Proteção de Dados não tem dinheiro para fiscalizar nova lei

(dr) CLSBE/UCP

Filipa Calvão, presidente da Comissão Nacional de Proteção de Dados

A nova lei do RGPD entra em vigor dentro de 8 dias, a 25 de maio, mas a líder da Comissão Nacional de Proteção de Dados diz não ter dinheiro nem para pagar salários de junho, muito menos para a fiscalização da nova lei do RGPD.

A 8 dias da entrada em vigor do novo Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD), a entidade encarregue de fiscalizar o cumprimento da lei europeia em Portugal afirma que não vai ser capaz de cumprir a tarefa.

De acordo com Filipa Calvão, presidente da Comissão Nacional de Proteção de Dados, citada pelo ECO, a entidade não terá sequer dinheiro para pagar os salários de junho.

No Parlamento, onde foi ouvida na quarta-feira, Filipa Calvão denunciou a falta de recursos e de dinheiro. O RGPD entra em vigor em toda a União Europeia a 25 de maio, o que tem causado alguma azáfama nas empresas que estão em preparação para o cumprimento do Regulamento.

A Presidente aproveitou a ida ao Parlamento para pedir um “efetivo reforço de meios“, explicando “não ser possível, com os recursos que temos, fazer o que quer que seja, no âmbito do regulamento, que seja efetivamente uma tutela eficaz dos direitos fundamentais”.

“Se não nos dotarem de meios, não conseguiremos estar à altura da função. Não temos neste momento orçamento para pagar vencimentos em junho.” Filipa Calvão fez questão de salientar que esta denúncia já tinha sido dirigida ao Parlamento pela própria em janeiro.

“Nós, Estado português, que tivemos a primeira Constituição a consagrar um direito de proteção de dados, vamos passar pela vergonha de sermos aquele que não reforçou os meios da autoridade de proteção de dados e que está praticamente obrigada a fechar portas quando o regulamento começar a ser aplicado”, uma vez que o orçamento de que a CNPD dispões está pensado para valer até maio.

Com a entrada em vigor do RGPD, passam a ser as empresas a terem que provar à Comissão que cumprem as novas regras, numa gestão de autorregulação. Por sua vez, cabe à CNPD fiscalizar a situação das empresas.

Em casos de incumprimento, as empresas enfrentarão coimas até 20 milhões ou 4% do volume de negócios anual.

O Governo decidiu, no entanto, que durante três anos, o setor público fica isento de coimas e as pequenas e médias empresas terão coimas menos gravosas do que as grandes empresas.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Palavra “mulher” já tem nova definição

O dicionário online Priberam e o canal de televisão FOX Life uniram-se para desafiar os portugueses a participar na revisão do significado da palavra "mulher". Três semanas depois, apresentam-nos o resultado. Esta terça-feira, o dicionário online …

EUA emitem alerta sobre "ataques sónicos" na China

Esta quarta-feira, a embaixada norte-americana na China emitiu uma alerta após um funcionário do Governo ter sofrido uma lesão cerebral. A embaixada norte-americana na China emitiu um alerta depois de um funcionário ter sofrido uma lesão …

Descobertas 481 moedas romanas dos séculos I ao III em Braga

Um museu em Braga descobriu 481 moedas romanas datadas do século I ao século III que permitem perceber o circuito de comércio no Mediterrâneo na época do Império Romano. Esta quarta-feira, o Museu Pio XII, em …

José Manuel Coelho condenado a ano e meio de prisão domiciliária

O deputado do PTP/Madeira foi, esta quarta-feira, condenado a um ano e seis meses de prisão domiciliária pela prática de vários crimes de difamação e de divulgação de fotografias ilícitas. José Manuel Coelho foi julgado na …

Maternidade só deixa mãe ver as filhas recém-nascidas depois de pagarem a conta

Uma mãe esperou cinco dias para ver as suas filhas recém-nascidas porque não tinha dinheiro para pagar as despesas médicas. Juliana Logbo esperou cinco dias depois do parto para ver as suas filhas gémeas e recém-nascidas …

Novo escândalo de abusos sexuais no Chile leva à suspensão de 14 sacerdotes

A diocese da cidade chilena de Rancagua anunciou, esta terça-feira, a suspensão de 14 sacerdotes implicados num novo escândalo de abusos sexuais sobre jovens e menores. "Estes padres cometeram atos que podem constituir crimes nos domínios …

94% das universitárias de Coimbra já foram alvo de assédio sexual

Um estudo realizado pela UMAR Coimbra sobre a violência sexual em contexto académico revela que 94,1% das mulheres inquiridas já foram alvo de assédio sexual, 21,7% de coerção sexual e 12,3% reportaram já terem sido …

Israel admite: o famigerado F-35 já se estreou em combate

A força aérea israelita admitiu ter usado, pela primeira vez, o poderoso caça bombardeiro numa ação de combate contra dois tanques, numa missão recente. Um dos aviões de combate mais avançados do mundo, o novo caça-bombardeiro …

Proposta do PS sobre a habitação suspende despejos já em curso

O PS avançou com uma proposta de alteração ao seu próprio projeto. A medida abrange inquilinos com mais de 65 anos ou com grau de incapacidade igual ou superior a 60% desde que residam há …

Função Pública vai ter aumentos em 2019 (mas não nos salários)

O ministro das Finanças referiu, esta quarta-feira, no Parlamento, que os funcionários públicos vão ter aumentos em 2019, através da "via do descongelamento de carreiras". Mas sobre um eventual aumento dos salários não se pronunciou. "Todos …