Aos 95 anos, Friedrich Karl Berger foi deportado dos EUA por ter sido guarda em campo nazi

Department of Justice

Friedrich Karl Berger

Friedrich Karl Berger, de 95 anos, foi deportado dos EUA para a Alemanha depois das autoridades terem descoberto que tinha sido guarda num campo de concentração nazi durante o período da Segunda Guerra Mundial.

O homem, que até então morava no estado americano do Tennessee, foi deportado “por participar em atos de perseguição impulsionados pelos nazis” enquanto trabalhava como guarda num campo de concentração em 1945, avançou o Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) na sexta-feira.

O procurador-geral Monty Wilkinson disse num comunicado enviado à CBS News que a deportação de Berger dos EUA demonstra o “compromisso do Departamento em garantir que os Estados Unidos não sejam um porto seguro para aqueles que participaram em crimes nazis contra a humanidade ou outros abusos dos direitos humanos”.

“No ano em que assinalamos o 75.º aniversário das condenações de Nuremberga, este caso mostra que o facto de já ter passado muito tempo não impede o Departamento de fazer justiça em nome das vítimas destes crimes”, sublinhou Wilkinson.

De acordo com o Departamento de Justiça, Berger não é a primeira pessoa a ser deportada por estas razões. Já 69 pessoas tinham sido expulsas dos EUA após se descobrir as suas ligações a crimes nazis.

No caso de Berger, um julgamento em 2020 acabou por ser o ponto-chave para que o seu passado dosse desvendado. As autoridades norte-americanas descobriram Berger tinha prestado serviços ao regime nazi num sub-campo de Neuengamme, perto de Meppen, na Alemanha.

Na altura, o juiz revelou que os prisioneiros de Meppen, muitos dos quais eram judeus, russos, holandeses e polacos, foram mantidos no campo durante o inverno de 1945 e que as condições eram “horríveis”, uma vez que os prisioneiros eram forçados a trabalhar ao ar livre “até ao ponto de exaustão e, consequentemente, até à morte”, citou o DOJ.

Segundo a Fundação de Memoriais e Centros de Aprendizagem de Hamburgo, os prisioneiros deste campo foram forçados a construir um chamado “muro friesen” para proteger a costa norte da Alemanha.

No dia em que o campo foi evacuado, em março de 1945. estavam presas no local cerca de 1.773 pessoas. Nessa altura, Friedrich Karl Berger trabalhou no campo até essa altura e admitiu, durante o julgamento, que prendeu várias pessoas e as impediu de fugir.

Até hoje, revela o DOJ, Berger recebe uma pensão da Alemanha por ter prestado ao país “serviço de guerra”.

O Diretor de Imigração e Fiscalização Alfandegária dos EUA (ICE), Tae Johnson, afirma que o Departamento “nunca irá parar de perseguir aqueles que perseguem outros”.

“Este caso exemplifica a dedicação inabalável do ICE e do Departamento de Justiça em fazer justiça e prender todos aqueles que participaram de uma das maiores atrocidades da história. Não importa quanto tempo isso irá demorar”, rematou Johnson.

Ana Isabel Moura Ana Isabel Moura, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Médicos alertam que Navalny pode sofrer paragem cardíaca "a qualquer momento"

Alexei Navalny está cada vez mais em risco de insuficiência renal. Médicos próximos do opositor russo alertam que pode sofrer uma paragem cardíaca "a qualquer momento". Médicos próximos do opositor russo Alexei Navalny, detido e em …

Perto de sequenciar 1 milhão de genomas, cientistas querem desvendar segredos genéticos

O projeto All of Us está a recolher informações genéticas, registos médicos e hábitos de saúde de mais de um milhão de pessoas. Os dados podem ser usados para desvendar segredos genéticos. O primeiro esboço do …

"Besta dos cinco dentes". Descoberta nova espécie de mamífero na Patagónia

Paleontólogos descobriram uma nova espécie de mamífero, com dentes peculiares, que viveu na Patagónia durante o período Cretáceo. De acordo com a agência Europa Press, os fósseis foram encontrados em Cerro Guido, na província chilena de …

Com os zoos fechados, tudo serve para entreter uma família de lontras. Até um simples galho de bambu

O confinamento serviu como um lembrete indesejado de que ficar preso dentro de casa sem muito o que fazer pode ser desgastante. O mesmo é verdade para os animais, por isso os jardins zoológicos tiveram …

Uma ilha, cinco géneros. Os Bugis têm palavras para as "cinco maneiras de estar no mundo"

Uma ilha, cinco géneros. O povo Bugis é um poderoso grupo étnico que se destaca pelo reconhecimento de cinco géneros distintos. Na Indonésia, a ilha Sulawesi é a casa de um povo que reconhece cinco …

O "aeroporto do amanhã" está abandonado no meio de um pântano dos Estados Unidos

Era para ser o "aeroporto do amanhã", um centro intercontinental para aviões supersónicos com seis pistas e conexões ferroviárias de alta velocidade para as cidades vizinhas. Hoje, é pouco mais do que uma pista no …

Facebook remove (acidentalmente) página oficial de Ville de Bitche, uma remota cidade francesa

O Facebook apagou a página de Ville de Bitche, uma remota cidade francesa. O município passou um mês a apelar à rede social para repor a página. "Recebemos uma mensagem no Facebook e também percebemos que …

NASA escolheu SpaceX de Elon Musk para a próxima missão tripulada à Lua

Elon Musk fecha contrato de 2,9 mil milhões de dólares para levar o Homem novamente à Lua. O contrato é a mais importante vitória da SpaceX e reforça a posição da empresa como parceira …

Benfica 1-2 Gil Vicente | Galo canta e silencia águia na Luz

STOP. O Gil Vicente visitou na tarde deste sábado o Benfica e saiu do palco da Luz com os três pontos na bagagem e a “cantar de galo”, ao vencer por 2-1, num duelo relativo …

"Longa vida à monarquia." Realeza britânica tende a viver mais três décadas do que a população geral

As diferenças na longevidade de alguns membros da família real em comparação com a população em geral são extremamente grandes, mas não incomuns. O príncipe Filipe, marido da rainha Isabel II e o consorte mais antigo …