“Obviamente, demita-se!” Catarina Martins não pode seguir “lógica do Titanic”

29

Manuel de Almeida / Lusa

Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda (BE)

O sociólogo Boaventura de Sousa Santos aconselha Catarina Martins a demitir-se, criticando fortemente a forma como geriu o Bloco de Esquerda nos últimos meses, desde o chumbo ao Orçamento de Estado para 2022.

“Obviamente, demita-se!” Este é o título de um artigo de opinião de Boaventura de Sousa Santos no Público, onde faz duras críticas à líder do Bloco de Esquerda (BE).

Já em declarações à TSF, o professor universitário que assume que sempre votou BE, defende que Catarina Martins deve deixar a liderança do partido “perante resultados muito maus“.

“É uma atitude democrática” perante a “manifestação de vontade [dos eleitores] sobre o futuro das instituições”, defende o sociólogo. Sousa Santos aconselha, assim, Catarina Martins a não seguir a “lógica do Titanic: continuar à frente do barco mesmo que ele se afunde”.

O professor universitário nota ainda que a líder do Bloco não deve assumir uma “posição muito rígida como se nada tivesse acontecido”, pois “os políticos também se enganam, porque são humanos”.

Na opinião de Sousa Santos, os eleitores tiveram “muito medo” da subida da extrema-direita, o que os levou a votarem no PS até porque entenderam que votar no BE daria “maior instabilidade”. “As pessoas mais à esquerda tiveram muito medo”, constata.

Sousa Santos não entende o chumbo do BE ao Orçamento de Estado (OE) do PS, um dado que levou à queda do Governo e às legislativas antecipadas que deixaram o partido de Catarina Martins com apenas 5 deputados – tinha 19 na anterior legislatura.

O BE abriu a porta para que o país tenha um OE pior do que teria, entende o sociólogo, notando que o partido de Catarina Martins poderia apresentar propostas na especialidade.

Ao votar contra, o Bloco deu “dois tiros nos dois pés”, pois deixou o PS liberto para ser “menos de esquerda” e perdeu poder de influência no Parlamento, conclui Sousa Santos.

No artigo de opinião no Público, o professor universitário escreve que Catarina Martins “passou a primeira metade da campanha a justificar a decisão da rejeição do Orçamento e a segunda metade a parecer querer pedir desculpa por tê-lo feito”. “Que credibilidade pode ter tal dirigente?”, questiona, considerando que a “tragédia” do BE é já poucos notarem diferenças relativamente ao PCP.

  ZAP //

29 Comments

  1. Se se demitir o que é que vai fazer?
    Quem viu a Catarina antes de ser do bloco? que tem ela para mostrar? Diz que era actriz… em que filme, série ou teatro?
    Vai-te para onde vieste que só estragaste enquanto aqui andaste….
    E leva a filha do “gatuno assassino” contigo… que é ideologicamente igual….

    • Muito bem dito manel Lisboa!
      Pena ter-se esquecido da outra “filha” do “heroi assassino”.
      Ja imaginou a foto: A Catrina no meio e as duas pombinhas a seu lado todas de mao dada…!

      • Ela e as duas filhas do medonho assaltante da Figueira, estão a conspurcar o BE. É mais que altura que devem sair da sua cúpula, quanto antes. para evitar que haja uma continuidade na erosão do partido.

    • Mas são estes de extrema-esquerda + o PCP defensores de ditaduras que ao contrário do CHEGA não incomodam o senhor Costa e companhia para contraírem matrimónio e celebrar acordos, espero que desta vez a Catarina já tenha ido na segunda-feira devolver as alianças que comprara na ourivesaria para o tão desejado novo casamento com Costa, mas que desta vez não resultou.

        • Onde foi a escola do Cunhal entre outros, não teria sido na defunta URSS? O covid deve ter-te afetado a memória muito a sério!

