Contribuintes já pagaram 14,6 mil milhões para salvar bancos

Nuno Fox / Lusa

O ministro das Finanças, Mário Centeno

Os encargos dos contribuintes com o salvamento e a ajuda aos bancos ascendem já a 14,6 mil milhões de euros, no período que vai de 2008 a 2016. A fatura ainda não está fechada.

No período entre 2008 e 2016 as ajudas à banca – sem contar os ganhos que o Estado obteve -, custaram o equivalente a 8% do PIB, segundo as contas do Diário de Notícias.

Só em juros, o Estado terá desembolsado 1,8 mil milhões de euros, uma vez que pediu dinheiro emprestado aos mercados para apoiar a banca.

No entanto, o Estado terá ganho algum dinheiro com as ajudas prestadas (juros e dividendos), mas não o suficiente. Em termos brutos, nos nove anos em análise, gastou 20,8 mil milhões de euros (11% do produto interno bruto, PIB) em despesas de capital e correntes. Conseguiu recuperar 6,2 mil milhões de euros (3% do PIB).

Em nove anos, as únicas duas operações que deram dinheiro até agora foram as ajudas ao BCP (receita líquida de 211,4 milhões de euros) e ao BPI (167,5 milhões).

Assim, o custo líquido imputado aos contribuintes é muito elevado e ascende aos 14,6 mil milhões de euros (8% do PIB), o equivalente a quase seis vezes o valor do défice estimado para este ano.

O Tribunal de Contas sublinha o encargo elevado que “o esforço financeiro resultante das intervenções públicas, destinadas a apoiar o sistema financeiro nacional no seguimento da crise financeira internacional iniciada em 2007” representou para o “erário público”.

Além disso, acrescenta, “o peso dos encargos diretos variou de ano para ano entre um mínimo de 0,1% das necessidades de financiamento da Conta Geral do Estado em 2011 e um máximo de 6,3% em 2012″.

2016 salientou-se por ser o ano com valor e esforço mais baixo desde 2011, no entanto, há que ter em conta que aquele ano foi uma exceção já que não foi necessário apoiar qualquer banco.

O que não terá acontecido noutros anos. Em 2014 faliu o BES, em 2015 o Banif e em 2017 foi a vez de a CGD receber uma enorme injeção de capital, mas como foi financiada com dívida, o défice deverá ficar a salvo.

O BPN, por sua vez, vai continuar a ser a maior dor de cabeça dos contribuintes, já que é, até mesmo pior que o BES, a herança mais pesada da crise financeira, devido ao volume generoso de garantias estatais dadas aos negócios do banco (muitos deles ruinosos) na sequência da sua nacionalização, em 2008 pelo governo PS de José Sócrates e Fernando Teixeira dos Santos, o ministro das Finanças na altura.

Segundo as contas do Tribunal de Contas citadas pelo DN, o BPN, um banco de pequena dimensão, já custou aos bolsos dos contribuintes 3,7 mil milhões de euros nos nove anos sob análise.

ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Off course quem paga sempre são os contribuintes = Povo trabalhador. Quer seja direta quer seja indiretamente. Estes politicos / governantes são uns corruptos, ladroes da pior espécie.

  2. Seria interessante que o estado publicasse uma listagem com os bancos a quem foi emprestado dinheiro dos contribuintes, com o valor total, e o plano de amortizações, bem como a listagem dos bancos que não recorreram desses dinheiros.

    • Seria interessante muito mais transparencia do que isso mas já é um começo. Com a Internet as pessoas pelo menos já começam a perceber umas coisas.

  3. Um Estado e um Governo de BANDIDOS.
    Com que fundamento legal, o Estado tira aos cidadãos dinheiro, para capitalizar empresas privadas onde houve roubo e corrupção ? Lá vem o fantasma do “risco sistémico”…

    • O senhor não sabe que muitos dos que estão no desgoverno já estiveram nos bancos ou tiveram lá amigos? Que precisam dos bancos para quando deixarem o desgoverno irem para lá ganhar o deles? Eles só vão ao bolso do pequeno e sempre assim foi!!

Índia vai lançar missão à Lua na próxima segunda-feira

A agência espacial da União Indiana informou nesta quinta-feira que vai efetuar na próxima segunda-feira o lançamento da nave não-tripulada para a Lua depois de a missão ter sido abortada esta semana. O organismo Indian Space …

Proprietários em centros históricos podem reclamar IMI dos últimos quatro anos

Os proprietários de imóveis localizados em centros históricos classificados pela UNESCO podem reclamar o imposto municipal sobre imóveis (IMI) pago nos últimos quatro anos, escreve o Dinheiro Vivo esta quinta-feira. A notícia agora avançada pelo Dinheiro Vivo …

Nuno Freitas é o novo presidente da CP

O Governo nomeou Nuno Freitas como novo presidente da CP – Comboios de Portugal, num Conselho de Administração alargado a cinco elementos, sucedendo a Carlos Nogueira, cujo mandado terminava no final deste ano. De acordo com …

Erros na prescrição obrigam a novas medidas de segurança para medicamentos para cancro e doenças inflamatórias

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) recomenda novas medidas de segurança para evitar erros na prescrição e administração de medicamentos com metotrexato. Devido a erros de prescrição, a Agência Europeia do Medicamento recomenda novas medidas de …

Cartel de construtoras dos estádios do Mundial do Brasil investigado

Foi aberto um processo administrativo para investigar um cartel mantido por empresas de engenharia que atuou nas obras dos estádios usados no Mundial de futebol do Brasil, em 2014. O Governo brasileiro informou esta quarta-feira que …

Novos modelos de carros elétricos vão triplicar. Produção em Portugal "será praticamente inexistente"

O número de modelos de veículos elétricos irá triplicar no mercado europeu até 2021, mas a produção destes veículos em Portugal será praticamente inexistente até 2025, indica um estudo da Federação Europeia dos Transportes e …

Bruxelas investiga Amazon por alegado uso de dados pessoais de vendedores

A Comissão Europeia abriu, esta quarta-feira, uma investigação à Amazon para determinar se a empresa usou informações pessoais “confidenciais” de vendedores independentes, quebrando as regras comunitárias na área da concorrência. A Comissão Europeia abriu uma investigação …

Parlamento não sabe o que fazer ao Acordo Ortográfico

Depois de dois anos de meio, foram ouvidas 16 entidades, recebidos 20 contributos escritos, houve uma petição, um projeto de resolução chumbado e uma iniciativa legislativa de cidadãos. Mas a Assembleia da República continua sem …

Ministério da Educação quer reduzir peso excessivo das mochilas dos alunos

O Ministério da Educação lançou esta quinta-feira uma campanha para sensibilizar pais, alunos, professores e diretores escolares a adotar medidas que reduzam o peso excessivo das mochilas dos alunos. A campanha de sensibilização lançada esta quinta-feira …

Morreu o eurodeputado do PS André Bradford. Estava em coma induzido

O eurodeputado do PS André Bradford, que estava em coma induzido desde dia 8 deste mês, faleceu nesta quinta-feira no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, revelou à agência Lusa fonte do PS/Açores. Bradford, …