Dalai Lama abre as portas à sucessão por uma mulher e regresso ao Tibete

IMs Bildarkiv / Flickr

Dalai Lama

O líder budista, Dalai Lama

O Dalai Lama, que se encontra de visita a uma região da Índia cuja soberania é reivindicada pela China – uma viagem muito criticada por Pequim – afirmou este sábado que o seu sucessor poderia ser uma mulher e reconheceu que voltará ao Tibete se receber um “sinal adequado” por parte do governo chinês.

“A possibilidade de uma Dalai Lama mulher é muito alta para os anos vindouros“, disse o líder budista em conferência de imprensa no estado de Arunachal Pradesh, no nordeste da Índia.

A sua sucessor terá que ser, no entanto, “muito atraente”, disse o Dalai Lama em jeito de brincadeira.

O líder religioso mostrou-se convencido de que reencarnará depois de morrer, mas “ninguém sabe” quando isso acontecerá, e insistiu que a China não pode decidir quem será seu sucessor, como pretende, pois isso seria um “completo disparate”.

Quanto ao seu possível regresso ao Tibete, o Prémio Nobel da Paz de 1989 pela sua luta pacífica a favor da libertação deste território não descarta a ideia, se houver uma mudança na atitude do governo chinês.

“Acredito que mais de 90% do Tibete quer que eu volte, muitos estão à minha espera. Há até milhões de chineses budistas que me querem de volta. Mas só voltarei quando houver um sinal positivo do governo chinês”, afirmou o Dalai Lama.

No segundo dia da sua visita à cidade de Tawang, próxima da fronteira com o Tibete e por onde entrou na Índia na sua fuga das tropas chinesas em 1959, o Dalai Lama defendeu que a oposição de Pequim à sua viagem é a uma “politização” dos factos.

Esta é a quinta vez que o líder religioso se desloca à região disputada dos Himalaias, que visitou pela última vez em 2009 – viagem cujo objectivo é ministrar doutrinas espirituais.

A soberania de Arunachal Pradesh é reivindicada por Índia e China desde, praticamente, a criação do Estado indiano, e foi o motivo de um breve confronto entre os dois países em 1962.

Nova Deli e Pequim mantêm rondas regulares de contactos para abordar os temas e reivindicações pendentes na sua agenda bilateral e aliviar a tensão diplomática, mas são frequentes as acusações mútuas de incursões militares na região fronteiriça.

Enquanto a Índia controla Arunachal Pradesh, província da qual a China reivindica 80 mil quilómetros quadrados, o regime comunista administra ‘de facto’ outra área disputada por ambos, Aksai Chin, na fronteira ocidental dos dois países e parte da histórica região da Caxemira.

// EFE

PARTILHAR

RESPONDER

Tribunal da Concorrência confirma coima de 75 mil euros a Ricardo Salgado

O Tribunal da Concorrência confirmou, esta quinta-feira, a coima de 75 mil euros aplicada pelo Banco de Portugal a Ricardo Salgado, no caso do financiamento do Grupo Alves Ribeiro (GAR) para compra de ações da …

Mais três mortes e 339 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta quinta-feira, mais três mortes e 339 novos casos de infeção por covid-19 em relação a quarta-feira, mostra o boletim mais recente da DGS. Segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS), dos …

Crise entrou em nova fase mas mundo "não está fora de perigo", diz FMI

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, disse esta quinta-feira que a crise provocada pela pandemia entrou numa nova fase, que exige flexibilidade para assegurar "uma recuperação sustentável e equitativa", alertando que o mundo …

China bane importação de ovelhas portuguesas

As alfândegas chinesas baniram as importações de ovelhas e produtos relacionados de Portugal, alegando um aviso da Organização Mundial de Saúde Animal sobre um surto de paraplexia enzoótica dos ovinos na Guarda. A notícia foi avançada …

Tânia já pode abraçar os filhos. Livrou-se do coronavírus ao 16º teste após 4 meses isolada

A algarvia Tânia Poço foi, finalmente, dada como "curada" de covid-19 após quatro meses de confinamento. Aquele que terá sido o caso mais prolongado da infecção em Portugal, chegou ao fim com o 16º teste …

Exame de Matemática A criticado. Prova "infeliz" não permite "distinguir" alunos

A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) criticou esta quinta-feira a elaboração do exame nacional de Matemática A, prova realizada por mais de 38.699 alunos que pretendem concorrer ao Ensino Superior. No entender da SPM, "o …

Ninguém quer o novo aeroporto do Montijo. Medina apela a "avanço" na decisão

Autarcas e ambientalistas foram ouvidos, esta quarta-feira, no Parlamento, onde se discutiu o projeto do novo Aeroporto do Montijo. A posição de ambos parece clara: ninguém quer avançar com a ideia. A construção do aeroporto …

Pandemia acelera nos Estados Unidos. Uso de máscara pode salvar 40 mil vidas

Os Estados Unidos ultrapassaram pela primeira vez a barreira dos 70 mil casos de covid-19, nas últimas 24 horas, elevando para mais de 3,49 milhões o total de contágios no país, indicou a Universidade Johns …

Presidente polaco falou ao telefone com Guterres sobre a comunidade LGBT e a 2.ª Guerra (mas não era Guterres)

O recém-eleito Presidente da Polónia, Andrzej Duda, julgava que estava a conversar por telefone com António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas. Falou-se da pandemia, da comunidade LGBT e da II Guerra Mundial. Porém, do outro …

Itália pediu ajuda, Europa ficou em silêncio e o vírus cavalgou por todo o continente

A lenta resposta a um inimigo invisível, a falta de stock de equipamentos de proteção, um Ocidente a festejar o Ano Novo e uma Europa com as atenções centradas no Brexit. Um cocktail desastroso que …