Descobertas armas romanas usadas para invadir Jerusalém há 2 mil anos

(dr) Autoridade de Antiguidades de Israel

Vestígios da Terceira Muralha descobertos em Jerusalém

Vestígios da Terceira Muralha descobertos em Jerusalém

A Autoridade de Antiguidades de Israel, IAA, revelou esta quinta-feira a descoberta de evidências claras da conquista de Jerusalém pelo exército romano na Primeira Guerra Judaico-Romana, entre 66 d.C. e 73 d.C.

A Autoridade de Antiguidades de Israel apresentou o que descreveu como uma “impressionante e fascinante evidência do campo de batalha e a rutura da terceira muralha que rodeava Jerusalém”, encontrada no ano passado, durante escavações para a construção de um edifício no que é atualmente o centro da zona ocidental da cidade.

O conflito, ocorrido cerca de 70 anos depois da morte do imperador Herodes, foi a primeira das três revoltas do povo da Judeia contra a dominação romana, há cerca de 2 mil anos.

Segundo a entidade, os arqueólogos descobriram, junto a vestígios da Terceira Muralha de Jerusalém, diversos projécteis de pedra lançados por catapultas, uma ponta de lança e outras peças de artilharia romana utilizadas para derrubar o muro e adentrar a cidade.

As armas teriam sido usadas contra os guardas judeus que protegiam a cidade do alto de uma torre junto ao muro.

A escavação arqueológica mostrou os restos desta torre, que integrava a muralha durante a época denominada Segundo Templo (entre os anos 530 a.C. e 70), e cuja fachada ocidental apresenta “marcas dos projéteis disparados pelos romanos de catapultas contra a guarda judaica que defendia a muralha”, de acordo com um comunicado do organismo israelita.

(dr) Autoridade de Antiguidades de Israel

Vestígios da Terceira Muralha descobertos em Jerusalém

Vestígios da Terceira Muralha descobertos em Jerusalém

“É um testemunho fascinante do bombardeamento intensivo do exército romano, liderado por Tito no caminho para conquistar a cidade e destruir o Segundo Templo (judaico)”, explicaram no comunicado os diretores da escavação, Rina Avner e Kfir Arbib.

“O alvo do bombardeamento era as sentinelas que guardavam a cidade e dar proteção às forças armadas para que pudessem aproximar-se das muralhas com aríetes e romper as defesas”, acrescentaram.

De acordo com o historiador romano de origem judaica Flávio Josefo (37-100), a muralha foi concebida para proteger um novo bairro da cidade que tinha desenvolvido fora da cidadela muralhada, a norte das duas barreiras que existiam.

A recente descoberta nas paredes da muralha vai ser apresentada na próxima semana na conferência “Novos estudos de arqueologia de Jerusalém religião”, na Universidade Hebraica de Jerusalém.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Trump pede à ONU atribuição de sanções à China por ter "ocultado factos relevantes"

O Presidente dos EUA, Donald Trump, exortou hoje as Nações Unidas a “pedirem responsabilidades à China” pela sua atuação na fase inicial da expansão da pandemia de covid-19. Na sua intervenção durante o debate geral da …

Há um "clima de medo e insatisfação" nas Forças Armadas, diz Associação de Sargentos

O presidente da Associação Nacional de Sargentos (ANS), Lima Coelho, disse à Rádio Renascença que se vive um "clima de medo e insatisfação nas Forças Armadas", que inclui ameaças, avaliações injustas, demora excessiva das reclamações …

Teletrabalho e questões ambientais são prioridade para o PS no início da sessão legislativa

A líder parlamentar do PS afirma que duas das principais prioridades da sua bancada no início da presente sessão legislativa vão passar pela regulamentação do teletrabalho e pela aprovação de uma lei de bases do …

Justiça alemã abre novo inquérito contra suspeito do desaparecimento de Maddie

A justiça alemã abriu um novo inquérito contra o principal suspeito do desaparecimento de Maddie McCann, relativo à violação de uma jovem irlandesa, em 2004, anunciou, esta terça-feira, o procurador de Brunswick. "Posso confirmar que investigamos …

Mais de metade dos portugueses acredita que os fundos europeus vão ser mal geridos

Mais de metade dos portugueses (60,6%) acredita que os fundos europeus que Portugal vai receber para fazer face à pandemia vão ser mal geridos, revela uma sondagem da Intercampus para o Jornal de Negócios e …

CMVM avança com suspensão de ex-secretário de Estado da Energia da OMIP

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) notificou, esta segunda-feira, o ex-secretário de Estado da abertura de um processo para a sua suspensão da administração da OMIP, alegando "dúvida fundada" quanto à adequação aos …

Satélite mostra preparativos de desfile na Coreia do Norte (e há quem desconfie da presença de novos TEL)

Novas fotografias tiradas por satélite e analisadas hoje pelo portal especializado 38North mostram os preparativos para um grande desfile militar na capital da Coreia do Norte, que a 10 de outubro comemora a fundação do …

Cartéis mexicanos ganharam cerca de 40 mil milhões de euros em apenas 2 anos

Os grupos criminosos do México ganharam cerca de mil milhões de pesos (perto de 40 mil milhões de euros), entre 2016 e 2018, revelou na segunda-feira a Unidade de Inteligência Financeira (UIF) do Governo mexicano. Durante …

O outono acaba de chegar ao hemisfério norte. E há uma razão para ter sido hoje

Setembro é o mês do regresso às aulas e ao trabalho. Após os dias quentes de verão, chega o outono. Este ano, a estação começa hoje, dia 22 de setembro, mais precisamente às 15h31, segundo …

Costa avisa que não há tempo a perder. País enfrenta "gigantesca responsabilidade"

O primeiro-ministro advertiu, esta terça-feira, que Portugal está perante "uma gigantesca responsabilidade" e "não pode perder tempo" com hesitações na execução dos fundos europeus nos próximos seis anos, tendo de conciliar "máxima transparência e mínimo …