Trabalhadora “castigada” a carregar a mesma palete todos os dias debaixo de 40 graus

Uma empresa corticeira de Santa Maria da Feira é acusada de “castigar” uma trabalhadora que, por ordem judicial, foi reintegrada após despedimento considerado ilegal, a carregar e descarregar sempre os mesmos sacos de rolhas, por vezes debaixo de temperaturas superiores a 40 graus.

A denúncia é feita pela Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses (CGTP) que refere que, “por ‘castigo'”, a trabalhadora da Corticeira Fernando Couto, situada em Paços de Brandão, Santa Maria de Feira, “está a carregar e descarregar uma palete com os mesmos sacos todos os dias, desde o início de Maio”.

Não saio do mesmo sítio todo o dia. Carrego e descarrego a mesma palete com sacos de cinco mil rolhas mais de 30 vezes por dia, durante nove horas”, queixa-se a trabalhadora, Cristina Tavares, em declarações ao Jornal de Notícias (JN), lamentando que “ainda tem que os alinhar e colocar todos certinhos”.

“Sou sozinha e tenho um filho doente de 21 anos que preciso de alimentar”, diz ainda Cristina Tavares.

A CGTP reforça que, “com um filho diagnosticado com Síndrome de Asperger e sem outro rendimento que não o do seu trabalho, a trabalhadora não aceitou o despedimento ilegal de que foi vítima e recorreu ao tribunal, que lhe deu razão [ao não considerar válida a extinção do seu posto laboral] e obrigou a empresa a indemnizá-la e a reintegrá-la”.

Depois da decisão do Tribunal da Relação do Porto e da sua reintegração na empresa a 7 de Maio passado, “foi ‘condenada’ a um trabalho completamente improdutivo, a carregar e descarregar uma palete com os mesmos sacos de 15 a 20 quilos, ao sol, num ambiente com temperaturas às vezes superiores a 40 graus centígrados e no qual sofre de constantes hemorragias nasais“, refere a CGTP.

O caso chegou à intersindical através do Sindicato dos Operários Corticeiros do Norte que sublinha o facto de a corticeira ter sido distinguida com os prémios de PME Líder em 2014, e PME Excelência em 2015.

O Sindicato também refere que a empresa estará a cometer outras alegadas ilegalidades, sujeitando a trabalhadora a “constantes provocações verbais e comportamentos discricionários que atentam contra a sua dignidade”.

A trabalhadora terá sido “proibida de aceder às instalações sanitárias usadas pelos restantes funcionários”, tendo acesso “em exclusivo” a uma casa de banho “com tempo de uso controlado e sem o mínimo de privacidade, de tal modo que foi obrigada a levar de casa um pano preto para impedir a visibilidade para o interior”, sustenta ainda o Sindicato.

“Os demais funcionários da empresa foram ‘convidados’ a não falar com a trabalhadora e foi-lhe proibido utilizar o parque de estacionamento usado por todos os outros”, acrescenta a mesma estrutura.

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) já terá realizado “duas acções inspetivas” à corticeira e “elaborado auto por assédio moral“, mas, segundo o Sindicato, a empresa acha que “não deve obediência” nem a essa medida nem a decisões judiciais ou direitos constitucionais, legais e contratuais.

Empresa nega e PCP quer explicações do Governo

A empresa nega estas acusações e assegura que “é tudo falso”, conforme declarações do director financeiro, Vítor Martins, ao JN.

“Já encaminhamos o assunto para o nosso departamento jurídico”, acrescenta este responsável, notando que “há muita mentira pelo meio” e garantindo que a ACT referiu à empresa que o processo por assédio moral “estava arquivado”.

Entretanto, o PCP pede explicações ao Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social num requerimento onde as deputadas Rita Rato e Diana Ferreira falam do caso como uma “situação inaceitável e chocante de represália e vingança”, conforme transcreve o Diário de Notícias.

Os comunistas pedem ao Governo para revelar que “medidas urgentes” vai tomar “para garantir o cumprimento integral dos direitos desta trabalhadora”. Além disso, perguntam ao Executivo que tipo de supervisão tem feito “junto de empresas galardoadas com títulos de reconhecimento, mas que têm práticas laborais marcadas pela violação de direitos fundamentais”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. … são estes tristes espetáculos que demonstram o gabarito empresarial português e 95% das ditas empresas trabalham com o dinheiro de todos nós, lá com as ajudas dadas pelos nossos belos governantes tipo banqueiros.