          • O Cunhal ainda é vivo? E a URSS?!
            Ficaste parado no tempo… é que, caso não tenhas reparado, a Russia tem actualmente no poder um ditador de extrema-direita!…

            Mas, esta noticia é sobre a Catarina tontinha e o BE; diz lá uma ditadura que eles defendam!
            Basta uma, só para confirmar as tuas teorias…
            Eu não os queria estar a defender, mas espalhar constantemente boatos e mentiras não fica nada bem…

  2. Não consigo perceber este “apego” ao poder…
    já depois de conhecidas as previsões ela dizia que foi à cerca de meses reconduzida no cargo por isso tinha toda a legitimidade para continuar à frente do bloco e quanto a isso nada contra, porém, depois de tamanha derrota era mais do que espectável que pelo menos, coloca-se o lugar à disposição…

    Mas parece que democracia só fora do partido. Lá dentro é tipo o PCP com o quero, posso e mando…

  3. O problema do BE não é Catarina Martins. É uma fixação com ideias – há quem lhes chame tiques – que não fazem sentido numa sociedade moderna. Há lugar e necessidade para um partido à esquerda do PS, mas não pode ser um partido que segmenta a sociedade em blocos minoritários e em vez de se preocupar com o todo, preocupa-se com as minorias que ele próprio criou. Em vez de se preocupar com os direitos humanos, preocupa-se com os direitos das mulheres, dos gays, das minorias étnicas. Mas será que há direitos das mulheres, dos gays ou das minorias étnicas, que não sejam direitos humanos e que não sejam iguais para todos? Pode haver violações mais flagrantes desses direitos no respeitante a esses sub-grupos, mas os direitos são os mesmos. Se lutarmos pelo respeito dos direitos humanos, estamos a lutar pelos direitos das mulheres, dos gays e das minorias étnicas. Mas isso é coisa que o pessoal do BE não percebe. E como adora causas, inventa-as e luta por elas, sem perceber que a segmentação artificial que faz acaba por prejudicar aqueles que pretende ajudar. É por isso que prefere ser oposição a ser governo, e por isso não desempenham o papel que um verdadeiro partido de esquerda devia desempenhar. Assim, vão acabar por desaparecer…

    • Caro Nuno, exactamente na mouche. o BE, para existir, foi obrigado a desistir de assumir uma ideologia clara – para nao se porem a’ pancada troksistas, udpistas e ex-pcpistas. Em troca, compraram a doutrina das causas identitarias, de resto mostrando predominacia troksista, que ja’ tinha comecado a fazer esse caminho. Com vergonha do passado do movimento comunista, em vez de se orgulhar dele, e assumir frontalmente uma reflexao critica aos erros e decadencias constatadas nesse movimento, saltaram da frigideira para o lume. O disparate do politicamente correcto, so’ ajudou a oportunistas tipo Ventura, a crescer. O exemplo mais flagrante e’ o Mamadu, um racista oportunista disfarcado de anti-racista. Este racista falsificou tranquilamente Fratz Fanon, ao mentir atribuindo a este a frase “e’ preciso matar o homem branco”. Ora Frantz Fanon disse precisamente o contrario do que esse mentiroso racista desonesto afirma: Frantz Fanon defendeu qeu o conceito de Homem Branco e Homem Negro eram fabricacoes do colonialismoa, e que era preciso matar o “Homem Branco” e o “Homem Negro”, enuanto conceitos do colonialismo. Fnon sempre se opos a’ “Negritude”, a reparacoes dos “brancos” spbre o passado, etc, etc, etc. So’ mesmo ignorantes e/ou cobardes ideologicos e’ que poderiam promover este racista e pagar-lhe salaro de assessor.

      Por mim, o unico aspecto positivo desta votacao, e’ precisamente dar uma bofetada nessa teatral ignorante , e abanar os genuinos militantes de esquerda que porventura existam, a sacudir a pseudo-ideologia do identitario, que nao passa de simples corporativismo de interesses. Eis agora as “mulheres” do PS a exigir promocao…porque sao mulheres. Porque nao exigir promocao dos mais competentes, e depois se existir um homem incompetente promovido em ve de uma mulher competente, denunciar que isso viola o principio de tratar homens e mulheres por igual? Pela razao que o que querem, e’ beneficios corporativos. Como qualquer grupinho de interesses.

    • O problema é que a Catarina como muita gente de esquerda entendem que esses tais direitos dessas minorias se devem sobrepor a todos os outros da restante sociedade, nunca os ouvi condenar a vítima do ladrão ou do assassino, preferem fazer o contrário e no que toca a motivações sexuais é vê-los em exibicionismos públicos e provocatórios desafiando a mentalidade sobretudo dos jovens indefesos e inseguros tentando-os trazer para a mesma luta anarquista.

  4. Bem…Ó Armindo, isto não há uma forma mais educada de colocar as coisas… Aqui vai…

    “…ela dizia que foi à cerca de meses reconduzida…” – Errado. Este “à cerca” é do verbo haver, logo seria “há cerca”. Que é como quem diz tem alguns meses.
    “…era mais do que espectável que pelo menos…” – Expectável, de ser algo esperado. Espectável é admirável, notável. Caso contrário, a frase ficaria com um sentido quase oposto ao que pretende.
    “…que pelo menos, coloca-se o lugar à disposição…” – Colocasse e não coloca-se.

