Portugal é um dos cinco países que vai acolher crianças migrantes de campos gregos

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou que cinco países da União Europeia (UE) responderam positivamente ao pedido de ajuda imediata feito pela Alemanha para acolher as cerca de 1500 crianças migrantes desacompanhadas que estão nos campos de refugiados das ilhas gregas.

Portugal é um dos países que deu resposta positiva, ao lado da França, do Luxemburgo, da Finlândia e da Alemanha, disse Von der Leyen esta segunda-feira em Bruxelas, durante a conferência de imprensa sobre o balanço dos primeiros cem dias da sua Comissão, segundo noticiou o Público. Nos próximos dias, devem anunciar a sua capacidade de acolhimento.

“Uma solução humanitária está a ser negociada a nível europeu para que uma coligação de voluntários recebam essas crianças”, revelou Governo alemão em comunicado, citado pela Rádio Renascença, no mesmo dia em que o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, estará em Bruxelas para conversar sobre a situação dos migrantes na fronteira turco-grega.

Embora não tenha especificado os países envolvidos, a Alemanha está pronta para acolher. “São crianças que, devido a uma doença precisam urgentemente de cuidados, ou crianças desacompanhadas com menos de 14 anos, a maioria meninas”, lê-se no documento. Desde a crise em 2015, a Alemanha recebeu mais de um milhão de migrantes.

Stephanie Pope, responsável pela política e direito europeus na Refugee Rights Europe, indicou que “os pontos de acesso da UE nas ilhas do Mar Egeu são totalmente inadequados e, em alguns casos, locais com risco de vida para crianças desacompanhadas”.

“Cada Estado-membro só precisa de aceitar um pequeno número de crianças desacompanhadas para acabar com a situação intolerável em que estes menores se encontram. Acreditamos que a UE pode fazer melhor”, disse. Algumas organizações apontam para mais de 1.800 crianças desacompanhadas, sem quaisquer condições.

Milhares de migrantes tentam atravessar a fronteira entre a Turquia e a Grécia desde que o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou, em fevereiro, que havia deixado de respeitar um acordo de março de 2016 com a União Europeia (UE), no qual se previa a permanência de migrantes no país, em troca de apoio financeiro europeu a Ancara.

Na quinta-feira, as autoridades gregas anunciaram que mais de 1.700 de migrantes chegaram às ilhas gregas, incluindo menores, além dos 38 mil já presentes, o que superlotou os campos de refugiados, em condições cada vez mais precárias.

No domingo, Erdogan apelou à Grécia para que abrisse as fronteiras aos migrantes e os deixasse passar para a Europa.

 

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Tudo o que posso dizer, é que as crianças não tem culpa da ignorancia, fanatismo e egoísmo dos Pais que tem e que persistem em procriar, num País em guerra. Acolher e educar essas crianças, é o mínimo que se possa fazer, quanto aos Adultos que lutem e sejam tão reivindicativos com os seus proprios Governantes, como são com os Países acolhedores !

    • Nem dos bombardeamentos realizados pela França, EUA, RU, etc….
      O ditador ainda continua no poder e a população (e o país) está como se vê!…

RESPONDER

A polícia holandesa achava que tinha em mãos o mafioso mais procurado da Europa. Afinal, era só um fã de F1

Um homem de Liverpool de 54 anos pensava que o grande evento da sua viagem aos Países Baixos seria assistir ao Grande Prémio de Fórmula 1, mas acabou detido numa prisão de alta segurança por …

Cobertura global de corais caiu para metade desde 1950, revela relatório

A cobertura global de recifes de coral caiu para metade desde 1950, cenário originado pelo aquecimento global, pesca excessiva, poluição e destruição de habitats naturais, revelou uma análise divulgada esta sexta-feira. Desde a Grande Barreira de …

O sonho de Christo concretizou-se, 60 anos depois. O Arco do Triunfo foi embrulhado como um presente

Já desde o início dos anos 60 que Christo imaginava como seria cobrir o Arco do Triunfo em tecido. A sua visão foi finalmente concretizada e pode ser visitada entre 18 de Setembro e 3 …

Holanda. Ministra da Defesa renuncia devido à crise de evacuação do Afeganistão

Após a ministra das Relações Externas holandesa, Sigrid Kaag, renunciar devido ao desastre da evacuação do Afeganistão, esta sexta-feira foi a vez da ministra da Defesa, Ank Bijleveld. Segundo relatou o Guardian, acredita-se que os ministros …

Tribunal da África do Sul recusa anular pena de prisão do ex-Presidente Jacob Zuma

O mais alto tribunal da África do Sul rejeitou o pedido do ex-Presidente Jacob Zuma para anular a sua sentença de 15 meses de prisão por não comparecer a uma sessão de inquérito por corrupção. Em …

EUA. Advogado planeou o próprio assassinato para o filho receber seguro. Foi detido por fraude

Um influente advogado norte-americano, cuja esposa e um dos filhos foram assassinados, foi acusado de fraude contra uma empresa de seguros e falso testemunho por organizar o seu próprio assassinato. Segundo avançou a agência France-Presse, …

Norberto Mourão conquista bronze nos Mundiais de canoagem adaptada

Norberto Mourão já tinha conquistado o bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e junta agora mais uma medalha à colecção, desta vez nos Mundiais de canoagem adaptada. O atleta de canoagem adaptada Norberto Mourão conquistou hoje …

Caso George Floyd. Polícia condenado a 22 anos de prisão pode ver a sentença revertida

A intervenção do Supremo Tribunal do Minnesota num outro caso de violência policial para reduzir a pena de um agente pode abrir um precedente para que haja alterações na sentença de Derek Chauvin. Segundo avança a …

Futebol português contra Campeonato do Mundo de dois em dois anos

O futebol português está contra a intenção da FIFA de aumentar a periodicidade do Campeonato do Mundo, passando de quatro para de dois em dois anos, refere um comunicado conjunto divulgado hoje. O documento, assinado pela …

Governo quer proibir empresas de recorrer ao 'outsourcing' após despedimento coletivo

O Governo quer proibir as empresas que façam despedimentos coletivos de recorrerem ao 'outsourcing' (contratação externa) durante os 12 meses seguintes, disse hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. No final …