    • Tinha de ver um burro generalizar. Caso o amigo não tenha reparado isto é notícia. E se o é, é porque não é uma prática habitual mas antes uma exceção à regra! Infelizmente quer do lado de entidades empregadoras quer do lado de trabalhadores há muito lixo. Mas ainda assim será sempre uma exceção. Também conheço muitos trabalhadores que, sob proteção da lei, pouco ou nada fazem e ainda gozam com os “patrões”.
      Este caso é uma vergonha, esta empresa e os seus responsáveis são uma vergonha para o empresariado e deveriam ser seriamente punidos. Até porque o seu comportamento, a ser verdadeiro, incorre em graves infrações do código de trabalho e mesmo do respeito mais basilar pela condição humana. As autoridades deverão atuar o quanto antes!

    • Sr pedro esteve ao sol em santa maria da feira durante o mes de agosto e estes e os primeiros dias de setembro???? suponho que não…

  2. CORTICEIRA FERNANDO COUTO em Santa Maria da Feira. É procurar na NET o número e entupir-lhes os telefones sempre que tiverem um tempo livre sem nada para fazer minha gente.

  3. Mas não são assim todas as grandes empresas multinacionais?!
    Ou agora a Nike ou a Adidas já estão preocupadas com as crianças famintas que trabalham sem condições para satisfazer o consumismo ocidental?!

  4. Para se ser empresário deveria haver uma formação específica para tal, há ainda quem se imagine ser dono disto tudo e não só apenas empresários, bastas às vezes ser-se encarregado de qualquer coisa para se ser pior que o patrão, temos disto tudo um pouco sobretudo derivado a má formação das pessoas em causa.

  5. São todos a mesma porcaria, patrões de meia tigela sem qualquer formação ou educação!Infelizmente a justiça em portugal como não existe só mesmo feita pelas próprias mãos!!!

  6. que seja 40 ou 36 de temperatura, se trabalha abaixo disso deve ser um mimo estar por la, enfim qualquer trabalhador tem direitos e não só obrigações..

Estamos a viver um "apartheid climático" (e quem tem menos dinheiro vai sofrer ainda mais)

O mundo está a viver um "apartheid climático" e no futuro, serão os mais pobres os que mais vão sofrer as consequências das alterações climáticas. O alerta é do cientista Alexandre Quintanilha. "Estamos a viver um …

Catalunha. Manifestações provocam 199 detidos e 289 polícias feridos numa semana

Quase 200 pessoas foram detidas e 289 agentes da polícia ficaram feridos desde a passada segunda-feira nos protestos na Catalunha contra a sentença que condenou 12 dirigentes políticos catalães, segundo fontes policiais. Desde a passada segunda-feira, …

Quase metade do rendimento das famílias na Grande Lisboa é para pagar renda

A prestação derivada da compra de uma casa na Área Metropolitana de Lisboa (AML) representa uma taxa de esforço de 28% para as famílias. Contudo, arrendar é ainda mais dispendioso, com as rendas a representarem …

Portugal conquista ouro no basquetebol nos INAS Global Games

Portugal conquistou hoje quatro medalhas no último dia dos INAS Global Games, competição mundial para atletas com deficiência intelectual, através da seleção de basquetebol (ouro) e do ciclista Carlos Carvalho (três medalhas de prata). A equipa …

Benfica e FC Porto doam receitas ao Cova da Piedade e Coimbrões

O Benfica e o FC Porto decidiram entregar a sua receita, correspondente à bilheteira e à transmissão televisiva, aos seus adversários da terceira eliminatória da Taça de Portugal. Na semana passada, jogou-se a terceira eliminatória da Taça …

Nova lei de registo dos animais vai levar freguesias a perderem receita

O objetivo da nova lei é criar uma base única de dados nacional de registo dos animais e acaba com a obrigatoriedade da licença para os cães. O presidente da maior freguesia do distrito de Bragança, …

Vem aí um novo ecoponto (e vai ser castanho)

A partir de janeiro de 2024, todos os Estados-membros da União Europeia vão ser obrigados a ter um quarto contentor para a recolha seletiva do lixo. Desta vez, será castanho e passará a estar nas ilhas …

Federação Portuguesa de Futebol condena jogadores por viciação de resultados

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol condenou dois futebolistas e dois treinadores por manipulação de resultados no âmbito do caso "Jogo Duplo". O Público chama-lhe "uma decisão histórica". No âmbito do caso "Jogo …

Diferendo entre Galp/REN e ERSE pode custar 179 milhões de euros aos consumidores

As empresas de gás da Galp e da REN Portgás voltaram a impugnar as tarifas reguladas publicadas pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) e avançaram com o décimo processo judicial. Caso vençam, os clientes …

Salário mínimo de 700 euros "é perfeitamente razoável", diz líder da CIP

O presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), António Saraiva, considerou que é "perfeitamente razoável" que o salário mínimo nacional (SMN) alcance os 700 euros durante a próxima legislatura. “Parece-me tão razoável como pode parecer outro …