//

A/C dos CTT: Os correios espanhóis estão a caminho de Portugal

6

portugal.gov.pt

A espanhola Correos Express comprou 51% da Rangel Expresso e torna-se uma concorrente direta dos CTT – Correios de Portugal. A empresa já tinha manifestado o interesse em integrar o mercado português.

Segundo a Autoridade da Concorrência, citada pelo Público, é possível saber-se que o negócio pressupõe a “aquisição, pela Correos Express Paquetaría Urgente, de 51% do capital social da Rangel Expresso, detida e controlada direta e indiretamente pela Espera Investments”, informa o Público.

Desta forma, os espanhóis assumem controlo acionista da empresa sediada na Maia, que tem uma atividade direcionada principalmente à logística e ao transporte. A empresa já tinha uma aposta na área das encomendas e correio expresso e, com esta aquisição, promete apostar ainda mais.

Segundo o El País, a operação deve ser autorizada pelo Conselho de Ministros do Governo Espanhol, uma vez que esta se trata de uma empresa de capital 100% público através da Empresa Estatal de Participação Industrial (SEPI). O valor pago pelos 51% da Rangel Expresso não foi divulgado publicamente.

A Rangel Expresso conta com uma frota de 200 veículos e mais de uma dúzia de centros de distribuição em Portugal. O negócio pretende unir Portugal e Espanha numa investida conjunta ao mercado ibérico.

Os CTT poderão sentir dificuldades perante a entrada da concorrente espanhola. Os dividendos dos Correios de Portugal têm vindo a descer e, no último ano, os lucros da empresa caíram 50% para 10 milhões de euros. Além disso, a empresa foi acusada pela Anacom de divulgar informação enganosa.

Os CTT divulgaram, no dia 13 de fevereiro, uma nota que indicava que “as reclamações totais de serviços postais recebidas” pela empresa “caíram 7% em 2018 face a 2017″. Nesse mesmo dia, a Anacom avançou que “as reclamações sobre o sector postal aumentaram 43,3% em 2018, passando de 16 mil em 2017 para 22,9 mil em 2018″.

O crescimento do comércio eletrónico permitiu um aumento das encomendas por todo o país. Resta agora saber se, tanto os CTT como a Correos Express, consegue competir com o avanço incessante de empresas de distribuição como a DHL e a Chronopost.

  ZAP //

6 Comments

  1. Bem criaram um banco de um marca de prestigio como os Ctt mas a continuar assim nao vai sobrar pedra sobre pedra (sem serviço postal) no futuro sera um banco tal e qual como os outros sem nenhum valor acrescentado …

  2. Boa Passos!!
    Por aqui se vê o resultado do teu belo serviço prestado ai país!!
    Deste a manchada para a destruição dos CTT e agora uma empresa PUBLICA espanhola entra no mercado dos CTT!…
    Lindo…

    • Uma notícia mal dada origina depois comentários descabidos destes…

      1) Os correios espanhóis vão entrar no negócio das encomendas, área que conta já com dezenas de outras empresas a operar no nosso mercado há muitos anos

      2) A UE é um espaço de livre circulação de pessoas, bens e negócios. E isso é bom

      3) A privatização dos CTT foi um bom negócio para o Estado Português

      4) A privatização dos CTT foi acordada com a Troika também pelo PS

      • “A privatização dos CTT foi um bom negócio para o Estado Português”
        Isso é uma piada irónica, ou acreditas mesmo nisso?!
        Foi um negócio tão bom que o Estado Português deixou esse negócio, mas o Estado Espanhol vai entrar nesse negócio em Portugal!…
        Pois… agora, tenta lá explicar o que esse negócio teve de bom para Portugal!…
        .
        PS: Descabidos dão os comentários de quem tenta branquear a realidade!…
        Não me interessa o que o PS “acordou” com a máfia da troika; o que me interessa é o que é bom (ou mau!) para para Portugal!!
        Neste caso, a opção do Passos foi, tal como quase todas as outras, a mais fácil (e amais ruinosa para Portugal/para os portugueses) – e muito benéfica para os espanhóis – como se comprova com mais esta notícia!…

        • Pela sua ordem de ideias a renacionalização da TAP deve ter sido um bom negócio para o Estado. Só este ano lá vão mais de cento e tal milhões em prejuízos.

          • Pela minha “ordem de ideias”, deverias estar a comentar este lindo serviço que foi feito nos CTT e que os está à levar à destruição – quando antes davam bom lucro e funcionavam bem!
            .
            PS: A TAP não foi renacionalizada; continua privada e com gestão privada.
            Simplesmente, já que o Estado assumia a dívida/risco, aumentou a sua posição para 50%.
            Portanto, o prejuízo NADA tem a ver com o facto do Estado ter 50% ou 34%!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.