CTT. Sindicato denuncia atrasos, postos em capelas e tentativas de entrega que nunca ocorreram

10

Mika Stetsovski / Flickr

Os trabalhadores dos CTT – Correios de Portugal denunciam atropelos sistemáticos à lei por parte da empresa, com o Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Correios e Telecomunicações a apontar para postos de correio em capelas, atrasos graves na correspondência e falta de funcionários.

“O carteiro passa todos os dias, mas só deixa correio uma vez por semana”, havendo correspondência com “atrasos de quinze dias, registos com atrasos de cinco dias e correio azul com atraso de três a cinco dias e, nalguns casos, mais”, disse à TSF o presidente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Correios e Telecomunicações.

Em declarações publicadas esta segunda-feira, Vítor Narciso contou que há bairros onde os carteiros já se recusam a distribuir correspondência devido à revolta dos moradores, acusando igualmente a administração dos CTT de não cumprir o contrato de concessão.

Segundo o artigo da TSF, em 22 inspeções feitas em 2021, a Anacom – Autoridade Nacional de Comunicações detetou demoras significativas no correio prioritário e normal e falta de distribuição em várias zonas. A entidade já atribuiu várias multas e tem, atualmente, mais de uma dezena de processos abertos.

Já o Portal da Queixa registou mais de 7 mil denúncias no primeiro trimestre de 2022 – dificuldades no desalfandegamento, demora ou não resolução de reclamações ou atrasos na entrega de postais internacionais. Os avisos de tentativas de entrega que nunca foram feitas lideram as reclamações e, segundo Vítor Narciso, em muitos casos a correspondência nem sequer chega a sair para a rua.

O sindicato revelou que faltam mais de mil trabalhadores, com os CTT a recorrer à contratação externa. “Nesses casos, é muito frequente os trabalhadores não terem recibos de vencimento, receberem o valor do trabalho em envelopes com dinheiro, em cafés e em bombas de gasolina”, denunciou Vítor Narciso.

Há casos que chegam à Justiça, continua o artigo da TSF, com a empresa a ter que integrar alguns desses “carteiros à jorna”. Os CTT desmentem. “Desmentimos categoricamente que os CTT cometam qualquer tipo de irregularidade”, disse à TSF o porta-voz dos CTT, Miguel Salema Garção.

“Os funcionários desses terceiros não pertencem aos quadros dos CTT, é uma responsabilidade que diz respeito à entidade patronal desses terceiros. Se os CTT contratam determinado serviço com outra entidade, o colaborador está sob a alçada dessa entidade e não sob os CTT. OS CTT pagam sobre um serviço”, disse ainda.

Miguel Salema Garção reconheceu, contudo, que os critérios de qualidade impostos pelo contrato de concessão nem sempre são cumpridos, mas entende que são os critérios do regulador que estão errados.

  ZAP //

10 Comments

  1. Privados é que sabem gerir bem… curiosamente os CTT têm um serviço pior e com os preços sempre a aumentar desde o primeiros tempos da privatização!…

    • Mais uma razão para não serem privatizados!!
      Até nos EUA os correios são públicos!!

      “Iguais ou piores que públicos”?
      Os CTT eram um dos melhores serviços postais do mundo – e ainda o são, mas perderam qualidade em geral e, o pior – aumentaram muito os preços!!
      Fora isso, comigo tem funcionado relativamente bem, sendo que o serviço é pior nos grandes centros…

  2. Ainda hoje, dia 13-06-2022, recebi um envelope de correio verde colocado em Lisboa/Almirante Reis, no 07-06-2022. Tenho a certeza que foi colocado, porque foi a minha filha.

  3. Temos que admitir que o caso dos CTT terá sido um erro político e ao que parece até era uma empresa rentável, entrega-se o bom aos privados sem qualquer exigência e fica-se com o que não presta para nós contribuintes alimentarmos pela vida fora! Estes são os “políticos” que temos tido nesta geração de incompetentes que as escolas têm “formado” nesta era “democrática!”

    • Todas a empresas públicas vendidas ao desbarato pelo gangue do Passos davam lucro e eram completamente rentáveis (quem me dera ter uma dessas empresas com lucros garantidos!!) – só de pensar no milhões que uma ANA podia estar a dar ao país (e que saem do país!) dá logo vontade de pôr esses cobardes/traidores/parasitas em prisão perpétua!…

      O caso do CTT é ainda mais grave porque é uma empresa com “apenas” 500 anos e NUNCA deu prejuízo!!

      • Os CTT, tal como a EDP, foram vendidos porque o Sócrates e o gangue do PS levou o país à bancarrota e a um acordo com a Troika na qual essas privatizações estavam incluídas.

        • É verdade que essas privatizações estavam previstas no PEC mas, principalmente a dos CTT (que foi das últimas) além de não ser necessária, foi feita para agradar a certos grupos económicos (pelo banco CTT, etc), foi claramente feita contra os interesses do país!

          Também convém relembrar que embora o PEC fosse do governo Sócrates, eles o faziam contra vontade: ao contrário do Passos que, além de tudo fazer para o aplicar, até se gabou de ir além da troika!
          Um estourou e o outro vendeu ao desbarato!!

  4. Desde os CTT passaram a privados têm sido uma desorganização Total, entrega de Correspondência a más Horas e quando a não Entregam uma Vergonha.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.