  5. Estamos a falar de trotskistas, maoistas, gramscianos e quejandos. O idolo das meninas é um terrorista assaltante de bancos e assassino (que hoje é tido por herói). De qualquer forma as comadres começam a zangar-se e isso vai ser pior que uma discussão de bordel.

  6. A realidade é que o BE e o PCP fizeram literalmente “M…” quando votaram contra o orçamento, provocando eleições!!
    São anedóticos, pregam aos quatro ventos que defendem os trabalhadores e os reformados contra o que consideram ser os “papões maldosos da direita” mas juntam-se a essa mesma direita para votarem contra medidas que eles próprios propuseram e prejudicando quem eles afirmam defender (segundo as ideias que defendem)!!
    Não aprendem nada, e com o seu radicalismo ideológico estão sempre a favorecer o que consideram ser os “papões maldosos da direita”, ao insistirem em permanecer como inofensivos partidos de protesto sem qualquer influência nas políticas do país, e por estão sempre a dar uma carrada de tiros nos pés ao não aproveitarem e não as oportunidades que têm de influenciarem a política governativa!!! A direita agradece!!!…

  7. Portugal com o 25 de abril parece ter ficado refém de ideologias partidárias sobretudo de esquerda e extrema-esquerda, a única CDS, que existe à direita, católica, parece ter os dias contados, as de extrema-esquerda, comunistas, será que agora estarão a acordar os portugueses das suas verdadeiras intenções? Resta por enquanto a marxista PS que em todo o caso se tem adaptado melhor à realidade ocidental embora distante das sociais-democracias do norte europeu. Com tudo isto, terem enveredado por um caminho mais radical com uma direita sempre pacata e tímida como que refém da arrogância das esquerdas, acabamos por começar numas páginas mais atrasadas do que os nossos parceiros europeus as quais já tinham lido ou recusaram ler, e vamos teimosamente continuando sempre no rabo da Europa sem solução à vista, presos a ideologias ortodoxas com a economia em passo lento e discutindo direitos de minorias quando nem sequer os das maiorias são salvaguardados ou procuram subjugá-los às minorias disfarçados de humanistas.

    • O PS está “distante das sociais-democracias do norte europeu”?!
      Em quê? Pelo que se tem visto, até está mais à “direita” do que esses…

      • O PS à direita com ideologia do punho fechado, e depois não se trata de esquerda ou direita, trata-se de avanço económico!

        • Eu também não ligo a ideologias nem a conceitos de esquerda/direita (por isso coloquei “direita” entre aspas), mas, o “PS à direita com ideologia do punho fechado”??!
          “Punho fechado” em quê?!
          Claramente não conheces os “irmãos” do PS do norte da Europa!…
          Vai lá ver a carga fiscal, os apoios sociais, a número de funcionários públicos, o números de empresas publicas, etc, etc e depois anda cá dizer se, ao lado desses, o PS não é de “direita”!,,,

  8. Basta reparar nos tiques de Catarina Martins para perceber que de democrata terá muito pouco. Esta circunstância de ter perdido 14 deputados em 19 e de isso não a levar a auto afastar-se diz muito sobre ela.
    A democracia não é decretada pela cartilha ideológica; está simplesmente nas urnas.

    Joaquim Silva

  9. Democraticamente falando, acho que todos concordamos com a posição anti-democrática do BE e das suas madames (com mais ou menos erros ortográficos e gramaticais)!
    Sr Nuno CS está visto que não servem a democracia e muito menos trabalham para a persecução da “suposta” qualidade de vida…

  10. Este seu comentário só mostra aversão a quem luta pelos mais desfavorecidos e são bastantes mesmo. Ponha as mais na cabeças e pense um pouco sobre o que é o Bloco de Esquerda. A demitir-se seria todo o executivo do BE que ela representa. Foi assim uma grande parte do seu eleitorado pensou e escolheu estabilidade! Mas não se lembrou dos anteriores desastres económicos que as maiorias absolutas nos tem causado com bancarrotas, corrupção etc … Vamos ver no que cai dar ! É ESPERAR PARA VER…. MAS NÃO VAI SER NADA BRILHANTE PARA NÓS TODOS sabendo o que por aí vem ../… Depois benza-se!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.