Costa e Marcelo juntaram-se à festa do São João no Porto

José Coelho / Lusa

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o primeiro-ministro, António Costa, e o presidente da câmara do Porto, Rui Moreira, durante as festas de S.João no Porto.

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o primeiro-ministro, António Costa, e o presidente da câmara do Porto, Rui Moreira, durante as festas de S.João no Porto.

O Presidente da República e o primeiro-ministro passaram a noite de São João no Porto e, depois de 15 minutos de fogo-de-artifício, aventuraram-se entre milhares de pessoas, sem qualquer medo da multidão de martelos que encheu a cidade.

O primeiro-ministro festejou o São João no Porto num dia repleto de peripécias, desde um desencontro com o presidente da câmara na ponte D. Luis, até ter de subir os 300 degraus das escadas das Fontaínhas, devido à avaria num funicular.

Entre milhares de pessoas que enchiam as ruas na quinta-feira, António Costa não conseguiu passar despercebido – mas nem era esse o objetivo, pois a cada dois passos parava, sorridente, bem-disposto e divertido, para beijinhos, abraços, fotografias e marteladas.

Antes de ir para a confusão e diversão, o primeiro-ministro reuniu-se com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, para a reunião semanal, na Casa de Serralves e, daí, seguiu para Vila Nova de Gaia.

O presidente admitiu mesmo ter ficado tentado em escolher Serralves como uma segunda casa, adiantando não haver razão nenhuma “para não repetir” ali os seus encontros semanais.

“Fiquei com essa tentação, porque realmente tem condições únicas, é uma grande instituição, com um prestígio não só nacional como internacional e porque esta primeira experiência correu muito bem”, disse Marcelo.

Um dia cheio de peripécias

António Costa, acompanhado da mulher, foi recebido pelo presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, e levou na bagagem um quadro e umas garrafas de vinhos de presente.

Daí, Costa foi para a ponte D. Luiz onde foi recebido pelo vereador da Habitação e Ação Social da Câmara do Porto, Manuel Pizarro, porque o presidente da câmara, Rui Moreira, teve de ir embora, depois de estar algum tempo à sua espera.

Costa brindou com Vinho do Porto ao São João, a Gaia e ao Porto a meio da ponte e, achando que iria de funicular da ribeira do Porto até ao Seminário Maior, onde jantou, teve de alterar os planos e subir os mais de 300 degraus das escadas das Fontaínhas.

Costa, Costa, Costa” gritavam as pessoas à passagem do primeiro-ministro. Houve até quem parasse no trânsito para tirar uma fotografia, embora sem sair do carro.

Apesar da música popular portuguesa que se ia ouvindo pelas ruas, o primeiro-ministro não arriscou dançar, mas nunca recusou uma selfie.

À meia-noite, Costa assistiu ao lado de Marcelo Rebelo de Sousa ao espetáculo pirotécnico sobre o rio Douro, com mais de 15 minutos, e registou o momento no telemóvel.

Depois do fogo, Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa aventuraram-se e foram até à Avenida dos Aliados a pé,  com a companhia da líder do CDS-PP, Assunção Cristas.

Já na avenida dos Aliados, Marcelo subiu para um autocarro panorâmico, de onde assistiu ao início do concerto da banda Xutos e Pontapés.

E entretanto, nunca deixou de lançar beijinhos às dezenas de milhares de portuenses que encheram a avenida, que em resposta gritavam “Marcelo, Marcelo, Marcelo”.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Infarmed já tem substituto para medicamento de Parkinson que esgotou

O Infarmed, Autoridade Nacional do Medicamento, garantiu uma alternativa ao Sinemet, medicamento para a doença de Parkinson que está esgotado nas farmácias portuguesas. "Na sequência das diversas reuniões com as empresas que têm medicamentos nesta área, …

Outono chega no domingo com temperaturas de verão

O outono começa no domingo com temperaturas acima dos 30 graus Celsius, podendo aproximar-se dos 40 nas regiões da Beira Baixa, Alentejo e Vale do Tejo, segundo Ricardo Tavares, do Instituto Português do Mar e …

Sánchez disposto a ir ao senado explicar “erro numa passagem” do seu livro

O primeiro-ministro espanhol disse, esta quinta-feira, que está disposto a ir ao senado explicar o "erro numa passagem" de um livro que escreveu e que "vai ser corrigido", avisando a oposição que vai continuar a …

Empresa austríaca cria método que transforma plástico em petróleo

A companhia petrolífera austríaca OMV apresentou esta quinta-feira um inovador procedimento que permite a produção de petróleo a partir de resíduos de plástico - material que é precisamente fabricado a partir deste recurso natural. A inovadora …

José Sócrates promete escrever um livro sobre a "traição" do PS

O ex-primeiro-ministro socialista compara a sua situação com a do ex-Presidente brasileiro Lula da Silva. A única diferença, segundo José Sócrates, é que "o PT manteve-se sempre ao lado de Lula". Numa entrevista ao Folha de …

Em nome da ciência, polvos tomaram ecstasy (e houve muito amor à mistura)

O que é que acontece quando um polvo consome drogas, mais concretamente ecstasy? Cientistas norte-americanos tiveram a oportunidade de realizar essa experiência. De acordo com o Science Alert, a equipa de investigadores deu MDMA, substância psicotrópica …

Recapitalização da CGD faz disparar défice de 0,9% para 3%

Sem a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD), o défice orçamental de 2017 situar-se-ia nos 0,9% do Produto Interno Bruto (PIB). Mas o cheque de quase 4 mil milhões de euros que o Governo …

Jovem foi violada quando estava inconsciente. Tribunal fala em "sedução mútua"

Uma jovem de 26 anos foi violada por dois indivíduos quando estava desmaiada, numa discoteca em Vila Nova de Gaia. A Relação do Porto entendeu que os criminosos não devem ser condenados a uma pena …

7 dos 10 políticos mais ricos de Portugal são do PS. Basílio tem 11 milhões

O presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, tem um património superior a 11,5 milhões de euros, sendo assim o político em funções mais rico de Portugal. Os dados são avançados pela revista Sábado …

Trump ameaça paralisar Governo se não houver dinheiro para o muro

O Presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçou esta sexta-feira travar um acordo orçamental que permitiria evitar a paralisação das instituições federais do país, por este não prever financiamento para construir o seu desejado muro na fronteira …