marc tinha essa função. Somos uma empresa com regras. Os funcionários não escolhem as tarefas que têm vontade de realizar”, afirmou um responsável regional da Veolia.

A empresa afirma que os cortes de água diziam respeito aos “maus pagadores”.  Segundo um porta-voz da companhia, “as pessoas desfavorecidas são da alçada dos serviços sociais, que podem assumir uma parte ou o montante total das contas não pagas”.

Community Eye Health / Flickr

-

Quando era possível, Marc instalava no relógio de água um sistema que diminuía a pressão, mas permitia ao cliente manter o fornecimento com um volume de água reduzido.

O ex-funcionário afirma que a partir de 2009 houve mudanças na política da empresa em relação aos clientes devedores e que o corte total da água passou a ser exigido de forma sistemática.

Segundo o jornal regional Midi Libre, cerca de 1000 famílias na região de Avignon teriam sido beneficiadas pela decisão do funcionário de não cortar o fornecimento de água.

Apoio

O ex-funcionário tem o apoio dos sindicatos e moradores de Avignon.

“A água é um bem universal. Marc recusava-se simplesmente a cortar a água de pessoas desfavorecidas. Algumas já nem tinham móveis nem comida em casa”, diz Thierry Lapoirie, secretário-geral da unidade regional do sindicato CGT.

Uma petição intitulada “Demitido pelo direito à água“, lançada pelo sindicato na internet, recolheu 7 mil assinaturas.

O julgamento da sua demissão e do seu pedido para ser reintegrado noutro serviço da empresa deveria ter ocorrido esta quinta-feira, mas a decisão foi adiada para março.

Dezenas de pessoas com cartazes reuniram esta quinta-feira em frente ao tribunal do Trabalho de Avignon para apoiar o ex-funcionário e protestar contra a sua demissão e os “cortes de água selvagens”.

“Esse senhor é muito corajoso. Temos o direito de nos revoltar contra a sua demissão. A água não é uma mercadoria”, afirmou Marie-Helène, uma das manifestantes, ao Midi Libre.

ZAP / BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Por cá temos problemas idênticos mas não temos “Robin Hoods” porque somos demasiado cobardes e somos demasiado sub-servientes, somos portugueses e o nome diz tudo, somos um povo com bom coração e humildes demais, por isso podem usar e abusar de nós que simplesmente aguentamos tudo.

RESPONDER

Banca com nova vaga de saída de trabalhadores e admite despedimentos

Os grandes bancos vão reduzir milhares de trabalhadores este ano, um processo que vem acontecendo desde a última crise mas que em 2021 deverá atingir um novo pico, tendo mesmo BCP e Santander Totta admitido …

Cuba está a criar o seu próprio smartphone (e conta com a ajuda da Huawei)

O Governo cubano está a trabalhar na produção de um novo smartphone, que terá um sistema operativo original e conta com a ajuda da empresa chinesa Huawei. De acordo com a revista Vice, o projeto é …

Funcionários russos que recusem vacina arriscam licença sem vencimento

Os funcionários russos que recusem vacinar-se contra o novo coronavírus, em regiões onde a vacina seja obrigatória, arriscam-se a uma licença sem vencimento, anunciou o ministro do Trabalho da Rússia, Anton Kotiakov. "Se as autoridades de …

Vacina cubana com eficácia de 62% após segunda das três doses previstas

A vacina cubana contra a covid-19 atingiu uma eficácia de 62% após a injeção de duas das três doses previstas, um resultado que excede os 50% exigidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), anunciou o …

Miguel Oliveira em segundo lugar no GP da Alemanha de MotoGP

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) terminou hoje na segunda posição o Grande Prémio da Alemanha de MotoGP, oitava prova do Mundial de velocidade de motociclismo, vencida pelo espanhol Marc Márquez (Honda). Miguel Oliveira, que partiu …

Mais três mortos e 941 novos casos de covid nas últimas 24 horas

Portugal voltou a registar nas últimas 24 horas uma ligeira redução no número de infeções confirmadas pelo coronavírus SARS-CoV-2, com 941 casos, e três mortes associadas à covid-19, segundo a Direção-Geral da Saúde. O boletim epidemiológico …

"Cemitério verde". Estado de Oregon irá permitir (brevemente) a compostagem de corpos humanos

O estado de Oregon tornou-se o terceiro dos Estados Unidos a legalizar um novo processo de compostagem do corpo humano. A governadora do Oregon, Kate Brown, aprovou o projeto de lei que irá permitir o sepultamento …

Responsável pelo RGPD demitido por Medina trabalhava há 33 anos na Câmara de Lisboa

O encarregado de proteção de dados da Câmara Municipal de Lisboa, que o presidente Fernando Medina exonerou devido à polémica da partilha de dados de ativistas com a embaixada da Rússia, trabalhava na autarquia há …

Portugal quase a entrar na "zona vermelha de risco". Variante Delta prevalece em Lisboa e Vale do Tejo

A região de Lisboa está sobre pressão há algumas semanas, mas o resto do país também está prestes a entrar numa situação epidemiológica menos boa. A incidência nacional encontra-se próxima dos 120 casos por 100 …

Pandemia continua a "empurrar" reclusos para fora das grades. Já saíram 2850

As cadeias portuguesas continuam a soltar reclusos que ainda não cumpriram toda a pena, numa altura em que não existem praticamente casos de infecção por covid-19 no sistema prisional. O regime especial de perdão das penas, …