Cientistas “ressuscitaram” o gene que fez nascer a malária

George Poinar, Jr./ Oregon State University

O gene ancestral que fez nascer a doença mais mortal da História foi “ressuscitado” por cientistas, para que lhes fosse possível perceber a série de eventos que levou o parasita da malária a infetar humanos.

A malária mata cerca de 435 mil pessoas todos os anos, sendo a maioria menores de cinco anos. A maior parte dos casos é provocada pelo parasita Plasmodium falciparum uma das espécies de parasitas que podem causar malária. Todas se originaram, de acordo com o Newsweek, em grandes macacos de África.

[P. falciparum] é um dos grandes flagelos do homem”, disse Gavin Wright, do Instituto Wellcome Sanger do Reino Unido. “Foi dito que a malária matou mais pessoas na história da humanidade do que qualquer outra doença”.

Wright é o principal autor de um estudo publicado esta semana na revista especializada PLOS Biology que mostra como P. falciparum conseguiu mudar de hospedeiro dos gorilas para humanos há cerca de 50 mil anos. Nesse ponto, o parasita ganhou a capacidade de infetar os nossos glóbulos vermelhos.

“Até há alguns anos, a origem do P. falciparum era um mistério, mas verificou-se que estava mais intimamente relacionado a um parasita do Plasmodium que infetava exclusivamente gorilas”, disse Wright, em comunicado.

A sequência genética não explicou, contudo, como é que o parasita conseguiu saltar de gorilas para humanos. No entanto, revelou uma região do genoma que parece ter sido transferida e essa região codificou um gene chamado rh5, que sabemos que permite ao parasita infetar glóbulos vermelhos humanos.

“O próximo desafio foi entender como estas alterações moleculares poderiam ter levado o parasita a infetar seres humanos”, disse Wright.

A equipe reconstruiu a sequência ancestral para “ressuscitar” a sequência de ADN rh5 para mostrar a forma como foi transferida para os seres humanos. Os investigadores criaram cópias sintéticas desse gene antigo em laboratório para observar as interações moleculares que aconteceram.

“Pegámos nas sequências de genes existentes e as previsões baseadas em computador – reconstrução da sequência ancestral – para voltar atrás no relógio usando um tipo de ‘arqueologia molecular’ para determinar a provável sequência dos genes envolvidos no momento em que a espécie mudou”, explicou Wright

Os resultados mostraram que o parasita tinha a capacidade de se ligar a gorilas e humanos. “Isso fornece uma explicação molecular de como o salto das espécies poderia ter acontecido”, disse Wright. “Delineamos, portanto, um caminho molecular que explica como o ancestral de P. falciparum foi capaz de saltar de gorilas para humanos”.

A partir disso, os investigadores identificaram uma mutação que significava que P. falciparum perdeu a capacidade de infetar gorilas, confinando-a aos seres humanos.

Wright disse que entender estes eventos moleculares é importante, pois a maioria das doenças infecciosas são “zoonoses” – doenças infecciosas capazes de ser naturalmente transmitidas entre animais e seres humanos. É aqui que um patógeno que infeta outros animais acumula mutações, o que rompe as barreiras das espécies e infeta os seres humanos.

“Ao entender as possíveis vias moleculares envolvidas, embora as hipóteses sejam muito pequenas, podemos realizar uma vigilância sequencial do parasita circulante na natureza para tentar impedir que isto aconteça novamente”.

Em termos de malária, os cientistas têm visto o rh5 como um possível alvo para uma potencial vacina. Se a interação entre o parasita e esse gene puder ser interrompida, pode impedir que seja capaz de infetar os glóbulos vermelhos. “Atualmente, o Rh5 é um emocionante alvo de vacina contra a malária no estágio sanguíneo que está a ser trabalhado ativamente pela comunidade da malária”, disse Wright. “Qualquer informação adicional que possa ajudar no desenvolvimento desta vacina seria importante”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Uma pitada de poeira de rocha pode ajudar a evitar alterações climáticas catastróficas

O uso de poeira de rocha na agricultura traz não só vantagens para a colheita, mas também para o ambiente. Esta técnica permite uma remoção eficiente do dióxido de carbono. Espalhar poeira de rocha nos terrenos …

ANA avança com plano de "saídas voluntárias"

A ANA, gestora dos aeroportos nacionais, vai avançar com "um plano de saídas voluntárias", no âmbito do redimensionamento das equipas. A ANA - Aeroportos de Portugal, gestora dos aeroportos nacionais, vai avançar com “um plano de …

Cientistas detetaram estranhos objetos astronómicos circulares (e não fazem ideia do que são)

Recorrendo a telescópios, uma equipa de astrofísicos detetou quatro estranhos objetos astronómicos. Foram encontrados nos comprimentos de onda de rádio e são circulares e mais brilhantes do que as suas bordas. Estes estranhos e inesperados …

Especialista alerta sobre possíveis vírus extraterrestres que podem chegar à Terra em futuras missões

O cientista e antigo colaborador da NASA Scott Hubbard alertou para a possível chegada de vírus extraterrestres à Terra em futuras missões espaciais, notando que o interesse pela exploração do Espaço tem aumentado. O antigo …

Covid-19. A morada e a cor da pele são um fator de risco no Brasil

Enquanto que na Europa a idade é um fator de risco da covid-19, no Brasil, o sítio onde moram e a cor da sua pele definem essa fronteira entre os que têm maior ou menor …

Lagos dos Estados Unidos estão a ficar cobertos de verde. Nem os mais remotos escapam

Vários lagos montanhosos dos Estados Unidos estão a tornar-se verdes devido ao crescimento de algas que prosperam por causa das alterações climáticas, concluiu um estudo conduzido por cientistas da Universidade do Colorado. De acordo com a …

No Algarve, metade dos casos de infeção resultaram de transmissão social

Um estudo apresentado na última reunião do Infarmed, em Lisboa, veio estabelecer uma relação entre a propagação do vírus no Algarve e o fator social. De acordo com o estudo, apresentado na última reunião do Infarmed, …

Numa operação inédita de 18 horas, gémeas siamesas unidas pelo crânio foram separadas com sucesso

Ervina e Prefina, com 2 anos, nasceram com os crânios unidos, uma das formas mais raras e complexas de fusão craniana e cerebral conhecidas como "craniófago total posterior". Agora, médicos em Itália conseguiram separá-las numa operação …

Família de Pablo Escobar está a processar um rapper norte-americano. Exige-lhe 10 milhões

A família Pablo Escobar, morto em dezembro de 1993 na Colômbia, está a processar o rapper norte-americano Tauheed Heakeen Epps, mais conhecido como 2 Chainz, por usar o nome do narcotraficante num negócio. De acordo com …

Steve Jobs acreditava na eficiência do teletrabalho já em 1990

O fundador da Apple, Steve Jobs, que faleceu em outubro de 2011, dizia acreditar na eficiência do trabalho remoto já em 1990. A pandemia de covid-19, que já matou mais de 500 mil pessoas me todo …